Um mês após portão derrubado, Figueirense abre os braços para receber torcida no treino - Esporte - O Sol Diário

Recuperação31/08/2017 | 16h44Atualizada em 31/08/2017 | 16h44

Um mês após portão derrubado, Figueirense abre os braços para receber torcida no treino

Torcedor poderá acompanhar atividade na manhã de sábado no Scarpelli

Um mês após portão derrubado, Figueirense abre os braços para receber torcida no treino Luiz Henrique/Figueirense FC
Foto: Luiz Henrique / Figueirense FC
DC Esportes
DC Esportes

Não há dúvida de que o momento do Figueirense é diferente. Embora o time continue na zona de rebaixamento da Série B, mas em situação menos complicada, o ambiente é outro em relação às últimas semanas. Prova disso é que até o portão do estádio alvinegro deixou de ser notícia ruim. Se no final de julho a torcida o derrubou para protestar dentro de campo (antes da derrota por 1 a 0 para o Vila Nova), neste sábado os portões estarão abertos — uma forma de convidar a massa alvinegra para acompanhar de perto o treino que acontece às 9h no Scarpelli.

Mais do que medida para aproximar o torcedor da equipe, a iniciativa mexe com o elenco alvinegro. Mais confiantes após o triunfo por 2 a 1 sobre o Guarani no último sábado, os atletas querem aproveitar o calor das arquibancadas para ganharem ainda mais energia para o duelo contra o Boa, que será na sexta-feira, 8 de setembro, fora de casa, valendo a saída da zona de desconforto.

— Vamos treinar com apoio da nossa torcida, isso é importante, é o momento em que a gente precisa de todos que gostam do Figueirense. A torcida já foi a diferença no último jogo. Já estamos até comentando entre nós jogadores. Quando vim para o Figueirense, sabia da força da torcida, da força que é vestir a camisa do Figueirense. Quando chegamos para o jogo contra o Guarani, comentamos no vestiário que já tínhamos ganho o jogo ali, a recepção que a torcida fez foi sensacional — destacou o atacante Henan.

Após o triunfo sobre o Bugre, o time vai ter um bom período para descansar e se preparar para o duelo contra a equipe mineira. Tempo suficiente para o grupo se entrosar melhor e entender o que pede o técnico Milton Cruz.

— É um momento importante, esses 12 dias de trabalho vão nos ajudar a aprimorar a parte física e técnica, e poder entender o que o Milton quer passar para a gente. Sabemos da importância do jogo contra o Boa Esporte, um jogo de seis pontos. Se a gente vencer pode sair do Z-4. Então, estamos encarando da melhor maneira possível — disse o goleador.

Na entrevista coletiva realizada nesta quinta-feira, o atacante, que é o artilheiro do time na Série B, com 10 gols, também comentou sobre o futuro e mostrou-se contente pelo momento que vive com a camisa do Figueira.

— Fico feliz que tem uma campanha na internet para eu renovar, o torcedor está reconhecendo o trabalho. Acredito que posso dar muito mais para o Figueirense. Meu contrato vai até o final da Série B, então é continuar trabalhando e esperar para ver o que os novos gestores irão querer para o próximo ano — finalizou.

Leia outras notícias sobre o Figueirense
Acesse a tabela da Série B do Campeonato Brasileiro

Siga O Sol Diário no Twitter

  • osoldiario

    osoldiario

    O Sol DiárioClaudinei promete que Avaí vai brigar até o final contra a queda https://t.co/Ow0heLT0Czhá 1 horaRetweet
  • osoldiario

    osoldiario

    O Sol DiárioPrefeitura de Balneário Camboriú vai protestar dívidas em cartório https://t.co/BrBkmEwTBLhá 3 horas Retweet
O Sol Diário
Busca