"Temos compromisso com o país", diz senador Paulo Bauer (PSDB-SC) sobre apoio do partido a Temer - Economia - O Sol Diário

Continua na base aliada26/05/2017 | 13h48Atualizada em 26/05/2017 | 16h46

"Temos compromisso com o país", diz senador Paulo Bauer (PSDB-SC) sobre apoio do partido a Temer

Reunião entre líderes tucanos sacramentou a manutenção do apoio ao presidente, pelo menos até o julgamento da chapa Dilma-Temer no TSE

"Temos compromisso com o país", diz senador Paulo Bauer (PSDB-SC) sobre apoio do partido a Temer Beto Barata/Agência Senado/Divulgação
Foto: Beto Barata / Agência Senado/Divulgação

Um encontro de lideranças na noite de quinta-feira em São Paulo, no apartamento do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso, sacramentou a manutenção do apoio do PSDB ao presidente Michel Temer (PMDB) — ao menos enquanto o julgamento da chapa Dilma-Temer não termina no Tribunal Superior Eleitoral (TSE). Líder do partido no Senado, o catarinense Paulo Bauer diz que a decisão se baseia nas prioridades de reformas do governo, que não foram alteradas em meio ao turbilhão político que atinge Brasília.

— Não houve alteração no rumo que vinha sendo perseguido desde que o Temer assumiu ainda como presidente interino, de reformas, aquecimento da economia, eficiência da gestão pública. Se o governo não tem mudanças, não temos motivo pra deixar a base — argumenta.

Bauer destaca que o entendimento é de que as denúncias apontadas nas delações da JBS devem ser tratadas pelo Judiciário e, enquanto não se apuram todos os fatos, não há razão para o PSDB desembarcar do governo. O tucano diz ainda que a sigla tem consciência da importância no atual cenário, como segunda maior bancada do Congresso, com papel fundamental na aprovação das reformas consideradas necessárias ao país.

— Estamos cientes e conscientes da nossa responsabilidade. Não para com o Temer, mas para com o país. Não com o PMDB, mas com o Brasil. Temos um compromisso com o país — afirma.

Presidente interino do PSDB, o senador cearense Tasso Jereissati informou que haverá conversas com os ministros da sigla nos próximos dias para ouvir a opinião deles, mas reiterou o posicionamento oficial de permanecer na base aliada de Temer.

— Vamos intensificar as conversas cada vez mais e acompanhar o desdobramento da crise, com muita responsabilidade e cautela. Temos noção da nossa responsabilidade com o dia de hoje e não vamos fazer uma coisa que seja de repente, de maneira açodada. O PSDB está no governo — declarou em coletiva de imprensa após a reunião com os caciques tucanos em São Paulo, reforçando que o apoio será novamente discutido conforme o julgamento do TSE.

O encontro dos líderes concluiu um caminho aberto por uma reunião na quarta-feira entre Jereissati e a bancada do PSDB na Câmara dos Deputados, em que os parlamentares já tinham se posicionado favoravelmente à manutenção da unidade de todos os segmentos da legenda em função da crise envolvendo o governo. Foi definido que qualquer decisão a respeito da crise política será tomada em conjunto pelo partido.

Leia também:

Pedido da OAB por impeachment pode influenciar julgamento no TSE

Temer aposta na falta de união entre opositores para negociar permanência

Ministros do STF admitem que podem rever delação da JBS

 

Siga O Sol Diário no Twitter

  • osoldiario

    osoldiario

    O Sol DiárioWP9 pede atenção para Chape após quarta derrota em cinco jogos https://t.co/KgmyM0w4hShá 1 horaRetweet
  • osoldiario

    osoldiario

    O Sol DiárioBasquete de Joinville vence o Botafogo e empata série decisiva https://t.co/YdQd5QWmwvhá 1 horaRetweet
O Sol Diário
Busca
clicRBS
Nova busca - outros