Ingênuo, Figueirense toma dois do Náutico em derrota e continua no Z-4 - Esporte - O Sol Diário

Série B15/08/2017 | 23h26Atualizada em 15/08/2017 | 23h29

Ingênuo, Figueirense toma dois do Náutico em derrota e continua no Z-4

Segunda pior defesa do campeonato, Figueira ainda chega ao segundo mês dentro da zona de rebaixamento

Ingênuo, Figueirense toma dois do Náutico em derrota e continua no Z-4 MARLON COSTA/FUTURA PRESS/Estadão conteúdo
Figueirense joga muito pouco e sofre derrota para o Náutico sem demonstrar reação Foto: MARLON COSTA/FUTURA PRESS / Estadão conteúdo
DC Esportes
DC Esportes

Segundo mês no Z-4, segunda pior defesa e derrota por 2 a 0. Como se não bastasse, o Figueirense fez com que o Náutico saísse da lanterna, posição que ocupava desde a quarta rodada da Série B do Campeonato Brasileiro. Mas o Timbu fez por merecer: não perdoou a ingenuidade apresentada pela defesa alvinegra na Arena Pernambuco na noite desta terça-feira.

Foi a chance do Figueira em pelo menos passar algum tempo fora da zona do rebaixamento. Vai ter tempo, ao menos, para tentar se organizar. O próximo compromisso é no outro sábado, no dia 26, contra o Guarani, no Orlando Scarpelli. O Náutico volta a campo um dia antes, para enfrentar o Ceará, fora de casa.

Sem marcação e criação, o Figueirense praticamente acompanhou o Náutico de dentro de campo. Não viu o goleiro Jeferson, da equipe mandante, e assistiu as próprias redes balançarem aos 17. O escanteio do Timbu foi cobrado bem aberto e, ingenuamente, os marcadores alvinegros deram toda a frente da grande área para Giovanni, muito sozinho e de frente para a trave, encher o pé e o barbante do Figueira. Perdido, o Furacão ainda conseguiu finalizar ao gol com Luidy, depois de boa esticada de Zé Antônio.

Parou nisso. E foi apenas o ataque. A defesa também ficou pelo caminho, e em jogada básica: lançamento para a direita, bola cruzada rasteira – atrás dos marcadores – e toque fatal para as redes. Ex-Avaí e estreante do Náutico, William completou antes de comemorar. A desorganização alvinegra ficou tão grande quanto é a agonia de completar o segundo mês dentro da zona do rebaixamento.

Milton Cruz colocou Ferrugem e Lucas Silva para o segundo tempo do Figueirense. Ainda assim, foi o Náutico que quase chegou ao gol, novamente. Erick driblou Julinho antes de bater no canto e o goleiro Saulo aparecer para espalmar. Renan Mota foi outra mudança, para fazer o miolo alvinegro mais dinâmico. Porém, não houve como ter efeito porque o zagueiro Naylhor recebeu o segundo cartão amarelo e deixou o Figueira com um a menos dentro das quatro linhas. Foi o defensor e também as forças para a reação em Recife. 

FICHA TÉCNICA

NÁUTICO - 2
Jeferson; Joazi, Breno, Feliphe Gabriel e Henrique Ávila; Amaral, Diego Miranda e Giovanni (Cal Rodrigues); Erick (Gerônimo), Gilmar (Iago) e William. Técnico: Roberto Fernandes

FIGUEIRENSE - 0
Saulo; Bruno Santos (Lucas Silva), Leandro Almeida, Naylhor e Julinho; Zé Antônio, Dudu Vieira e Patrick; Luidy (Ferrugem), Henan e Zé Eduardo (Renan Mota). Técnico: Milton Cruz

GOLS: Giovanni. aos 17 do primeiro tempo, e William, aos 31 do primeiro tempo (N)

CARTÕES AMARELOS: Breno (N). Dudu Vieira, Leandro Almeida, Luidy, Naylhor, Zé Antônio e Zé Eduardo (F).

EXPULSÃO: Naylhor (F).

Arbitragem: Francisco Carlos do Nascimento, auxiliado por Pedro Jorge Santos de Araújo  e Wagner José da Silva (trio de AL).

Local: Arena Pernambuco

Leia mais notícias sobre o Figueirense

Acesse a tabela da Série B do Brasileirão

O Sol Diário
Busca