"Não quero erradicar a masturbação", diz autor de projeto para limitar acesso a pornografia - Economia - O Sol Diário

Câmara dos Deputados05/01/2017 | 13h23Atualizada em 05/01/2017 | 17h26

"Não quero erradicar a masturbação", diz autor de projeto para limitar acesso a pornografia

Deputado Marcelo Aguiar (DEM-SP) garante que a intenção da proposta é gerar um debate sobre o tema e oferecer uma "opção aos pais"

"Não quero erradicar a masturbação", diz autor de projeto para limitar acesso a pornografia Lucio Bernardo Junior/Câmara dos Deputados
Marcelo Aguiar (DEM-SP) concedeu entrevista ao programa Timeline, da Rádio Gaúcha, nesta quinta Foto: Lucio Bernardo Junior / Câmara dos Deputados
Zero Hora
Zero Hora

Alvo de polêmica após apresentar um projeto de lei que pretende obrigar operadoras a bloquear o acesso de crianças e adolescentes a conteúdo sexual, o deputado Marcelo Aguiar (DEM-SP) garante que a intenção da proposta é gerar debate sobre o tema. O documento protocolado em 9 de novembro na Câmara cita "estudos atualizados" segundo os quais haveria um "aumento no número de viciados em conteúdo pornô e na masturbação devido ao fácil acesso pela internet". Segundo o deputado, é necessário encontrar uma "opção para os pais". 

— Não quero erradicar a masturbação. Quero dar uma opção para os pais terem mais controle da criança de 14, 13, 16 (anos) que já está entrando na adolescência — afirmou em entrevista ao programa Timeline, da Rádio Gaúcha. — Não tenho nenhum problema com isso (masturbação): não sou contra, acho que é algo natural do corpo do ser humano e cada um faz o que bem entende.

Ouça a entrevista na íntegra

Leia mais
Em ano marcado por tensão, Congresso tem 109 sessões para homenagens
Crescimento menor do PIB pode obrigar corte de até R$ 50 bi do Orçamento
Líderes do PSDB na Câmara reafirmam apoio à candidatura de Maia

O deputado pretende reunir empresas prestadores de serviço de internet, representantes da sociedade, educadores e profissionais de tecnologia para debater a criação de um "sistema que filtra e interrompe automaticamente" o acesso a material relacionado a sexo e prostituição. Aguiar afirma que ainda não foi procurado por nenhuma empresa.

— (Existem) jovens que estão perdendo um tempo da sua vida muito precioso em termos de estudo e de se relacionar com outras pessoas por causa da pornografia — afirma, explicando o termo "autossexual" que aparece no projeto em relação a "pessoas para quem o prazer com sexo solitário é maior do que o proporcionado pelo método, digamos, tradicional".

Mesmo que o projeto seja rejeitado pelos deputados e reconhecendo as dificuldades para limitar o acesso a vídeos ou fotos de teor sexual para menores de idade, Aguiar destaca que "o debate é interessante".

— Esse projeto tomou uma proporção de ontem para hoje (quinta-feira). Quando eu coloquei esse projeto na Casa, (foi) com a intenção de trazer o debate mesmo que eu fosse derrotado na comissão — afirmou. 

O projeto ainda não foi apreciado e segue tramitando na Comissão de Ciência e Tecnologia, Comunicação e Informática (CCTCI) da Câmara dos Deputados.

Leia as últimas notícias de Política

 

Siga O Sol Diário no Twitter

  • osoldiario

    osoldiario

    O Sol DiárioFiocruz cria aplicativo para pesquisar doenças e monitorar animais silvestres   https://t.co/TVhEHYZre7há 30 minutosRetweet
  • osoldiario

    osoldiario

    O Sol DiárioDois homens morrem em rodovias estaduais de SC na noite de sábado https://t.co/reXpWHVG1fhá 1 horaRetweet
O Sol Diário
Busca
clicRBS
Nova busca - outros