À vontade com a camisa do Avaí, Juan é apresentado pelo clube após boa atuação na estreia - Esporte - O Sol Diário

Como uma luva05/06/2017 | 20h22Atualizada em 05/06/2017 | 20h24

À vontade com a camisa do Avaí, Juan é apresentado pelo clube após boa atuação na estreia

Entrada do recém-contratado Juan no time ajudou o clube a chegar à primeira vitória na Série A

À vontade com a camisa do Avaí, Juan é apresentado pelo clube após boa atuação na estreia André Palma Ribeiro/Avaí
Foto: André Palma Ribeiro / Avaí
DC Esportes
DC Esportes

O dito popular avisa que uma andorinha sozinha não faz verão, mas, no Avaí, não há como negar que a mudança de uma peça na equipe titular fez uma boa diferença dentro de campo. Não foi coincidência que a entrada do recém-contratado Juan no time ajudou o clube a chegar à primeira vitória na Série A e abandonar a incômoda zona de rebaixamento.

Um dia depois do seu primeiro jogo – na vitória por 1 a 0 sobre o Sport, no domingo, na Ressacada –, o meia que começou a carreira como lateral-esquerdo vestiu o manto do Leão e deu sua primeira entrevista coletiva pelo clube. Nem precisava. Após sua estreia com a camisa 7, as apresentações para o torcedor já eram dispensáveis.

Afinal de contas, o jogador também não é marinheiro de primeira viagem. Nem no Avaí nem na carreira. Antes de estrear pelo Leão, brilhou com a camisa de grandes clubes como Flamengo e São Paulo,

Juan não é mais um garoto, é claro, mas joga como se fosse. Logo em seu primeiro jogo atuou durante os 90 minutos. Promete ter na equipe azurra a mesma dedicação e paixão pela profissão que tinha quando começou a carreira.

– É o prazer de jogar futebol, esse orgulho que tenho de ter realizado meu sonho de infância. Cada vez que entrar em campo é com esse objetivo. Temos um objetivo grande no Avaí, que é um clube importante no Brasil. Isso me motiva e me faz sair de casa todo dia para treinar com prazer e orgulho – destacou.

Importância dentro e fora de campo

No duelo contra o Sport, fortaleceu o meio de campo ao lado de Marquinhos. Deu apoio para Capa. Quando esse avançava demais, Juan cobria as suas investidas. Mas a importância do atleta vai além dos momentos em que está com a bola no pé. Aos 35 anos, tem a dose de experiência necessária para contrapor com a idade do elenco azurra.

– Procuro passar essa experiência de tantas coisas vividas no futebol, de tantas vezes entrar no estádio cheio. Tem que procurar estar ali ao lado dos mais jovens e conversar, passar isso. Sempre me cuidei para, quando chegasse nessa fase da carreira, poder jogar em alto nível, ser importante para as equipes e não jogar apenas com o nome, mas de fato ter rendimento dentro de campo, tanto técnico quanto físico – declarou.

A primeira impressão é a que fica, mas não é suficiente para o Avaí. Amanhã, o compromisso é ainda mais difícil. Fora de casa, às 19h30min, a equipe enfrenta o Atlético-MG. Mais uma chance para Juan mostrar o seu valor para o torcedor azurra.

Confira as últimas do Avaí
Acesse a tabela da Série A

O Sol Diário
Busca