Valentia da Chapecoense não resiste à qualidade do Barça no Camp Nou - Esporte - O Sol Diário

Troféu Joan Gamper07/08/2017 | 17h25Atualizada em 07/08/2017 | 17h55

Valentia da Chapecoense não resiste à qualidade do Barça no Camp Nou

Em partida cheia de homenagens, time catarinense saiu goleado do estádio catalão nesta segunda-feira

Valentia da Chapecoense não resiste à qualidade do Barça no Camp Nou Josep LAGO/AFP
Em partida cheia e homenagens, time catarinense saiu goleado do Camp Nou. Suárez marcou dois Foto: Josep LAGO / AFP

Muito mais que um jogo de futebol, a partida entre Barcelona e Chapecoense  nesta segunda-feira foi uma celebração. Celebração da volta de Alan Ruschell aos gramados. Celebração da vida e da recuperação dos sobreviventes Neto e Follmann. Celebração do renascimento da Chapecoense. E também — por que não? —  uma celebração da memória dos que se foram no acidente aéreo em Medellín, em novembro passado. 

Desde bem antes de a bola rolar, o tom emotivo era perceptível no Camp Nou. Em seus discursos, Iniesta e o novo técnico do Barcelona, Ernesto Valverde, destacaram a importância e a alegria em receber o time catarinense. Em um gesto simbólico, Folmann e Neto foram os responsáveis pelo pontapé inicial da partida. Chegaram e saíram sob aplausos de milhares de torcedores. Inesquecível, sem dúvida.

Quando a bola rolou para valer, os olhos se voltaram para Alan Ruschell. Como é de sua característica, lutou e correu o quanto pôde. Foram 35 minutos de muita entrega, tentando marcar as subidas do lateral direito do Barca. E, na saída para dar lugar a Penilla, mais uma chuva de aplausos das arquibancadas. Não dava para esperar menos.

Follmann, Neto e Alan Ruschel foram homenageados antes da partida Foto: Josep LAGO / AFP

Em relação ao futebol, o Verdão foi valente. Mesmo com uma marcação aguerrida, não pôde segurar o toque de bola envolvente dos blaugranos. Marcar Messi, Suárez e Iniesta é mesmo uma missão ingrata. Quando a zaga ainda não tinha se recuperado, eles apareciam tabelando mais uma vez.

A tônica do jogo foi essa. Com um nervosismo evidente, a bola queimava nos pés dos jogadores da Chape. Trocar mais de cinco passes era praticamente um ato heróico. Diante do bombardeio quase constante, um nome do Verdão se destacou. O goleiro Elias evitou muitos gols do time da casa. Defendeu chutes de Messi e Suáerz cara a cara. Jogadas para gravar em DVD.

Jogadores dos dois times tiraram foto juntos antes da partida Foto: Josep LAGO / AFP

Do lado do Barça, não foi preciso forçar: os gols saiam naturalmente. Messi e Suárez deixaram os seus, para a alegria da torcida. Mesmo sem Neymar, é um time que continua a encantar. 

Logo aos 2 minutos de jogo, já ficou claro para a Chape que a tarefa de segurar o time da casa seria das mais difíceis. Em jogada trabalhada, Deuloefu apareceu sozinho dentro da área para abrir o placar. Os minutos seguintes foram de pressão intensa, mas sem precisar correr. Os jogadores do Barça trocavam passes e pareciam não precisar sequer suar para chegar ao gol. 

No segundo gol, o volante Sergio Busquets acertou um chutaço na gaveta. Dessa vez, Elias não saiu nem na foto. A partir daí, começou o show de Messi e Suárez. Os dois craques se revezaram para marcar os gols seguintes do time da casa.  

Ainda deu tempo para os dois técnicos trocarem praticamente o time inteiro. A festa ficou completa quando o goleiro reserva Arthur Moraes, da Chape, defendeu um pênalti aos 40 minutos do segundo tempo.

O resultado final? 5 a 0 para o Barça. Mas quem se importa? Na memória dos que estiveram na Catalunha, com certeza isso é a última coisa que eles vão lembrar. 

Ficha técnica

Barcelona (5) - Ter Stegen (Cillessen);  Alex Vidal (Nelson Semedo), Piqué (Marlon), Umtiti (Mascherano), Jordi Alba (Digne); Busquets (Samper), Raktic (Aleñá), Iniesta (Sergi Roberto), Deulofeu (Denis Suárez); Messi (Paco Alcacer) e Suárez (Muir Haddadi). Técnico: Ernesto Valverde

Chapecoense (0) - Elias (Arthur Moraes); Apodi (Zeballos), Luiz Otávio (Fabrício Bruno), Victor Ramos (Douglas Grolli), Reinado; Moisés Ribeiro (Luiz Antônio), Lucas Mineiro (Khevin), Alan Ruschel (Penilla), Nenén (Nadson) {Moisés Gaúcho}, Wellington Paulista (Túlio de Melo) e Lourency (Fernando Guerrero {Arthur}. Técnico: Vinicius Eutrópio. 

Gols: Deulofeu, Busquets, Messi, Suárez e Denis Suárez.

Cartão amarelo: Lucas Mineiro

Local: Estádio Camp Nou, em Barcelona

Siga O Sol Diário no Twitter

  • osoldiario

    osoldiario

    O Sol DiárioJogadores do Avaí aplaudem Kozlinski, que é abraçado por Douglas no vestiário https://t.co/kLUNE32gDmhá 39 minutosRetweet
  • osoldiario

    osoldiario

    O Sol DiárioJudson destaca pegada do Avaí e quer de novo a "força da arquibancada"  https://t.co/JqjrVVa1pUhá 1 horaRetweet
O Sol Diário
Busca