Delação detalha como teriam ocorrido os repasses a Napoleão, Ana Paula e Jean - Economia - O Sol Diário

Operação Lava-Jato12/04/2017 | 17h45Atualizada em 13/04/2017 | 11h32

Delação detalha como teriam ocorrido os repasses a Napoleão, Ana Paula e Jean

Os três candidatos teriam recebido repasses de R$ 500 mil na eleição de 2012 e foram identificados nas planilhas como "Alemão", "Musa" e "Conquistador"

Delação detalha como teriam ocorrido os repasses a Napoleão, Ana Paula e Jean Reprodução/Reprodução
Foto: Reprodução / Reprodução

Documentos divulgados nesta quarta-feira pelo Supremo Tribunal Federal trazem detalhes sobre como teriam ocorrido os supostos repasses por meio de caixa 2 aos candidatos a prefeito de Blumenau em 2012, Napoleão Bernardes (PSDB),Ana Paula Lima (PT) e Jean Kuhlmann (PSD).

Segundo a delação de Paulo Roberto Welzel, ex-diretor da Foz do Brasil (atual Odebrecht Ambiental, concessionária de água e esgoto de Blumenau) o executivo coordenava a operação da Odebrecht Ambiental na região Sul e foi orientado a identificar candidatos a prefeito com potencial de vitória em cidades que a empresa já tinha concessão – Uruguaiana (RS) e Blumenau, além de municípios que sinalizassem interesse de conceder à iniciativa privada o serviço de saneamento.

Welzel afirma que, na época, identificou três candidatos com chances de eleição: Kuhlmann, então deputado estadual, Ana Paula, também deputada estadual, e Napoleão, à época vereador.

O outro executivo da Odebrecht Ambiental citado nos inquéritos, Fernando Cunha Reis, teria definido os valores e autorizado os três pagamentos, no valor de R$ 500 mil cada — todos por meio de caixa 2 e diretamente aos diretórios das campanhas. Nas planilhas, os candidatos foram identificados como ¿Alemão¿, ¿Musa¿ e ¿Conquistador¿.

Na petição divulgada nesta terça pelo STF, a informação era de que Kuhlmann havia recebido apenas R$ 50 mil em 2012, em vez dos R$ 500 mil mencionados agora na delação. 

Segundo os inquéritos divulgados nesta terça, os valores de Napoleão teriam sido solicitados pelo senador Dalírio Beber (PSDB) e os de Ana Paula pelo deputado federal e marido Décio (PT).

No caso do pagamento a Ana Paula Lima, Welzel afirma na delação ter se encontrado pessoalmente com o deputado Décio no apartamento funcional do parlamentar, em Brasília, para comunicar a decisão de apoiar financeiramente a candidata. Odebrecht tinha interesse em reajuste do contrato com a prefeituraWelzel argumenta na delação que a Odebrecht Ambiental solicitava desde o final de 2010 ¿uma reparação devida por uma série de inadimplementos da própria Prefeitura¿ e que até então a prefeitura não havia dado resposta.

O executivo afirma que o propósito da Odebrecht Ambiental era ter uma interlocução positiva com o vencedor da eleição.O executivo detalha ainda que após a vitória de Napoleão, em janeiro de 2013 a empresa retomou a negociação para o reequilíbrio financeiro solicitado para a prefeitura.

Três meses depois, em abril de 2013, o delator confirma que a prefeitura definiu ¿as ações requeridas para a conclusão dos estudos necessários para se chegar a um bom termo no reequilíbrio econômico-financeiro do contrato¿. Welzel destaca que o acordo foi intermediado e aprovado pela Agência Intermunicipal de Regulação do Médio Vale do Itajaí (Agir).

Confira as delações relacionadas com políticos de Blumenau na íntegra:

Delação de Paulo Welzel

Delação de Fernando Reis
Petição

O que dizem os políticos de Blumenau citados nas delações da Odebrecht

Siga O Sol Diário no Twitter

  • osoldiario

    osoldiario

    O Sol DiárioBalneário Camboriú é a capital do bodyboarding até domingo https://t.co/CjD3DE8TsZhá 1 horaRetweet
  • osoldiario

    osoldiario

    O Sol DiárioConfira a situação do plantel do Figueirense no planejamento para 2018 https://t.co/311Vv2leV5há 2 horas Retweet
O Sol Diário
Busca