Câmaras de Florianópolis, Joinville e Blumenau têm presidentes praticamente definidos para 2017 - Economia - O Sol Diário

POLÍTICA26/12/2016 | 03h00Atualizada em 26/12/2016 | 03h00

Câmaras de Florianópolis, Joinville e Blumenau têm presidentes praticamente definidos para 2017

Acordos de bastidores definiram nomes entre as bases governistas 

Câmaras de Florianópolis, Joinville e Blumenau têm presidentes praticamente definidos para 2017 Rodrigo Philipps/Agencia RBS
Cadeira de presidente da Câmara em Joinville deve ser de Fernando Krelling em 2017 Foto: Rodrigo Philipps / Agencia RBS

As cadeiras de presidente nas Câmaras de Vereadores das três maiores cidades do Estado já têm nomes praticamente definidos para o ano que vem. Em Florianópolis, Joinville e Blumenau devem prevalecer as candidaturas acordadas entre as coligações vencedoras das eleições em outubro, que contam com maioria de votos entre os parlamentares. 

Se não houver reviravoltas às vésperas das votações marcadas para 1º de janeiro, Gui Pereira (PR) assumirá a presidência do Legislativo na Capital, enquanto Fernando Krelling (PMDB) será o nome da vez em Joinville e Marcos da Rosa (DEM), em Blumenau. Tratam-se de candidatos que contam com a preferência dos prefeitos nas próximas gestões. 

Em Florianópolis, Gui Pereira ganhou a condição de favorito há mais de duas semanas, após reunião do grupo dos 12 vereadores eleitos da coligação do futuro prefeito Gean Loureiro (PMDB), que teve articulação direta no acordo. Reeleito em Blumenau, Napoleão Bernardes (PSDB) também fez movimentos entre a base governista para que a cadeira ficasse com Marcos da Rosa.

Udo Döhler (PMDB), reeleito em Joinville, teve postura discreta nos bastidores e não acenou publicamente sua preferência na disputa, mas não há dúvidas de que a escolha por Fernando Krelling tem a bênção do prefeito. O acordo entre os peemedebistas foi costurado nos últimos dias em encontros com Udo.

Como o atual presidente da Câmara em Joinville, Rodrigo Fachini (PMDB), manifestava interesse de se manter na posição, havia dúvidas se existiria consenso dentro do partido para a montagem da mesa diretora. Após algumas rodadas de conversas, a tendência é que Fachini abra mão da disputa e dê seu voto a Fernando Krelling com a condição de receber maior apoio do prefeito e do partido nas eleições para deputado em 2018.

A exemplo de Joinville, as tratativas que definiram as candidaturas favoritas em Blumenau e Florianópolis ocorreram entre vereadores e partidos considerados aliados, que deverão compor as bases de apoio dos prefeitos no ano que vem. Isto não impede, portanto, que grupos paralelos tentem medir forças nas disputas.

É o caso de Florianópolis, onde os vereadores Pedrão (PP) e Afrânio Boppré (PSOL) selaram acordo para formar chapa única e tentar fazer frente a Gui Pereira. 

Blumenau

As demais cadeiras da mesa diretora da Câmara de Blumenau também têm nomes amarrados ao mesmo acordo que deve garantir a presidência a Marcos da Rosa. Se as tratativas forem mantidas, Almir Vieira (PP) deve ser votado para vice-presidente, enquanto Zeca Bombeiro (SD) preencheria a vaga de primeiro secretário e Marcelo Lanzarin (PMDB), a de segundo secretário. Dado como certo na presidência, com pelo menos dez dos 15 votos em plenário, Marcos da Rosa ainda tem postura comedida. Reviravoltas marcaram as escolhas nas duas últimas eleições da mesa diretora da Câmara de Blumenau.

Marcos da Rosa é vereador eleito pelo DEM Foto: Patrick Rodrigues / Agencia RBS

Florianópolis

Mesmo com a movimentação dos vereadores Pedrão (PP) e Afrânio Boppré (PSOL) na formação de uma chapa única para a mesa diretora, o acordo selado entre a base aliada deve garantir a Gui Pereira (PR) a maioria mínima necessária para a presidência: o vereador contaria com 12 dos 23 votos dos parlamentares. No último dia 16, Afrânio e Pedrão participaram de um debate inédito entre os candidatos à presidência - o favorito Gui Pereira não compareceu. Tiago Silva (PMDB) e Edinho Lemos (PSDB) também eram esperados, mas abriram mão de disputar o comando da Câmara. 

Gui Pereira é vereador pelo PR Foto: Cristiano Estrela / Agencia RBS

Joinville

A condição de vereador eleito com o maior número de votos em Joinville não foi o fator preponderante para Fernando Krelling (PMDB) ser o favorito à presidência da Câmara. Como o PMDB tem cinco vereadores eleitos e eram menores as chances de consenso no partido com outro nome em disputa, a candidatura de Krelling despontou. Contando com os cinco votos do PMDB, ele pode somar até 15 votos, sendo necessários apenas dez para a vitória. A provável mesa diretora teria hoje Lioilson Correa (PSC) como vice, Ana Rita Hermes (Pros) como primeira secretária e James Schroeder (PDT) como segundo secretário.

Fernando Krelling fará seu mandato de estreia pelo PMDB Foto: Maykon Lammerhirt / Agencia RBS


Siga O Sol Diário no Twitter

  • osoldiario

    osoldiario

    O Sol DiárioMarquinhos espera desfecho no fim de ano para saber se fica no Figueirense https://t.co/9m8qKDwMdVhá 11 horas Retweet
  • osoldiario

    osoldiario

    O Sol DiárioInvestidores do Figueirense dizem que vão processar Alex Bourgeois, ex-CEO https://t.co/nBuqVynGoXhá 13 horas Retweet
O Sol Diário
Busca