"Lição mais especial foi sempre fazer a coisa certa", diz filho sobre Teori - Economia - O Sol Diário

Morte de ministro20/01/2017 | 10h19Atualizada em 20/01/2017 | 10h49

"Lição mais especial foi sempre fazer a coisa certa", diz filho sobre Teori

Francisco Zavascki afirmou que o velório do pai será no TRF, em Porto Alegre

"Lição mais especial foi sempre fazer a coisa certa", diz filho sobre Teori Diego Vara/Agencia RBS
Foto: Diego Vara / Agencia RBS

Em depoimento emocionado na manhã desta sexta-feira o filho do ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Teori Zavascki, Francisco Zavascki, afirmou que a família permanece muito "chocada" com a morte do pai, mas ressaltou que todos guardam uma "certa serenidade" porque Teori viveu intensamente e soube aproveitar todos os momentos em vida. Francisco disse que conversou longamente com o pai na última quarta-feira e que tem certeza que ele partiu com uma "missão cumprida".

— No tempo em que ele esteve aqui, ele tentou fazer o melhor possível. Ele tentou lutar pelas coisas que acreditava. E acho que deixou muitas lições. A mais especial, que eu sempre guardo, que ele me dizia era que não importa o custo pessoal que a gente tenha, a gente tem que fazer as coisas certas. E acho que era isso que ele estava tentando fazer no STF. Foi isso que ele fez ao longo da vida dele — afirmou, em entrevista à Rádio Gaúcha.

Leia mais:
Corpos de Teori e de duas vítimas são resgatados e encaminhados ao IML
Corpo de Teori Zavascki deve ser trazido para Porto Alegre

Em conversa recente com o filho, Teori relatou que esperava que as delações da Odebrecht estivessem homologadas até o início de fevereiro. Ele disse que estava "relaxado" e pronto para voltar ao trabalho no STF. Teori era o ministro responsável pelos processos relacionados à Operação Lava-Jato.

Sobre eventuais pressões que o ministro tenha sofrido, especialmente em função das decisões relacionadas à Operação Lava-Jato, Francisco disse que o pai sempre se mostrou tranquilo. "Ele se botava nessa posição de magistrado que não é de agradar um lado. E de eventualmente desagradar todos os lados", disse.

— Meu pai dizia: `enquanto os dois lados tiverem me batendo eu fico tranquilo. Quando só um me bater, eu sei que estou fazendo a coisa errada — afirmou.


 

Siga O Sol Diário no Twitter

  • osoldiario

    osoldiario

    O Sol DiárioChapecoense escolhe hotel que serviu seleções na preparação para "maratona de decisões" https://t.co/yv91WiRj4chá 4 horas Retweet
  • osoldiario

    osoldiario

    O Sol DiárioBlumenauense se classifica para Campeonato Mundial de Xadrez https://t.co/sWfmm6OJGehá 4 horas Retweet
O Sol Diário
Busca
clicRBS
Nova busca - outros