Com Olimpíada no currículo, Fischer é fonte de incentivo para os jovens nos Jasc - Esporte - O Sol Diário

Inspiração08/11/2017 | 17h52Atualizada em 08/11/2017 | 17h55

Com Olimpíada no currículo, Fischer é fonte de incentivo para os jovens nos Jasc

Nadador quer que sua participação nas competições em Lages tenham caráter formador 

Com Olimpíada no currículo, Fischer é fonte de incentivo para os jovens nos Jasc Alessandro Koizumi/Fesporte
Eduardo Fischer disputa a prova dos 100 metros peito na quinta-feira Foto: Alessandro Koizumi / Fesporte
DC Esportes
DC Esportes

Especialista em nado peito e atual recordista da prova nos Jogos Abertos de Santa Catarina (Jasc), Eduardo Fischer fez história na natação. Entre 1995 e 2012, conquistou mais de 50 medalhas e participou de duas Olimpíadas, Sydney 2000 e  Atenas 2004. Hoje ele é fonte de incentivo para os jovens e deseja que sua participação nas competições em Lages tenham caráter formador, principalmente para os iniciantes no esporte. 

— Nos primeiros Jasc, lá em 1994, lembro de nadar na raia ao lado do Xuxa (o medalhista olímpico Fernando Scherer) a prova dos 100 metros borboleta. Se algum moleque tiver a mesma lembrança minha daqui alguns anos, já estará valendo — destaca. 

Atleta cai, pedala 15 km machucada e fica com a prata no ciclismo nos Jasc

Fischer é um dos 185 atletas - 93 homens e 92 mulheres - que começaram a cair na água aquecida do Clube de Caça e Tiro nesta quarta-feira. Aos 37 anos, o convite para disputar os Jogos não teve como ser recusado. 

— Sempre digo que é o meu último Jasc, mas o pessoal da secretaria de esportes pediu e aqui estou — diz o nadador, que divide os treinamentos com o trabalho de advogado tributarista. 

Recordista da prova dos 100 metros peito com o tempo de 59seg20, o atleta acredita que não terá como bater o recorde com o atual nível de preparação dos competidores. E ressalta o papel dos Jasc na carreira de qualquer nadador. 

Histórias que inspiram o renascimento dos Jasc em Lages

— Para mim foi um divisor de águas, principalmente porque ganhei a primeira medalha em 1995, em Rio do Sul, quando tinha 15 anos, e decidi que queria ser um nadador olímpico. A participação nos Jasc pode ser um trampolim para algo maior — avisa.

Fischer é atualmente o coordenador da regional sul da Confederação Brasileira de Desportos Aquática (CBDA). Está fora do circuito de grandes competições e destaca a organização de Santa Catarina na modalidade. Para ele, o Estado perde apenas para São Paulo e Minas Gerais, consideradas potências do país em termos de clubes e investimentos. 

— Entre as 27 federações, Santa Catarina está entre as melhores — frisa Fischer, que disputa a prova dos 100 metros peito na quinta-feira.

Leia mais:
Jasc iniciam em Lages e já tem medalhista no atletismo e no ciclismo
Lages é oficializada como sede dos Jasc em 2017
Confira outras notícias sobre os
Jasc

Siga O Sol Diário no Twitter

  • osoldiario

    osoldiario

    O Sol DiárioFigueirense faz promoção de ingresso para despedida da temporada https://t.co/dBc8O6rWl7há 3 horas Retweet
  • osoldiario

    osoldiario

    O Sol DiárioFigueirense faz promoção de ingresso para despedida da Série B https://t.co/o6LhPdZ4FJhá 4 horas Retweet
O Sol Diário
Busca