Metropolitano contra os números na batalha decisiva no Estreito - Esporte - O Sol Diário

Catarinense 201722/04/2017 | 07h05

Metropolitano contra os números na batalha decisiva no Estreito

Para se safar do rebaixamento, o Verdão de Blumenau precisa vencer o Figueirense pela primeira vez no Es´tadio Orlando Scarpelli e ainda torcer por tropeços de Barroso e Inter de Lages

O Metropolitano seguirá na Série A do Campeonato Catarinense em 2018? A matemática diz que é possível. A probabilidade é reduzida, mas existe. Dada a quantidade de variáveis, a tarefa é um tanto complexa. Similar às equações que só um gênio como Sheldon Cooper, do seriado The Big Bang Teory, é capaz de solucionar.

Vamos lá: três pontos a mais na conta do Metrô, somados a tropeços (leia-se derrotas ou na pior das hipóteses empates) de Almirante Barroso e Inter de Lages nos jogos com Tubarão e Avaí, em Itajaí e Lages, respectivamente... Bazinga! O Verdão segue na elite do Estadual na próxima temporada, como mostra o gráfico abaixo.

A missão do técnico Mauro Ovelha e seus comandados é difícil. E fica um pouco mais complicada se adicionarmos outros números nessa fórmula. A começar pela parte que diz respeito ao Metropolitano. Desde que chegou à elite do Catarinense, o time de Blumenau N-U-N-C-A (isso mesmo, nenhuma vez, zero, jamais) venceu o Figueirense no gramado do Orlando Scarpelli.

Em 14 jogos no estádio do Estreito, o Verdão contabiliza um empate e 13 derrotas diante do algoz de domingo. É preciso somar isso ao fato de o Metrô ser um dos três times que ainda não venceu como visitante nesta edição do Estadual: foram três empates e cinco derrotas longe de Blumenau.

::: Clique aqui e veja um gráfico o histórico dos confrontos entre Figueirense e Metropolitano na Capital

O nível de complexidade da resolução é elevado um pouco mais se levarmos em consideração os desempenhos dos outros times envolvidos na equação. A começar pelo Inter de Lages, principal rival do Metrô na luta para escapar do rebaixamento. Dos 24 pontos que disputou no Estádio Vidal Ramos Júnior até aqui, o Leão Baio somou 15 e, destaque-se, foi superado uma única vez: 3 a 0 para o Brusque, na oitava rodada do turno.

Por outro lado, o Avaí, adversário do Colorado lageano, é o visitante mais indiscreto do torneio: em oito jogos, soma cinco vitórias, dois empates e uma única derrota.

Na outra ponta dessa equação, novos fatores elevam a potência do dilema. O Tubarão, assim como o Metrô, é uma das equipes que ainda não triunfou fora de seus domínios: contabiliza dois empates e seis derrotas.

O Barroso, por sua vez, volta ao Estádio Camilo Mussi embalado por duas vitórias consecutivas e – apesar de ter a pior campanha como mandante no Estadual junto do Figueirense, com 11 pontos – aposta no retrospecto positivo na grama sintética de Itajaí: desde que retornou ao futebol profissional, em 2016, o time perdeu apenas três das 18 partidas disputadas no campo artificial, superou o próprio Tubarão ano passado, na final da Série B do Estadual.

Diante de todas essas variáveis, até o astrônomo, físico e matemático francês Pierre-Simon Laplace, pai da Teoria das Probabilidades, diria: Difícil? Sim. Improvável? Talvez. Impossível? Jamais.

JORNAL DE SANTA CATARINA

 

Siga O Sol Diário no Twitter

  • osoldiario

    osoldiario

    O Sol DiárioAngústia e esperança nas filas da saúde de Blumenau https://t.co/TiTxvjH2nEhá 21 minutosRetweet
  • osoldiario

    osoldiario

    O Sol DiárioMinistro da Justiça planeja trocar o diretor da Polícia Federal, diz jornal https://t.co/GN1URsxR1dhá 39 minutosRetweet
O Sol Diário
Busca
clicRBS
Nova busca - outros