Nove verdades e uma mentira sobre o Campeonato Catarinense - Esporte - O Sol Diário

Na onde das redes25/04/2017 | 07h03Atualizada em 25/04/2017 | 07h04

Nove verdades e uma mentira sobre o Campeonato Catarinense

Descubra quais os fatos que são reais e o que não é

A brincadeira dominou o Facebook nos últimos dias. O usuário é convidado a escrever em uma lista nove fatos sobre sua vida e inventar uma informação. E o Campeonato Catarinense deste ano foi tão cheio de curiosidades que o DC fez o mesmo: no levantamento abaixo, nove fatos são reais e apenas um não é. Mas, para quem acompanhou o Estadual, não há motivo para apreensão. É só empurrar a bola para o fundo do gol e a gabaritar o teste. Para quem ficar em dúvida, a resposta está no fim da matéria.

1 - O placar que mais vezes se repetiu no Estadual foi o 1 a 0. Ao todo, o resultado apareceu em 17 jogos. O Criciúma foi o clube que mais venceu por este marcador, quatro partidas no total. Já o JEC é a equipe que mais foi derrotada por 1 a 0, também em quatro ocasiões. O segundo placar mais repetido foi o 2 a 0, em 13 confrontos, seguido pelo 0 a 0 e o 2 a 1, em 11 duelos cada.

2 - A maior goleada do Catarinense foi pelo placar de 7 a 0. Na segunda rodada do returno, a Chapecoense atropelou o Tubarão. Na Arena Condá, o volante Andrei Girotto foi destaque, chacoalhando as redes três vezes naquele duelo. Porém, esta não foi a partida com mais tentos assinalados. Na oitava rodada do primeiro turno, o Criciúma venceu o Metropolitano por 5 a 4, em um jogão de nove gols.

Foto: Márcio Cunha / Especial

3 - As redes balançaram mais vezes no returno. Na primeira metade da disputa, foram marcados 117 gols nos 45 jogos (média de 2,6). Com o tento assinalado ontem por Adalgiso Pitbull, na vitória do Tigre sobre a Chape, o último do segundo turno, a etapa teve 132 tentos nos outros 45 duelos (média de 2,93). Antes dos dois jogos da decisão, o Estadual tem a média de 2,76.

4 - Foram anotados apenas sete gols em cobranças de falta no campeonato. Quem mais fez o tiro de fora da área passar pela barreira e pelo goleiro do adversário foi o Criciúma, que anotou três vezes desta maneira. E com três jogadores diferentes: Carlos Eduardo, Alex Maranhão e Douglas Moreira. Almirante Barroso, Avaí, Brusque e Chapecoense fizeram um gol cada em cobranças de falta.

Foto: Caio Marcelo / Especial

5 - Os atacantes Jonatas Belusso e Rentería, que defenderam Brusque e Tubarão, respectivamente, são os atletas com mais gols. Cada um fez 11, mas o colombiano do Peixe leva vantagem por ter disputado quantidade inferior de jogos, 14 a 18. O atleta que tem mais chance de alcança-los é Denilson, do Avaí. Ele tem oito gols e terá mais dois jogos pela frente.

6 - Os árbitros trilaram o apito com o braço apontado para a marca fatal 24 vezes no decorrer das 90 partidas disputadas no turno e returno. A Chapecoense e o Tubarão foram os time que mais tiveram penalidades máximas a favor: quatro cada. Também quatro foi a quantidade de pênaltis marcados contra Almirante Barroso e Inter de Lages, os que mais sofreram.

7 - Avaí e Chapecoense não fizeram as melhores campanhas do turno e do returno, respectivamente, e estão de fora das finais do Campeonato Catarinense. Caso tivessem classificado, o primeiro jogo seria no próximo domingo, dia 1º de maio, na Ressacada, e o segundo e decisivo na Arena Condá, no domingo seguinte, no dia 7.

8 - Mais da metade dos confrontos disputados teve vitória do mandante. Os donos de casa prevaleceram em 54,4% dos jogos até o momento. Triunfar longe dos domínios foi algo difícil. A vitória do visitante ocorreu em 21,2% das partidas. Os times que mais venceram fora de casa foram Avaí e Chapecoense, cinco vezes cada.

9 - O cartão vermelho saiu do bolso dos árbitros para ser apresentado aos jogadores 27 vezes. O Avaí foi o único time que não teve atleta expulso ao longo das 18 rodadas - turno e returno. Por outro lado, o Criciúma foi o time que mais recebeu cartões desta cor: seis. O zagueiro Diego Giaretta e o volante Barreto receberam o vermelho duas vezes cada.

10 - Metade das equipes desta edição do Catarinense efetuou trocas no comando técnico de seus elencos. Teve treinador que saiu e voltou à competição por outro clube: Mauro Ovelha, o primeiro a perder o cargo. Saiu do Brusque e retornou ao Estadual para dirigir o Metropolitano, em substituição a Cesar Paulista. Além dos dois times, também mudaram de comandantes Tubarão, Figueirense e Inter de Lages.

Resposta - Avaí e Chapecoense foram, respectivamente, campeões do turno e do returno do Estadual. As duas finais estão marcadas para os dois próximos domingos, com o primeiro jogo sendo disputado na Ressacada, no dia 30 de abril, e a grande decisão prevista para acontecer na Arena Condá, em 7 de maio. Então, a alternativa incorreta é a de número 7.

Acesse a tabela do Catarinense

 

Siga O Sol Diário no Twitter

  • osoldiario

    osoldiario

    O Sol DiárioO caminho da equipe de Blumenau para o acesso à elite do basquete https://t.co/aN38tUdHFfhá 53 minutosRetweet
  • osoldiario

    osoldiario

    O Sol DiárioTerça-feira será mais um dia de tempo instável e chance de temporais em parte de SC https://t.co/LiaQbWf90ahá 1 horaRetweet
O Sol Diário
Busca
clicRBS
Nova busca - outros