Inter goleia o Londrina em estreia na Série B do Brasileirão - Esporte - O Sol Diário

Boa largada13/05/2017 | 18h21Atualizada em 13/05/2017 | 21h06

Inter goleia o Londrina em estreia na Série B do Brasileirão

Com gols de D'Ale e Nico (duas vezes), time começou com vitória por 3 a 0 a campanha para retornar à elite do futebol nacional

Inter goleia o Londrina em estreia na Série B do Brasileirão Ricardo Duarte/Internacional/Divulgação
D'Alessandro e Nico López marcaram os gols do Inter Foto: Ricardo Duarte / Internacional/Divulgação
Amanda Munhoz - enviada a Londrina
Amanda Munhoz - enviada a Londrina

amanda.munhoz@zerohora.com.br

Começou, enfim, a epopeia do Inter para retornar à Série A. E foi com o pé esquerdo. Pé esquerdo de D¿Alessandro e de Nico López. À frente de mil colorados no Estádio do Café, o Inter goleou o Londrina por 3 a 0 e inicia o caminho da Segunda Divisão líder por conta do saldo de gols.

O capitão colorado abriu a vitória ao converter um pênalti e o atacante uruguaio Nico López fechou o placar com outros dois gols. Agora, o Inter muda as atenções de competição e encara o Palmeiras, pelas oitavas da Copa do Brasil, quarta-feira, em São Paulo. 

Leia mais:
Cotação ZH: D'Alessandro e Nico López são os destaques do Inter na goleada contra o Londrina
Jogadores do Inter celebram vitória na estreia: "Passo a passo"
Confira a tabela completa da Série B

O Inter começou a sua passagem pela Série B devagar, semelhante à atitude do time que perdeu o título para o Novo Hamburgo, no Gauchão. Ainda assim, o Londrina pouco fez contra o gol colorado. Isso que quem vestiu a camisa 1 do Inter era um estreante. Com as lesões de de Danilo Fernandes, Marcelo Lomba e Keiller, quem assumiu a posição foi Daniel, goleiro de 23 anos oriundo da base.

No ataque, outro estreante: Marcelo Cirino, que se sentiu bem à vontade pelo lado esquerdo. Logo aos cinco minutos, foi dele a chance de abrir o placar na casa do Londrina, ao receber dentro da área lançamento de William. O atacante mandou para o gol, já sem goleiro. Quase na linha, Matheus mandou para escanteio.

Mas ainda não era a hora de seu Vieira trabalhar. Vestido com as cores do Londrina e com um boné para se proteger do sol e a sensação térmica de 33ºC, era do simpático senhor a missão de garantir que o placar de papel estivesse correto. Aqui, mais uma mostra de que, na Série B, tudo é raiz, na mão mesmo.

Sem efetividade do time casa, o Inter passou a girar a bola, procurando espaços. Assim D¿Alessandro achou Cirino entrando na área, aos 18 do primeiro tempo. No chute forte, França afastou com a mão. Pênalti. E foi o capitão colorado que buscou a bola e se dirigiu para bater. Acostumado a bater na direita – batendo no travessão na final do Gauchão, D¿Ale mudou o lado. De pé esquerdo, chutou forte na esquerda, beijou o escudo do Inter na camisa e levantou a massa colorada no Estádio do Café.

Enquanto o seu Vieira colocava o 1 ao lado do nome do Inter, o camisa 10 iniciava o que viria ser uma goleada.

O Londrina se abateu em campo. Trocava passes, mas não conseguia passar pela zaga colorada. Por isso, passou a arriscar de fora da área. Foi assim com Fabinho, aos 23 minutos, passando longe do gol de Daniel. A reposta colorada foi rápida. Com um contra-ataque em velocidade, D¿Alessandro buscou Nico López, que ia entrando na área. O uruguaio, com categoria, bateu cruzado e fez: 2 a 0 e um placar mais confortável para o time que iniciou a Série B um tanto nervoso.

O alívio deu lugar ao discurso cautelo de que era preciso ter cuidado com o Londrina, um postulante a subir à Série A ao fim desta temporada.

— Vamos para o vestiário para descansar e voltar para tentar aumentar. Queremos começar a competição com o pé direito — pediu Marcelo Cirino, a caminho do intervalo.

E, de fato, aumentou e outro pé brilhou. Mas foi o esquerdo, mais uma vez, de Nico López. Às costas da zaga do Londrina, Felipe Gutiérrez acionou o uruguaio, que dominou e bateu forte: 3 a 0.

A goleada fez a torcida do Londrina deixar o estádio mais cedo. Campeão do interior paranaense, a equipe de Claudio Tencati viu o Inter se agigantar. Só não ampliou aos 27 minutos porque D'Ale finalizou para fora, em passe de Gutiérrez.

A etapa final ainda deu tempo de o torcedor colorado ver Diego, Carlos e Iago em campo, matar a saudade do La Boba de D¿Alessandro e quase ser coroado com o quarto gol, ao buscar Nico dentro da área. E se assustar com o atendimento médico ao seu goleiro em campo. Aos 35, Daniel saía do gol quando se chocou com próprio companheiro William. O médico Matheus Falcão entrou rapidamente em campo e o preparador de goleiros, Daniel Pavan, deu às costas:

— Não acreditei. Mas, finalmente, terminamos o jogo com o mesmo goleiro — brincou Pavan, ao término da partida.

OS 3 a 0 tiraram um pouco da pressão que Antônio Carlos Zago carregava sobre si após a perda do título para o Novo Hamburgo e as atuações que pouco convenciam. Esse mesmo time deve estar em campo mais uma vez na quarta-feira, pela Copa do Brasil. Já no sábado, diante do ABC no Beira-Rio, o treinador colorado terá de montar um quebra-cabeça do ataque. William Pottker chegou e precisa de uma vaga nesse time titular. 

*ZHESPORTES

Siga O Sol Diário no Twitter

  • osoldiario

    osoldiario

    O Sol DiárioCatarinenses estão entre vítimas de ingresso falso para shows de Paul McCartney https://t.co/1MR2L7KhF6há 17 horas Retweet
  • osoldiario

    osoldiario

    O Sol DiárioMorre mulher atropelada em faixa de pedestre em Itapema  https://t.co/Wvp5egiyNghá 19 horas Retweet
O Sol Diário
Busca
clicRBS
Nova busca - outros