Zagueiro do Figueirense, Ferreira diz que há um sentimento de angústia pela posição na tabela - Esporte - O Sol Diário
 
 

Série B26/07/2017 | 15h24Atualizada em 26/07/2017 | 15h52

Zagueiro do Figueirense, Ferreira diz que há um sentimento de angústia pela posição na tabela

Time treina para reencontrar o caminho das vitórias e tirar o time do Z-4 da Série B do Brasileirão

Zagueiro do Figueirense, Ferreira diz que há um sentimento de angústia pela posição na tabela Luiz Henrique/Figueirense
Ferreira disse que jogadores do Figueirense sabem que precisam mudar a situação do time na tabela Foto: Luiz Henrique / Figueirense
DC Esportes
DC Esportes

Só há um pensamento no Orlando Scarpelli: vencer o Vila Nova, às 16h30min de sábado, em casa. E é para chegar forte e recuperar a confiança que o Figueirense tem se preparado nos últimos dias, aproveitando a semana sem jogos. O time vem de derrota por 4 a 2 para o América-MG, em Minas Gerais, e não pode mais vacilar na Série B do Brasileirão. Em coletiva de imprensa nesta quarta-feira, o zagueiro Ferreira salientou que trabalho não tem faltado ao grupo. 

— Alguma coisa tem de errado. A gente está trabalhando muito mesmo e as coisas não estão dando certo, estamos falando entre a gente para encontrar esse algo que está faltando. Não é normal o que está acontecendo e todos os dias a gente conversa para sair dessa situação. Está doloroso, um sentimento de angústia, não merecemos estar nessa situação. Todos os dias eu venho para trabalhar com a certeza de que sairemos dessa — frisou. 

Mesmo que some os três pontos diante do Vila Nova, atualmente o 5º colocado na classificação com 26 pontos, o Figueirense não deixa a zona de rebaixamento nesta rodada. Isso porque a equipe tem 16 pontos e o Paysandu, primeiro fora da degola, tem 20. 

— Essa semana está sendo de treinos muito fortes, estamos cientes do momento que estamos vivendo e mais do que nunca sabemos que precisamos mudar essa situação. Estamos nos cobrando, vamos enfrentar uma equipe boa, mas temos que vencer e vamos conseguir vencer, independente das dificuldades — projeta Ferreira. 

O zagueiro disse que a opção de atuar mais fechado é do técnico Marcelo Cabo, pois cada jogo tem uma história. Na opinião de Ferreira, o time precisa atacar, mas de forma organizada. 

— Temos que atacar todo mundo e defender todo mundo, às vezes você joga por uma bola, porque está difícil a situação. O caminho é esse, todo mundo correr, todo mundo atacar, mas organizado. O professor está passando isso para a gente e vai dar certo — disse.

Contra o Vila Nova, o Figueirense pode ter o retorno do volante Ferrugem, que está liberado pelo departamento médico e é opção para Marcelo Cabo. Já o atacante Zé Love também participou dos trabalhos nesta manhã e deve ser uma das novidades da equipe no sábado.

Leia mais notícias sobre o Figueirense 
Acesse a tabela de classificação da Série B do Brasileirão



O Sol Diário
Busca