Governo vai aumentar teto de financiamento de imóveis com FGTS para R$ 1,5 milhão - Economia - O Sol Diário

Economia16/02/2017 | 08h14Atualizada em 16/02/2017 | 08h38

Governo vai aumentar teto de financiamento de imóveis com FGTS para R$ 1,5 milhão

Conforme o ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, "classe média será beneficiada". O limite hoje é de R$ 800 mil para compras no RS

Governo vai aumentar teto de financiamento de imóveis com FGTS para R$ 1,5 milhão Ronaldo Bernardi/Agencia RBS
Foto: Ronaldo Bernardi / Agencia RBS
Estadão Conteúdo
Estadão Conteúdo

O ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, afirmou que o governo já decidiu elevar para R$ 1,5 milhão o limite de financiamento imobiliário via Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) — atualmente, em São Paulo, o teto está em R$ 950 mil.

— A classe média vai ser extremamente beneficiada (pela medida) — disse Meirelles, em entrevista exibida na noite de quarta-feira pela GloboNews. O ministro não informou quando o novo limite passará a valer.

Leia mais:
O que você precisa saber sobre os saques nas contas inativas do FGTS
Por três dias, agências da Caixa abrirão mais cedo para tirar dúvidas sobre contas inativas do FGTS

Na entrevista à GloboNews, Meirelles disse ainda que a venda de terras para estrangeiros será liberada "nos próximos 30 dias". O objetivo da medida, segundo ele, é dar impulso ao agronegócio, "uma das áreas que está dando certo" no país. O ministro, no entanto, não informou que tipo de mecanismo legal será utilizado para liberar o acesso de investidores de fora do Brasil ao mercado de propriedades rurais.

Sobre a retomada da economia, Meirelles disse acreditar que a atividade vai chegar ao fim deste ano a um ritmo de crescimento de cerca de 2% ao ano. 

— Vamos nos lembrar que saímos de uma recessão de -3%. Então (reverter o quadro) para 2 positivo é bastante — afirmou. Já a taxa de desemprego, na visão do ministro, vai começar a cair no segundo semestre deste ano e chegar em 2018 a um patamar "cada vez menor".

A confiança na retomada, de acordo com o ministro, está baseada numa série de fatores: o controle dos gastos públicos com a PEC do Teto; as reformas da Previdência e trabalhista; a queda na taxa de juros; o recuo da inflação; a criação de um novo programa de regularização tributária; a nova fase do programa de repatriação de capitais, em discussão no Congresso; o apetite renovado dos investidores pelos leilões das áreas de petróleo, entre outros.

O governo também trabalha na mudança das regras de execução de garantias para empréstimos, o que Meirelles acredita que vai contribuir para tirar o Brasil da "terapia intensiva".

 

Siga O Sol Diário no Twitter

  • osoldiario

    osoldiario

    O Sol DiárioPop Gay e cantora Lexa ganham o público na terceira noite de Carnaval de Florianópolis https://t.co/yLkVvmdMrohá 3 horas Retweet
  • osoldiario

    osoldiario

    O Sol DiárioHomem morre após briga de faca com o pai em Nova Trento https://t.co/s5qaevN3ixhá 4 horas Retweet
O Sol Diário
Busca
clicRBS
Nova busca - outros