"Detalhista, tranquilo e correto", diz Maria Augusta sobre o marido Napoleão Bernardes - Economia - O Sol Diário

Perfil29/10/2016 | 01h08

"Detalhista, tranquilo e correto", diz Maria Augusta sobre o marido Napoleão Bernardes

Médica Maria Augusta conta sobre a personalidade do marido, Napoleão Bernardes, e a rotina do casal

"Detalhista, tranquilo e correto", diz Maria Augusta sobre o marido Napoleão Bernardes Patrick Rodrigues/Agencia RBS
Foto: Patrick Rodrigues / Agencia RBS



Conheça mais sobre a médica Maria Augusta Barros Bernardes, 37 anos, que atua principalmente com diagnóstico precoce de câncer de mama e é casada com Napoleão Bernardes. Guta, como é mais conhecida, nasceu em Itajaí, mas ainda criança se mudou com a família para Blumenau. O pai, Renato Barros, é médico e a mãe, Angela, arquiteta. Tem dois irmãos, Bernardo e Marina, ambos médicos também.

Cresceu em Blumenau e na adolescência seguiu para fazer formação profissional fora da cidade. Em 2003 se formou médica pela Univali e fez residência no Hospital Sírio-Libanês e na USP, ambos em São Paulo. De lá foi para Nova York finalizar sua formação, no Memorial Sloan Kettering Cancer Center.

A seguir saiba mais sobre Guta, as características que ela destaca em Napoleão e os planos do casal.


- Como conheceu o Napoleão?
Nos conhecemos desde a época do colégio, mas perdemos o contato. Passei anos estudando fora e voltei para Blumenau no final de 2010, mas mantivemos amigos em comum que acabaram nos reaproximando quando retornei para Blumenau. Começamos a namorar em agosto de 2011 e nos casamos ano passado.

- Como é a rotina de vocês?
Nossa rotina doméstica é bem simples. O Napoleão tem uma rotina puxada e eu, da mesma forma, por conta da atividade profissional. Como saímos bem cedo e chegamos tarde, valorizamos ao máximo nosso tempo juntos. Sentamos todos os dias para tomar café da manhã e para jantar, não importa o quão cedo seja o café ou quão tarde o jantar. Nos fins de semana também temos muitos compromissos, então, quando sobra um tempinho, ficamos curtindo nossa casa mesmo.

- De que forma você lida com a correria da campanha? Você participa?
Participo em tudo o que posso contribuir. Mas, principalmente, tento ficar o mais tranquila possível para que ele tenha paz neste momento tão tenso.

- A sua participação é de suporte e bastidores ou você está presente em reuniões e definições?
Mais bastidores e suporte, diretamente com ele.

- Você o ajuda na tomada de decisões?
Acho que sim! Bastante. Não necessariamente por opiniões ou sugestões objetivas, mas pela forma como conduzimos nossas vidas juntos, sempre com valores, dedicação, empenho. Não é o que falamos que nos faz quem somos, é o que fazemos.

- O Napoleão leva trabalho ou discussões do trabalho para casa?
Raramente. Conversamos bastante sobre ideias, princípios, escolhas, conduta, e sinto que ele confia muito no meu discernimento, mas tentamos não levar problemas profissionais específicos para casa. Embora, claro, como vários temas são de natureza pública, como cidadãos, conversamos, trocamos ideias.

- Como é a personalidade dele no dia a dia?
Tranquilo, de bem com a vida, correto. Ele é muito especial.

- Que característica o Napoleão tem que a gente não vê na campanha?
Detalhista.

- Por que ele merece ser prefeito?
O que mais me impressiona no Napoleão é a sua obstinação pela transparência e por fazer as coisas do jeito certo. E isto é o que a cidade precisa. Acredito que, justamente por essa postura do Napoleão, ele seria o melhor para a cidade.

- Como você define o adversário do seu marido em uma palavra?
Deputado.

- Qual é o papel de uma primeira-dama? Na sua opinião, como esta função é vista hoje pela sociedade?
Como em qualquer casal, um deve dar suporte ao outro, ter os pés no chão, a cabeça norteada pela ética e o coração sereno para ajudar na condução da função pública e da vida da melhor forma. A partir daí cada um deve avaliar qual sua vocação. A minha é ser médica. Penso que ninguém precisa de um título, posto ou função para fazer a diferença na comunidade. Educar bem um filho, ser menos egoísta, exercer a profissão com capricho, ser ético, respeitar o próximo...
É isso que muda o mundo. Penso que estamos vivendo em uma sociedade extremamente crítica e, por vezes, cruel, em especial com as mulheres. Agora, o que vale destacar é que hoje, nós, mulheres, conquistamos nosso próprio lugar na sociedade, essa mesma sociedade que julga a que é do lar e também julga a que tem vida profissional. Eu, por exemplo, sempre estarei à disposição para auxiliar o Napoleão em tudo aquilo que ele precisar, mas considero meu trabalho como médica de grande valor social. Tenho alguns compromissos voluntários e planos na área social, mas faço isso por mim e continuarei fazendo independente do cargo do meu esposo.

- Quais seus planos pessoais e profissionais para os próximos quatro anos?
Sempre nas mãos de Deus! Mas gostaríamos de ter um filho. Em relação à vida pública, continuar o trabalho intenso em função da cidade e honrar cada voto de confiança.

 

Maria Augusta Barros Bernardes

- Hobby: adoro cozinhar e livros de
culinária.
- Livro: A Filosofia Explica as Grandes Questões da Humanidade, do Clovis de Barros Filho.
- Filme: Os Intocáveis.
- Música: no momento, Eu Cuido de Ti.
- Mania: acho que não tenho.
- Viagem inesquecível: o tempo que fiquei estudando em Nova York.
- Luxo: saúde, família e felicidade.
- Lugar preferido em Blumenau: sou apaixonada pela casa da Fundação Cultural.
- Frase: “O segredo da felicidade está na simplicidade.”

JORNAL DE SANTA CATARINA

 
  •                                
  •  
     
  •  
     
  •  
O Sol Diário
Busca
clicRBS
Nova busca - outros