Estado define participação de municípios na arrecadação do ICMS - Economia - O Sol Diário

Economia15/12/2016 | 16h17Atualizada em 15/12/2016 | 16h17

Estado define participação de municípios na arrecadação do ICMS

Joinville, Itajaí e Blumenau têm os maiores índices

A Secretaria de Estado da Fazenda publicou nesta quinta-feira o Índice de Participação dos Municípios (IPM) na arrecadação do ICMS de 2015 e que será repassado ao longo de 2017. A exemplo do que ocorreu no ano anterior, Joinville, Itajaí e Blumenau terão as maiores participações no montante. Pescaria Brava, Matos Costa e Rio Rufino tem os menores índices. Os dados estão disponíveis aqui.

O ranking oficializa, com pequenas alterações, os índices provisórios do IPM publicados em junho deste ano. No segundo semestre, os administradores municipais tiveram direito de questionar os números. Houve análise e o julgamento dos pedidos de impugnação ocorreu em 9 de dezembro.

Agora com números finais, a maior variação positiva do IPM 2017 é de Araquari, que registrou crescimento de 24,2%. Serão cerca de R$ 5,5 milhões a mais para a cidade em relação a 2016. Porto Belo (18,7%) e Abdon Batista (18,7%) dividem a segunda colocação. Em terceiro, vem Xaxim, com crescimento de 17,2% em 2017.

Mesmo com queda de 3,8% no IPM, Joinville (9,07%) lidera o ranking e é a cidade catarinense que terá a maior participação de ICMS em 2017, à frente de Itajaí (7,1%) e Blumenau (4,8%). O maior impacto financeiro é de Jaraguá do Sul, que receberá R$ 14,9 milhões a menos em comparação a 2016.  A queda de 10,06% foi provocada pela crise e consequente retração econômica da indústria têxtil. Apesar de também ter amargado uma queda de 1,7% e perder R$ 2,1 milhões em 2017, Florianópolis continua entre as cidades com maior retorno, com IPM de 2,9%.

A lista dos municípios com as maiores quedas é encabeçada por Bom Jardim da Serra (-13,6%), que deve receber R$ 779,9 mil a menos em participação no ICMS do que em 2016. O desempenho é atribuído à queda na produção de energia eólica em 2015, ano base para o cálculo do repasse que será realizado em 2017. Os municípios de Pescaria Brava (0,05%), Matos Costa (0,060%) e Rio Rufino (0,06%) tem as menores participações entre os 295 municípios catarinenses. 

Como é feito o cálculo

O IPM é calculado anualmente pela Secretaria de Estado da Fazenda, que considera como principal critério o "Movimento Econômico" – também conhecido como "Valor Adicionado" (VA) – para compartilhar com os municípios o ICMS recolhido pelo Estado.

A lei regulamenta que o Governo do Estado deve repassar 25% da arrecadação de ICMS aos municípios, sendo que 15% desse total são divididos igualmente entre os 295 municípios e 85% são distribuídos de acordo com o VA.

Leia todas as notícias do Diário Catarinense

 

Siga O Sol Diário no Twitter

  • osoldiario

    osoldiario

    O Sol DiárioTemperatura pode atingir 29ºC nesta quinta-feira em SC https://t.co/CW3xGOVT0Hhá 1 horaRetweet
  • osoldiario

    osoldiario

    O Sol DiárioUpiara Boschi: Assembleia Legislativa, mas pode chamar de País das Maravilhas https://t.co/JCj0iI8ygJhá 1 horaRetweet
O Sol Diário
Busca
clicRBS
Nova busca - outros