Ex-Avaí e ex-Figueirense duelam na decisão da Copa do Brasil nesta quarta - Esporte - O Sol Diário

Série B27/09/2017 | 08h24Atualizada em 27/09/2017 | 17h26

Ex-Avaí e ex-Figueirense duelam na decisão da Copa do Brasil nesta quarta

Robinho, que jogou no Leão, tem a missão de fazer gols em Alex Muralha, ex-camisa 1 do Furacão

Ex-Avaí e ex-Figueirense duelam na decisão da Copa do Brasil nesta quarta Arte sobre as fotos de Washington Alves e Gilvan de Souza / Divulgação/Divulgação
Foto: Arte sobre as fotos de Washington Alves e Gilvan de Souza / Divulgação / Divulgação
João Lucas Cardoso
João Lucas Cardoso

joao.lucas@somosnsc.com.br

Cruzeiro e Flamengo fazem nesta quarta-feira o jogo decisivo pelo título da Copa do Brasil. O primeiro embate, há três semanas, terminou em empate em 1 a 1. Por isso, quem vencer a partida das 21h45min, no Mineirão, fatura o caneco — em caso de nova igualdade, a definição será nas penalidades máximas.

O duelo opõe também dois jogadores que defenderam times rivais de Santa Catarina. Entre os celestes, Robinho vai tentar vazar o Rubro-negro Alex Muralha, goleiro. Respectivamente, eles vestiram as camisas de Avaí e Figueirense, embora não tenham se enfrentado em solo catarinense, pois jogaram no Estado em temporadas distintas.

Robinho teve passagem mais longa pelo futebol de Santa Catarina. Aos 22, o jogador foi emprestado pelo Santos ao Avaí que disputava a Série A de 2010. Chegou a voltar ao Peixe no ano seguinte e foi cedido novamente ao Leão após os Estaduais. O paranaense viveu altos e baixos, como o descenso da equipe azurra em 2011 e, no início do ano seguinte, quando vivia seu melhor momento na Ressacada, foi emprestado ao Coritiba e só voltou a Florianópolis como adversário.

Depois de defender também o Palmeiras, se juntou ao elenco da Raposa ainda no decorrer da temporada passada e tenta o segundo título da competição – foi campeão com o Verdão em 2015. Nesta Copa do Brasil, contribuiu com o Cruzeiro com três gols e é o quarto atleta em quantidade de cruzamentos no torneio. Voltou a ser homem de confiança do técnico Mano Menezes após quase cinco meses de ausência em partidas, por causa de duas lesões musculares.

Muita pressão nos ombros de Muralha

Já Alex Muralha virou a escolha quase que obrigatória do técnico Reinaldo Rueda para o duelo de hoje depois da falha de Thiago que resultado no empate dos celestes no primeiro confronto. O goleiro, que teve um primeiro ano positivo no Flamengo, logo depois de sair de Florianópolis, não desfrutava mais de unanimidade. Por isso, perdeu a titularidade e o clube repatriou Diego Alves, que estava há 10 anos no futebol espanhol. Sem poder inscrever o titular do Brasileirão na Copa do Brasil, Muralha estará sob o travessão no último jogo do torneio em que é o quarto da posição em intervenções.

O goleiro chegou à Gávea graças ao 2015 primoroso com a camisa do Figueirense. O clube preto e branco gostou das atuações do arqueiro então conhecido como Alex Santana, do Mirassol, em 2014. Porém, passou a primeira temporada alvinegra na reserva de Tiago Volpi. Com a ida do colega de função ao futebol mexicano, agarrou a titularidade ainda no Catarinense de seu segundo ano no Figueira. As defesas difíceis ao longo de 60 partidas renderam o contrato com o Flamengo.

Siga O Sol Diário no Twitter

  • osoldiario

    osoldiario

    O Sol DiárioMarquinhos espera desfecho no fim de ano para saber se fica no Figueirense https://t.co/9m8qKDwMdVhá 8 horas Retweet
  • osoldiario

    osoldiario

    O Sol DiárioInvestidores do Figueirense dizem que vão processar Alex Bourgeois, ex-CEO https://t.co/nBuqVynGoXhá 10 horas Retweet
O Sol Diário
Busca