Com o apoio da torcida, Chapecoense encara o Nacional pela Libertadores - Esporte - O Sol Diário

No Uruguai27/04/2017 | 07h20Atualizada em 27/04/2017 | 07h20

Com o apoio da torcida, Chapecoense encara o Nacional pela Libertadores

Cerca de 300 torcedores viajaram para Montevidéu para acompanhar o jogo do Verdão a partir das 19h30min desta quinta-feira

Com o apoio da torcida, Chapecoense encara o Nacional pela Libertadores Arte DC/Agência RBS
Foto: Arte DC / Agência RBS
darci debona

O "Vamos, vamos, Chape" vai ser ouvido em alto e bom som no Parque Central, em Montevidéu, onde a Chapecoense enfrenta o Nacional a partir das 19h30min desta quinta-feira. Cerca de 300 torcedores alviverdes são esperados para o confronto decisivo do Grupo 7. Alguns foram de avião, outros de carro e a maioria, de ônibus. Quatro veículos partiram de Chapecó ontem para encarar as 15 horas de viagem.

Teve torcedor tão ansioso que chegou uma hora antes ao estádio para aguardar o comboio. Foi o caso do vendedor Adão Costa e do filho João Vitor, que vão viajar pela primeira vez com a torcida. Eles vão aproveitar para conhecer o Uruguai e apoiar a Chapecoense.

Mas na delegação há também torcedores mais experientes, como Valmor Boniatti, que já foi num jogo contra o Botafogo no Rio de Janeiro, em 2014, e contra o San Lorenzo, em Buenos Aires, na semifinal da Sul-Americana do ano passado. Ele levou três camisas do time e mais uma bandeira. Mas levou também casaco para enfrentar o frio da viagem.

– Vai dar 2 a 1 contra o Nacional – projetou, otimista.

Outro torcedor experiente é o representante comercial Nigo Renner, que integra um grupo de nove amigos de Cunha Porã. Ele já esteve em Buenos Aires na derrota por 3 a 1 para o River Plate, em 2015, e no empate por 1 a 1 na semifinal do ano passado, contra o San Lorenzo, ambos pela Sul-Americana.

A Chapecoense começou sua peregrinação internacional em 2015, quando disputou pela primeira vez a Sul-Americana. Naquele ano, os torcedores puderam conhecer o Paraguai, pois a Chapecoense eliminou o Libertad. Depois foi a Buenos Aires e caiu diante do River Plate. No ano passado, foram dois argentinos no caminho: Independiente e San Lorenzo. Teve também o Junior Barranquilla, da Colômbia.

Verdão reforça marcação no jogo contra o Nacional-URU

Com todos os titulares disponíveis para o jogo contra o Nacional, em Montevidéu, o técnico Vagner Mancini deve fazer apenas uma mudança em relação ao empate entre as duas equipes ocorrido na Arena Condá, no dia 18 de abril. O volante Moisés Ribeiro, que entrou durante a partida, deve começar como titular.

A previsão é de que o lateral direito Apodi saia do time, com João Pedro, que vinha jogando improvisado no meio, retornando à sua posição de origem.

Após o empate em Chapecó, o técnico Vagner Mancini já falava que deveria fazer alguma mudança na equipe para tentar surpreender os uruguaios.

– O segredo é jogar com velocidade na partida para tentar quebrar a linha defensiva do Nacional – projetou Mancini.

Um dos problemas para o Verdão é que o lateral Fucile, da seleção uruguaia, que não jogou em Chapecó, estará de volta ao time. Em compensação o meia Arismendi está suspenso.

Ficha técnica

Nacional: E. Conde; Fucile, Diego Polenta, Rafael García e Alfonso Espino; Santiago Romero, Gonzalo Porras , Alvaro González e Kevin Ramírez; Hugo Silveira e Rodrigo Aguirre. 

Técnico: Martín Lasarte. 

Chapecoense: Artur Moraes; João Pedro, Luiz Otavio, Nathan e Reinaldo; Andrei Girotto, Moisés e Luiz Antonio; Rossi, Wellington Paulista e Arthur Caike. 

Técnico: Vagner Mancini. 

Arbitragem: Eber Aquino, auxiliado por Rodney Aquino e Darío Gagna (trio do Paraguai).
Local: Estádio Parque Central, em Montevidéu-URU.

Leia mais notícias sobre a Chapecoense 
Chapecoense terá dois dias de preparação para enfrentar o Avaí
Poucas lesões e ritmo de jogo deixam Chapecoense preparada para sequência de jogos decisivos
Avaí e Chapecoense: um raio x dos finalistas do Catarinense


O Sol Diário
Busca