Após cinco temporadas, zagueiro Rafael Lima deixa a Chapecoense  - Esporte - O Sol Diário

Fim do ciclo23/12/2016 | 17h18Atualizada em 23/12/2016 | 17h18

Após cinco temporadas, zagueiro Rafael Lima deixa a Chapecoense 

Defensor enviou carta de de agradecimento ao clube na despedida

Após cinco temporadas, zagueiro Rafael Lima deixa a Chapecoense  Cleberson Silva/Chapecoense
Foto: Cleberson Silva / Chapecoense

Um dos atletas mais identificados com a história recente da Chapecoense, o zagueiro Rafael Lima não continuará no clube na próxima temporada. Nesta semana, o atleta acertou o seu desligamento do Verdão após cinco anos de conquistas importantes na equipe, como os acessos da Série C até a Série A.

Nascido em Florianópolis, Rafael Lima começou a jogar nas categorias de base do Figueirense, mas foi no clube do Oeste do Estado que teve a sua passagem mais brilhante. Passou ainda por Atlético Sorocaba, Ceará, Hercílio Luz, Al Sharjah, dos Emirados Árabes, até ser contratado pelo Verdão em 2012.

Considerado um dos líderes do elenco durante todo esse período, ele perdeu espaço no grupo após uma lesão no início do ano. Não seguiu viagem com a Chapecoense para Medellín por opção do técnico Caio Júnior. Ao todo, fez 206 jogos pela equipe, marcando sete gols.

Por meio de sua assessoria de imprensa, o defensor divulgou uma carta de despedida. Confira:

"Essa semana chegou ao fim uma relação que, além de vitoriosa, ficará marcada para sempre na minha vida. Difícil falar da Chapecoense, um clube que me acolheu tão bem no momento mais difícil da minha carreira. Quando estava pensando em desistir do futebol, recebi um telefone e acertei minha ida para Chapecó para disputar a Série C do Campeonato Brasileiro em 2012. Com uma gestão diferenciada, a Chape foi subindo degrau por degrau até se tornar um dos clubes mais queridos do país.

Infelizmente, neste final de ano tivemos que conviver com uma tragédia que acabou fazendo com quem as pessoas refletissem mais sobre suas vidas. Nos separamos momentaneamente de pessoas do bem, pais de família fantásticos e profissionais exemplares. Como todos já falaram, a Chape não era apenas um time de futebol, e sim, uma família que vivia em plena harmonia, compartilhando alegrias e tristezas. São guerreiros que o mundo reverenciará pelo resto da vida.

Só tenho a agradecer ao povo de Chapecó, que sempre me tratou com muito respeito, a diretoria e funcionários, em especial ao João Carlos Maringá e ao ex-treinador Gilmar Dal Pozzo, que apostaram em mim e deram a oportunidade de mostrar o meu futebol, a todos os amigos que deixo na cidade, mas que levarei comigo no meu coração, e a todos os atletas que estiveram do meu lado durante esses cinco anos e ajudaram o clube a alcançar todos os nossos objetivos.

Independente do caminho que vou seguir, estarei sempre na torcida para que a Chapecoense continue escrevendo essa bonita história, com muita seriedade e profissionalismo e que hoje serve de modelo para clubes que possuem o sonho e a ambição de chegar na elite do futebol brasileiro e agora também mundial.

Muito obrigado! #ForçaChape"

Leia mais
Chapecoense conhece rivais na Libertadores de 2017
Saiba mais sobre os rivais da Chape na Libertadores

 

Siga O Sol Diário no Twitter

  • osoldiario

    osoldiario

    O Sol DiárioVÍDEO: Técnico blumenauense fala sobre experiência na Seleção Brasileira de Handebol https://t.co/RwXDb7jKNDhá 5 minutosRetweet
  • osoldiario

    osoldiario

    O Sol Diário"A corrupção está no Brasil há 500 anos", diz o ex-ministro da CGU em Itajaí https://t.co/DJ6xT3w6DOhá 5 minutosRetweet
O Sol Diário
Busca
clicRBS
Nova busca - outros