Arthur Caíke é mais uma dúvida na Chapecoense para encarar o Avaí - Esporte - O Sol Diário

Baixas no elenco26/05/2017 | 19h28Atualizada em 26/05/2017 | 19h28

Arthur Caíke é mais uma dúvida na Chapecoense para encarar o Avaí

Nathan e João Pedro também estão lesionados

Arthur Caíke é mais uma dúvida na Chapecoense para encarar o Avaí Márcio Cunha/Especial
Arthur Caíke setiu dores no tornozelo direito após o jogo contra o Zúlia, pela Libertadores Foto: Márcio Cunha / Especial

Depois das lesões de João Pedro e Nathan a Chapecoense tem outro jogador ameaçado de não atuar contra o Avaí, o atacante Arthur Caíke.Em entrevista coletiva nesta sexta-feira o técnico Vagner Mancini afirmou que jogador é dúvida, em virtude de um tratamento no tornozelo direito.

- Eu já tenho em mente o que devo colocar em campo mas ao longo da semana a gente teve ainda outro desfalque, o Arthur Caíke é outro que não fez nada ontem, não fez nada hoje, possivelmente amanhã ele vai reaparecer no campo, tem que reavaliar o jogador, o João Pedro é um atleta que possivelmente vai ficar de fora mas eu tenho outros atletas, tenho Seijas, tenho Nenén que tem entrado bem, tenho o Osman que tem entrado bem, tem o Niltinho, então são atletas que podem entrar- avaliou.

Vagner Mancini lembrou que o confronto de segunda-feira é o reencontro das duas equipes que disputaram a final do catarinense. Por isso prevê o jogo mais difícil desde a final da Recopa, quando perdeu por 4 a 1 para o Atlético Nacional. Nas últimas quatro partidas a Chapecoense venceu três e empatou duas.

- O Avaí é rival, é um adversário que sempre dificulta muito para a Chapecoense, então em cima disso a gente está falando para os atletas já, desde o início da semana, que vai ser uma partida um pouco diferente daquela que nós enfrentamos diante do Palmeiras, do Corinthians, ou até mesmo do Lanús fora, o Avaí não vai vir jogar aqui aberto, ele vai jogar fechado, então nós temos que saber que essa dificuldade vai ser imposta e também por ser um time rival, que jogou o estadual com a gente, que chegou na final com a gente- destacou.

Mancini lembrou também que, além da rivalidade, os dois times brigam pelo mesmo objetivo, que é para permanecer na Série A do Brasileirão. Por isso o confronto tem um significado ainda maior dentro das pretensões de classificação.

- A matemática é simples, se você quer se manter na Série A você não pode perder pontos contra adversários que são do seu tamanho e você tem que buscar o maior número de pontos possíveis contra adversários que normalmente essas equipes vão ser derrotadas, dentro disso daí o jogo do Avaí é um jogo de seis pontos para a gente- declarou.

O treinador disse que a Chapecoense precisa somar o maior número de pontos possível dentro da Arena Condá. E que vai aproveitar a folga sem jogos no sábado e domingo, algo raro, para treinar a equipe e observar os futuros adversários no Brasileirão.

Para o jogo contra o Avaí, às 20h de segunda-feira, a direção da Chapecoense fez preços promocionais, a R$ 40 (Geral), R$ 60 (Social) e R$ 100 (Cadeiras).

Leia todas as notícias da Chapecoense

Acesse a tabela da Libertadores

De virada e nos acréscimos, Chapecoense vence o Zulia

Presidente da Chapecoense reconhece erro, mas aponta falhas da Conmebol e pressão do Lanús

 
O Sol Diário
Busca
clicRBS
Nova busca - outros