Upiara Boschi: Visita de Alckmin a Blumenau vai além da eleição municipal - Economia - O Sol Diário

Análise24/10/2016 | 07h01Atualizada em 24/10/2016 | 14h41

Upiara Boschi: Visita de Alckmin a Blumenau vai além da eleição municipal

A presença do governador paulista Geraldo Alckmin (PSDB) para apoiar a reeleição do prefeito Napoleão Bernardes (PSDB) fez de Blumenau a Meca dos tucanos catarinenses no último sábado

Upiara Boschi: Visita de Alckmin a Blumenau vai além da eleição municipal Letícia Schlindwein / Divulgação/Divulgação
Na selfie de Geovânia de Sá: Giancarlo Tomelin, Dalírio, Napoleão, Marcos Vieira, Alckmin, Pinho Moreira e Clésio Salvaro Foto: Letícia Schlindwein / Divulgação / Divulgação
upiara boschi
upiara boschi

A presença do governador paulista Geraldo Alckmin (PSDB) para apoiar a reeleição do prefeito Napoleão Bernardes (PSDB) fez de Blumenau a Meca dos tucanos catarinenses no último sábado. A maior parte das lideranças estaduais do partido estava lá. Em uma selfie, a deputada federal Geovânia de Sá conseguiu reunir o senador Dalírio Beber, o prefeito, o governador, o deputado estadual Marcos Vieira e o prefeito eleito de Criciúma, Clésio Salvaro.

Confortável em meio aos tucanos no momento registrado pela parlamentar, estava um peemedebista: o vice-governador Eduardo Pinho Moreira (PMDB). Não se trata de coincidência, mas sim do jogo de 2018 sendo jogado. No momento em que o PSD do governador Raimundo Colombo e de Gelson Merisio força o antagonismo com o PMDB em Joinville, os peemedebistas reforçam os laços com os tucanos em Blumenau - alvo da mesma ofensiva.

O primeiro recado é claro e vem sendo sinalizado neste segundo turno. Se a aliança com o PSD não continuar, os peemedebistas vão atrás do PSDB. Hoje, estão juntos em Florianópolis - o tucano João Batista é vice de Gean Loureiro (PMDB) - e em Blumenau.

Foto: Letícia Schlindwein / Divulgação

O segundo recado faz parte da estratégia de Pinho Moreira para se viabilizar candidato ao governo em 2018. Nos bastidores, ele já vinha afirmando que apoia a candidatura presidencial de Geraldo Alckmin. Em Blumenau, verbalizou esse apoio e conversou bastante com o tucano - de quem foi colega na Câmara dos Deputados. O vice-governador diz que vai lutar internamente para que o PMDB apoie o tucano paulista e pretende utilizar essa construção para a reedição da tríplice aliança em Santa Catarina. Ele ainda acredita que é possível manter o PSD no grupo, especialmente se a estratégia de Merisio de forçar os embates em Joinville, Blumenau e Florianópolis resultar em três derrotas.

Em 2010, quando Pinho Moreira chegou a vencer a prévia peemedebista para ser o candidato ao governo, foi a questão nacional que unificou a tríplice aliança. Em nome de José Serra, a cúpula tucana tirou Leonel Pavan (PSDB) do páreo e o gesto levou Colombo e Moreira a acertarem os ponteiros. Na época, quem trabalhou nacionalmente foram os hoje pessedistas.

Leia também:

Ibope mostra que eleição impossível virou improvável

Udo Döhler doou metade dos recursos da própria campanha à reeleição 

PSDB nacional repassa mais recursos a Napoleão Bernardes 

 
  •                                
  •  
     
  •  
     
  •  
O Sol Diário
Busca
clicRBS
Nova busca - outros