Confira cinco novas profissões que já têm curso na área - Economia - O Sol Diário

Mercado criativo 10/10/2016 | 09h18Atualizada em 10/10/2016 | 09h18

Confira cinco novas profissões que já têm curso na área

Em Santa Catarina, o número de trabalhadores informais continua estável em uma média de 193 mil no último semestre

Confira cinco novas profissões que já têm curso na área Diorgenes Pandini/Agencia RBS
Foto: Diorgenes Pandini / Agencia RBS

O cenário de crise no Brasil tem aberto espaço para novas profissões e negócios criativos que têm chamado a atenção, principalmente quando aliados à tecnologia. Enquanto entre o primeiro e o segundo trimestres de 2016, 226 mil vagas de emprego com carteira assinada foram cortadas no país, 409 mil novas vagas foram criadas no mercado informal. Essa é a diferença entre o número de pessoas que começaram e as que deixaram de trabalhar por conta própria segundo estimativa do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea), com dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). 

Em Santa Catarina, o número de trabalhadores informais continua estável em uma média de 193 mil no último semestre (que representa 12% do total de trabalhadores no mercado formal), conforme a última Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua (Pnad). Mas o Estado tem acompanhado a tendência nacional com o surgimento de atividades curiosas. Algumas, sequer têm nomes definidos ainda.

Confira algumas dessas novas profissões que já têm cursos específicos voltados para a área:

Desenvolvedor de holografia — Embora essa técnica seja conhecida desde a década de 40, começou a ganhar notoriedade na área de efeitos visuais por meio de shows ao vivo com celebridades que já morreram, como foi o caso do cantor Elvis Presley. A arte de desenvolver projetos que envolvam a holografia 3D já é um diferencial em empresas do ramo.  

Desenvolvedor de realidade aumentada — é uma tecnologia de ponta que permite a integração por meio da sobreposição de objetos virtuais com o mundo real. Geralmente, com o uso de um dispositivo, consegue trazer essa ilusão a seus usuários e tem se popularizado com o uso de smartphones e tablets. Muitas empresas de e-commerce já utilizam esta ferramenta para mostrar para o usuário como é possível enquadrar um objeto no meio da sala de estar, por exemplo.

Modelador de objetos para impressão 3D — impressoras 3D têm revolucionado o mundo com o seu poder de criação de objetos. Hoje em dia já é possível criar próteses para braços, pernas e até carros com os materiais disponíveis. Desde 2013, as impressoras 3D têm se popularizado no mercado, ou seja, a demanda das empresas por profissionais que saibam utilizar esta ferramenta tende a aumentar nos próximos anos. 

Desenvolvedor de realidade virtual — assim como a holografia, tem começado a popularizar o mercado de entretimento no país ao conectar o usuário com o computador por meio de um dispositivo, como os óculos de realidade virtual. Recentemente, o Google criou uma divisão somente para este tipo de ferramenta.  Desde novembro de 2012, o Youtube já suporta vídeos de realidade virtual.

Desenvolvedor de jogos 2D — nos últimos anos, tem crescido a procura de jovens por jogos com estética retrô e com jogabilidade mais simples. E, de acordo com quem trabalha neste mercado, a tendência é que a criação de jogos neste estilo aumente ainda mais. Acontece que muitos estão se especializando em desenvolver jogos 3D, o que faz o mercado carecer de profissionais com essa qualificação.

Leia também:

Profissões criativas ganham espaço no mercado informal

"Bloqueadores de inovação matam a ideia na raiz", defende o executivo do Google no Brasil 

"O que sustenta o empreendedor é a sua busca constante por autoconhecimento", defende coach

 
  •                                
  •  
     
  •  
     
  •  
O Sol Diário
Busca
clicRBS
Nova busca - outros