Câmara e Senado debatem quem será o sucessor de Temer - Economia - O Sol Diário

De olho na cadeira24/05/2017 | 20h36Atualizada em 24/05/2017 | 20h44

Câmara e Senado debatem quem será o sucessor de Temer

Conversas ocorrem entre partidos da situação e da oposição e preferência é por nome de consenso e sem ambições em 2018

Câmara e Senado debatem quem será o sucessor de Temer Luis Macedo/Câmara dos Deputados,Divulgação
Na Câmara, deputados estenderam faixa pedindo a saída de Temer Foto: Luis Macedo / Câmara dos Deputados,Divulgação
Fábio Schaffner / Brasília e Guilherme Mazui / RBS Brasília

fabio.schaffner@zerohora.com.br;guilherme.mazui@gruporbs.com.br

Uma semana após a eclosão do escândalo da JBS, o presidente Michel Temer viveu nesta quarta-feira seus piores momentos de calvário político. Com dezenas de milhares de pessoas marchando pela Esplanada aos gritos de "Fora, Temer" e o Planalto guarnecido por tropas do Exército, deputados trocavam sopapos no plenário e senadores discutiam sem pudor quem será o próximo presidente.

Acuado pelas investidas jurídica e popular, Temer buscou amparo na bancada do PMDB do Senado. Dezessete dos 22 senadores foram ao beija-mão, embora boa parte deles já admita que o presidente não reúne mais condições de permanecer no cargo. Sem constrangimento, PSDB, DEM, PP, PR, PSD e uma ala do próprio PMDB buscam um substituto.

Leia também
Quais são os nomes cotados para substituir Temer na Presidência
Temer autoriza emprego das Forças Armadas em Brasília após protestos
Parlamentares discutem fim do governo Temer em meio a socos e empurrões 

Em jantar oferecido pela senadora Kátia Abreu (PMDB-TO) na terça-feira, pelo menos 10 parlamentares traçavam o perfil do futuro inquilino do Planalto. Um dos mais eloquentes foi Renan Calheiros (PMDB-AL), que mais cedo havia pedido a renúncia de Temer e ontem nem sequer foi convidado para a reunião no Planalto. Resumo do convescote, regado a queijos e vinhos, mostra que será preciso ser um político aglutinador e, de preferência, sem ambições políticas para 2018. Na ocasião, os senadores também projetaram uma saída honrosa para Temer, cogitando inclusive aprovar a reforma trabalhista.

— Seria uma forma de ter um legado para poder dizer que saiu, mas pelo menos deixou alguma coisa ao país — comenta o senador Lasier Martins (PSD-RS).

Nesse ambiente de permanente conchavo, os presidentes da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ,) e do Senado, Eunício Oliveira (PMDB-CE,) fazem consultas abertas a juristas e técnicos legislativos sobre como proceder diante da vacância da Presidência. Maia prometeu a Temer que não irá aceitar nenhum dos 12 pedidos de impeachment e ninguém acredita em renúncia — pelo menos não nos próximos dias. A sensação unânime é de que o presidente terá o mandato cassado pelo Tribunal Superior Eleitoral no dia 6 de junho.

Nos bastidores, crescem as credenciais do ex-ministro Nelson Jobim e do senador Tasso Jereissati (PSDB-CE). Há quem entenda que a definição do nome de consenso passará pelo grupo de Temer, como os ministros Eliseu Padilha (Casa Civil) e Moreira Franco (Secretaria-Geral).

— Eles têm a caneta e a máquina do governo. Vão definir uma saída boa para eles — diz um parlamentar.

Tasso é tido como favorito no colégio eleitoral. Maia corre por fora. Embora negue ter pretensões ao Planalto, a ambição é reconhecida por seus colegas de partido. Com votos no baixo clero, sofre resistência dos grandes partidos, como PSDB e PMDB. Sua candidatura, porém, forçaria a necessidade de uma nova eleição para a presidência da Câmara, o que traria instabilidade à Casa.

— Bem ou mal, com seus problemas, a Câmara vem funcionando. Se ele for candidato, teremos de mexer em duas posições. O melhor é substituir apenas uma peça — avalia um colega de bancada.

 

Siga O Sol Diário no Twitter

  • osoldiario

    osoldiario

    O Sol DiárioMoeda Verde: saiba quem são os absolvidos na sentença da primeira instância da operação https://t.co/KRlzy5Idlnhá 14 minutosRetweet
  • osoldiario

    osoldiario

    O Sol DiárioMoeda Verde: Saiba o que acontece com o processo após a condenação em primeira instância https://t.co/AaUTHFD5Nmhá 34 minutosRetweet
O Sol Diário
Busca
clicRBS
Nova busca - outros