Saiba mais sobre os adversários da Chapecoense na Libertadores - Esporte - O Sol Diário

No caminho do Verdão23/12/2016 | 07h18Atualizada em 23/12/2016 | 07h18

Saiba mais sobre os adversários da Chapecoense na Libertadores

Confira o histórico das equipes, quem foram os atletas destaques da última temporada e a classificação de dificuldade indicada pelo DC

Saiba mais sobre os adversários da Chapecoense na Libertadores Arturo Bravo/Zulia
Foto: Arturo Bravo / Zulia

A Chapecoense conheceu nesta semana os seus rivais na fase de grupos da Copa Libertadores da América. No grupo 7, o clube vai enfrentar o tradicional Nacional, do Uruguai, o cada vez mais perigoso Lanús, da Argentina, e o desconhecido Zulia, da Venezuela. O DC levantou o perfil dos rivais da equipe de SC para analisar qual será o tamanho da pedreira. Confira o histórico das equipes, quem foram os atletas destaques da última temporada e a classificação de dificuldade indicada pelo Diário

Zulia Fútbol Club
Fundação: 2005 (11 anos).
Cidade: Maracaibo, Venezuela.
1ª participação na Libertadores.
2º lugar no último campeonato venezuelano.
199º lugar no ranking da Conmebol.

O clube
Fundado em 2005, o jovem time do Zulia chegou a sua primeira Libertadores por ter terminado o campeonato venezuelano na segunda posição – seu melhor resultado na história. Campeão da Copa da Venezuela em 2016, o time também foi o vencedor do Torneio Clausura (o segundo turno do campeonato nacional). Na decisão, perdeu para o Zamora. Os Petroleros – apelido pelo qual o time é conhecido – ficam sediados na cidade de Maracaibo, capital do Estado de Zulia - que empresta o seu nome ao clube. O time joga no Estádio José Encarnación Romero, que tem capacidade para 45 mil torcedores.

O destaque
Formado nas divisões de base do próprio Zulia, o camisa 10 Jefferson Savarino é a referência técnica da equipe negriazule. O baixinho destro de 1m69cm é descrito como um jogador de velocidade, habilidade, visão de jogo e versatilidade. Na última temporada, mostrou outra característica importante para o time chegar ao êxito: o faro de gol. Com cinco gols no Apertura, somados aos 13 no Clausura e três na Copa da Venezuela, totalizou 21 tentos na temporada - número bastante superior aos seis que fez em 2015.

Foto: Lanús / Divulgação

Club Atlético Lanús
Fundação: 1915 (101 anos). Cidade: Buenos Aires, Argentina.
6 participações na Libertadores.
Eliminado nas quartas de final em 2014.
6º lugar no atual campeonato argentino.
42º lugar no ranking da Conmebol.

O clube
Em sua história, o time da região metropolitana de Buenos Aires conquistou dois títulos argentinos – o último deles justamente na última temporada, o que credenciou a equipe à disputa da Libertadores. Na atual edição, o time está na sexta colocação. Em 14 jogos, soma sete vitórias, cinco empates e duas derrotas. Nos últimos anos, tem se tornado uma figurinha carimbada na disputa da competição continental, tendo jogado em 2008, 2009, 2010, 2012 e 2014. Na última delas teve o seu melhor resultado, chegando até as quartas de final, tendo sido eliminado pelo Bolívar. Foi campeão da Sul-Americana em 2013.

O destaque
Com poucos estrangeiros no grupo, o Lanús aposta no DNA argentino para compor o elenco. O time não tem nomes de grande destaque internacional, mas tem peças que ajudam a explicar o porquê de viver um bom momento. No ataque, a dupla formada por Lautaro Acosta e José Sand resolve. O primeiro tem cinco gols no ano, o segundo, seis. Lá atrás, o camisa 1 Fernando Monetti é a referência. Titular em todas as partidas do time no campeonato argentino deste ano, ele é o goleiro menos vazado entre os 10 primeiros colocados.


Foto: Juan Pablo Flores / Nacional

Club Nacional de Football
Fundação: 1899 (117) anos.
Cidade: Montevidéu, Uruguai.
44 participações de Libertadores.
Três títulos da Libertadores (1971, 1980 e 1988).
Atual campeão uruguaio.
4º no ranking da Conmebol.

O clube
É o time que tem a camisa mais pesada do grupo 7. O Rey de Copas já conquistou três vezes a Libertadores. O time também é tricampeão mundial. O último título conquistado foi em 1988, mas isso não significa que a tradição do clube tem menos importância. No ano passado, na fase de grupos, esteve no mesmo do Palmeiras. Venceu o time paulista dentro e fora de casa e avançou com um ponto a mais que o atual campeão brasileiro. Só não chegou à semifinal porque foi eliminado pelo Boca Juniors nos pênaltis. Mas, antes disso, eliminou o Corinthians nas oitavas. É o atual campeão uruguaio.

O destaque
Do atual elenco da equipe, 12 jogadores são formados nas categorias de base do Nacional. Um exemplo conhecido de atleta oriundo da equipe é o veterano meia Martin Liguera, de 36 anos. Ele é conhecido no cenário catarinense por ter defendido o Joinville em 2013, em uma temporada em que teve atuações bastante irregulares. Em Montevidéu, no entanto, ele continua mostrando a sua classe. No campeonato uruguaio, o meia entrou em campo 13 vezes e marcou seis gols – uma ótima média para um atleta da sua posição.

Leia mais
Chapecoense conhece rivais na Libertadores de 2017

Siga O Sol Diário no Twitter

  • osoldiario

    osoldiario

    O Sol DiárioMinistério Público investiga suspeitas de fraude no concurso da Guarda de Itajaí https://t.co/bTP0KmkYEthá 10 horas Retweet
O Sol Diário
Busca