Avaí só empata com o Santos na Vila Belmiro e é rebaixado para a Série B do Brasileirão - Esporte - O Sol Diário

Série A03/12/2017 | 19h23Atualizada em 03/12/2017 | 21h16

Avaí só empata com o Santos na Vila Belmiro e é rebaixado para a Série B do Brasileirão

Resultados paralelos ajudaram o Leão da Ilha, que não aproveitou a oportunidade

Avaí só empata com o Santos na Vila Belmiro e é rebaixado para a Série B do Brasileirão Marcos Bezerra/Marcos Bezerra
Leão não consegue ficar na Série A Foto: Marcos Bezerra / Marcos Bezerra

Um domingo triste, de tempo nublado e público tímido na Vila Belmiro. Foi o cenário do rebaixamento do Avaí neste Brasileirão 2017. O Leão da Ilha entrou em campo precisando vencer e dependendo de dois resultados paralelos em três partidas para escapar da Série B. Isso aconteceu: Coritiba e Vitória não venceram, mas o Avaí não fez a sua parte. Deixou Santos com 1 a 1 no placar e rebaixado.

O time da casa abriu o placar com o colombiano Copete. No minuto seguinte, Pedro Castro igualou com um petardo de fora da área. O Avaí terminou o campeonato em 18º lugar com 43 pontos, mesma pontuação do 16º colocado, o Vitória. Cai por uma vitória a menos que os baianos, junto com Atlético-GO, Ponte Preta e Coritiba. Já o Santos, que disputava a vice-liderança do Brasileirão, terminou em terceiro lugar.

Primeiro tempo: milagres de Douglas e a "lei do ex"  

O Avaí começou tomando a iniciativa do jogo. Com um minuto de partida, Junior Dutra foi derrubado próximo à grande área. Marquinhos preferiu bater direto, mas chutou fraco e o goleiro Vanderlei defendeu sem problemas. Na sequência, um chute cruzado de novo de Marquinhos leva perigo à área santista. O Peixe reagiu com o lateral Victor Ferraz, que chutou forte nas mãos de Douglas.

Com 13 minutos, João Paulo, da metade do campo santista, mandou uma bomba para o gol. A bola explodiu no travessão. Só que depois desse lance, o Avaí recuou e o jogo passou a ficar mais truncado e com passes errados. E aí o Douglas passou a operar milagres. Com 25 minutos, Simião vacilou e Vecchio roubou a bola dele. O jogador do Santos chutou forte, e Douglas fez uma bela defesa de ponte. Depois defendeu uma falta. E o lance seguinte foi uma dupla defesa. O goleiro primeiro afastou uma bola cruzada na área e depois agarrou um chute a queima roupa de Lucas Veríssimo. A pressão continuou, e Douglas não resistiu. Num contra ataque rápido, Copete dribla o goleiro e chuta fraco, cruzado, para dentro do gol.

Mas a reação avaiana veio no minuto seguinte, seguindo a "lei do ex" e com uma pintura. Da meia cancha, Pedro Castro, criado na Vila, mandou uma paulada certeira no ângulo de Vanderlei.

Segundo tempo

A etapa final começou de novo com o Avaí impondo o jogo. Com 3 minutos, Lourenço recebeu cruzamento dentro da área e chutou nas costas de Lucas Veríssimo. De longe, pareceu na mão, mas o lance foi normal. O Santos passou a trocar passes e ameaçar o Avaí. Aos 10 minutos, Renato chuta forte perto do gol de Douglas. Depois, Kayke recebe sozinho dentro de área e cabeceou também para fora. A partir da metade do segundo tempo, o Avaí pareceu cansado, errando passes, e o Santos acumulou chances três chances de ampliar com Renato, Jean Mota e por último com Yuri Alberto, que perdeu um feito, sozinho, dentro da pequena área.

Os minutos finais ficam com ares dramáticos. O Avaí encontrou espaço e começou a arriscar contra a meta santista. Aos 37', Rômulo, que entrou no lugar de Simião, que dominou a bola dentro pequena área, mas foi desarmado. Depois, o jogador chutou de fora da área, mas Vanderelei fez uma bela defesa. Aos 42, Rômulo perdeu  a chance de se consagrar: o atleta recebeu um passe dentro da área e furou na hora de chutar. O último suspiro foi aos 47 minutos, quando Maicon, de frente para o gol, chutou em cima de Vanderlei.

FICHA TÉCNICA 

Santos: Vanderlei; Victor Ferraz, Lucas Veríssimo, Luiz Felipe e Jean Mota; Matheus Jesus (CA), Renato e Vecchio (Emerson Barbosa (CA)); Copete (Rodrygo), Bruno Henrique e Kayke (Yuri Alberto). Técnico: Elano.

Avaí: Douglas; João Paulo, Betão, Alemão e Maicon; Pedro Castro, Simião (CA) (Rômulo), Marquinhos (Juan) e Maurinho; Júnior Dutra (Luanzinho) e Lourenço. Técnico: Claudinei Oliveira.

Arbitragem: Wagner Magalhães, auxiliado por Rodrigo Corrêa e Thiago Farinha (trio do RJ).   Local: Vila Belmiro, em Santos (SP). 

O Sol Diário
Busca