O caminho da Série B para o possível retorno do Metropolitano à elite - Esporte - O Sol Diário

Estadual25/04/2017 | 07h01

O caminho da Série B para o possível retorno do Metropolitano à elite

Após 14 anos, em 2018 o Verdão voltará a disputar a Série B do Catarinense. O trajeto, no entanto, será mais difícil do que na década passada

Tijucas, Timbó, São Bento do Sul e até Campos Novos tinham times de futebol profissional quando o Metropolitano disputou a última vez a Segunda Divisão do Campeonato Catarinense. Dos 11 clubes que o Verdão enfrentou no longínquo ano de 2004, nove não existem mais. Camponovense, Caxias de Joinville, Kindermann de Caçador, Atlético de Ibirama, Lages, São Bento, Tiradentes, Tubarão (o Futebol Clube, não o Clube Atlético) e União. Daquela época, apenas dois velhos conhecidos poderão estar em cena – caso não subam esse ano, é claro: Marcílio Dias e Guarani de Palhoça.

Uma série de obstáculos fazem parte do circuito do Metrô na busca pelo acesso. Diferentemente de 14 anos atrás, desta vez a Segundona está consolidada, com times tradicionais e outros novatos que buscam um lugar ao sol. Ninguém é bobo e, pedregosa, a Série B pode ser mais cruel do que parece. Mesmo tendo que enfrentar times jovens como o Fluminense do Itaum (profissionalizado em 2015), Barra de Balneário Camboriú, ou então tradicionais como o Juventus de Jaraguá do Sul e o Hercílio Luz, bicampeão em Santa Catarina.

No clichê do futebol, é possível dizer que é a típica competição nivelada por baixo, em que um grupo de jogadores grande e experiente pode ser o início para retornar à elite. Querer se livrar dela, no entanto, necessita que se deixem de lado os egos e o passado entre os grandes. Achar que pode vencê-la de qualquer forma é o pior dos pensamentos – basta lembrar do Marcílio Dias no ano passado que terminou na antepenúltima colocação, longe, muito longe, de almejar a volta à Primeira Divisão em 2017.

Para retornar à elite, o Metropolitano precisará ter paciência. Muita paciência. Dar um passo de cada vez e não se desesperar se as coisas não forem como se planeja são essenciais. Ainda falta mais de um ano para que entre em campo e inicie o desafio de estar novamente entre os melhores. É pau, é pedra. Mas, definitivamente, não é o fim do caminho. Pelo contrário. É um recomeço para voltar ao lugar em que o clube se acostumou a estar nas últimas 13 temporadas.


Possíveis adversários
Dois deles irão subir, é verdade, e outro virá da Série C do Catarinense (Blumenau, Imbituba, Curitibanos, Caçador ou Porto), mas sete duelarão contra o Metropolitano na busca pela elite no ano que vem. De certo, por enquanto, é apenas o fato que o Verdão reencontrará o Almirante Barroso, também rebaixado neste ano. Entre conhecidos de outros carnavais e completos estranhos, conheça os possíveis adversários do Metrô em 2018.

JORNAL DE SANTA CATARINA - Blumenau

 
O Sol Diário
Busca
clicRBS
Nova busca - outros