Por que, apesar do sucesso do ano passado, o Hang Loose Pro Contest não será realizado na Joaquina? - Esporte - O Sol Diário

SURFE05/09/2017 | 17h28Atualizada em 05/09/2017 | 17h33

Por que, apesar do sucesso do ano passado, o Hang Loose Pro Contest não será realizado na Joaquina?

Evento, que está marcado para acontecer em Maresias (SP), pode inclusive ser cancelado nesse ano

Por que, apesar do sucesso do ano passado, o Hang Loose Pro Contest não será realizado na Joaquina? Cristiano Estrela/Agencia RBS
Foto: Cristiano Estrela / Agencia RBS

Má notícia para os amantes do surfe em Santa Catarina. O Hang Loose Pro Contest, sucesso de público, ondas e organização na Joaquina em 2016, não será realizado na praia do leste da Ilha nesse ano. A competição,que faz parte do circuito qualificatório (WQS) para a elite mundial do surfe, deve acontecer em Maresias, no litoral de São Paulo.

O Hang Loose Pro Contest realizado em novembro celebrava os 30 anos da primeira edição do evento na Joaquina.  Atletas como Gabriel Medina, Adriano de Sousa e o vencedor Kanoa Igarashi levaram uma multidão de fãs às areias da praia.

A competição deixou um legado muito grande para Santa Catarina. O surfe decolou no Estado depois do primeiro evento, em 1986. Desde então, a praia Mole, o Santinho, a própria Joaquina, além de outras cidades catarinenses, como Itajaí, Imbituba e Garopaba foram seguidamente palco de diversas etapas do circuito mundial. No entanto, nesse ano, Santa Catarina será sede apenas do Pro Junior, que acontece em outubro na Guarda do Embaú.

Para o diretor da Liga Mundial de Surfe (WSL) na América Latina, o catarinense Xande Fontes, a crise financeira dos governos a falta de investimento na competição são o motivo da fuga do Hang Loose Pro Contest de Florianópolis.

— Não está fácil de fazer qualquer tipo de evento no Brasil. O problema é essa crise que o país está passando. Então, por mais sucesso que o evento tinha tido, e surpreendeu a todos, a dificuldade financeira é o maior problema. Também tem a questão do apoio do governo da cidade.

Xande informa que não está nem confirmado o Hang Loose em Maresias, justamente pelo questão financeira da prefeitura de São Sebastião. No site da WSL, o evento está "em tentativa". Caso não aconteça na terra do Medina, a competição que distribui 6 mil pontos aos atletas, não será realizada em 2017. A liga tem investido mais em eventos na Argentina, Chile e Peru, que na visão da entidade estão se mostrando economias mais estáveis.

Para o ano que vem, a perspectiva da WSL é de melhorara na situação econômica. Xande quer valorizar eventos na América do Sul. Procurada, a prefeitura de Florianópolis informou que não foi contatada pela World Surf League em 2017. 

Kanoa Igarashi foi o campeão do Hang Loose Pro Contest em 2016 Foto: Cristiano Estrela / Agência RBS

Catarinenses na elite fortalecem Estado como sede 

Santa Catarina tem três surfistas no WQS, Tomas Hermes (4º), de Barra Velha, Yago Dora (6º), de Floripa, e Willian Cardoso (9º), de Balneário Camboriú. Se o campeonato terminasse hoje, eles estariam na elite. Para Xande Fontes, a presença desses atletas do WCT dá peso para Santa Catarina volte a sediar etapas mundiais.

— Nós voltarmos a ter atletas catarinenses, isso fortalece a realização de etapas em Santa Catarina. O nosso momento é sensacional.

O WQS está sendo disputado nesse momento nos Açores, em Portugal. A etapa começou na terça-feira (05). Os três catarinenses entre os dez primeiros entram no mar nesta quarta.

Ranking do WQS, com três catarinenses entre os dez primeiros

Confronto brasileiro abre etapa do WCT na Califórnia

Já sobre a elite mundial, nesta quarta-feira (06), começa o Hurley Pro em Trestles, na Califórnia.Um confronto brasileiro entre Adriano de Souza, Wiggolly Dantas e Miguel Pupo vai abrir a oitava das onze etapas do World Surf League Championship Tour nos Estados Unidos. Eles foram escalados na primeira bateria do Hurley Pro at Trestles, que começa nesta quarta-feira e tem prazo até 17 de setembro para ser encerrado em San Clemente (CA). E mais dois brasileiros entram juntos na segunda,Caio Ibelli e Jadson André. O campeonato tem a participação ainda de Ian Gouveia, Italo Ferreira, Felipe Toledo e Gabriel Medina. No feminino, Silvana Lima representa o Brasil.

Saiba mais

Santa Catarina não tem recursos para bancar etapa do mundial de surfe

Trio catarinense surfa no rumo da elite mundial da modalidade

Guarda do Embaú recebe Nick Mucha, diretor do programa de Reservas Mundiais do Surfe

Siga O Sol Diário no Twitter

  • osoldiario

    osoldiario

    O Sol DiárioMarquinhos fala da volta de Kozlinski aos titulares do Avaí: "Confiança do grupo ele tem" https://t.co/u033a8eZuzhá 1 horaRetweet
  • osoldiario

    osoldiario

    O Sol DiárioTécnico do Figueirense exalta grupo e diretoria: "Fizemos uma família" https://t.co/TgxY1wi2Tuhá 3 horas Retweet
O Sol Diário
Busca