Roberto Alves: o balanço do ano e os planos de Vernalha para o Figueirense de 2018 - Esporte - O Sol Diário
 

Entrevista19/12/2017 | 09h23Atualizada em 19/12/2017 | 09h23

Roberto Alves: o balanço do ano e os planos de Vernalha para o Figueirense de 2018

Colunista entrevistou o diretor que é o homem forte dos bastidores do Furacão

Roberto Alves: o balanço do ano e os planos de Vernalha para o Figueirense de 2018 Luiz Henrique/Figueirense FC
Foto: Luiz Henrique / Figueirense FC
roberto alves
roberto alves

Advogado societarista, de 39 anos, quase não dá conta de tantas ligações que chegam em seu celular a cada minuto. Hoje principal administrador da nova gestão do Figueirense, Claudio Vernalha jogou rúgbi por muitos anos em São José dos Campos (SP), em São Paulo e Curitiba. Também é administrador de fundos de investimentos de clubes sociais, não esportivos. Tem negócios na Coreia do Sul, para onde vai pelo menos duas vezes por ano, Emirados Árabes e Estados Unidos. Chegou ao Figueirense por meio de amigos que relataram a difícil situação financeira do Alvinegro. Ele conta a história:

Como foi isso?

Vimos na CBF que o Figueirense já havia se transformado em empresa desde 2015. Foram feitos contatos com o Conselho Deliberativo alvinegro, e este aprovou nossa vinda para uma nova gestão profissional, transformando o clube numa grande empresa.

O ex-CEO Bourgeois foi um equívoco?

Sim. Não gosto muito de falar no assunto porque ele vai responder na justiça o processo que está correndo. Quando disse que o dinheiro no clube estava contaminado, um dos investidores ficou preocupado, recuou e mandou fazer uma segunda auditoria. Está tudo certo nas duas auditorias feitas. E aí o interpelamos criminalmente por meio da Justiça.

E o investidor para fechar o ano, como está a situação?

Tudo ok. Só vou anunciar quando for oficializada a sua entrada no clube como sócio-investidor. Isso deve acontecer antes do fim do ano.

E o diretor de futebol?

Falei com Erasmo Damiani e num primeiro momento ele estava fora da nossa realidade financeira. Tenho mais três nomes na pauta e devo anunciar o escolhido ainda nesta semana.

E qual é a avaliação sobre o trabalho de Milton Cruz?

Profissional de alto nível, sério, profundo conhecedor. Mostrou serviço e fez uma grande campanha no returno da Série B do Brasileirão. Tem muita experiência e atende todos os nossos interesses e requisitos.

O artilheiro Henan fica?

Termina seu contrato no dia 31. Fizemos uma proposta. Ele praticamente aceitou, mas seu empresário nem tanto. Acrescentou muitos detalhes ao contrato, como, por exemplo, liberá-lo em pleno campeonato se viesse uma proposta de fora. Ficou difícil. Estou esperando resposta até agora.

Qual foi a proposta do Figueirense?

Oferecemos um contrato de um ano, com ele tendo de jogar mais de 60% das partidas como titular. Estou esperando até agora.

Há reforços a caminho?

Um meio de campo e dois atacantes é o que precisamos no momento. Como você está vendo, o celular não para. São empresários e procuradores. Estamos com os pés no chão, dentro de um aporte financeiro que não podemos ultrapassar. Não vamos tornar o clube inviável.

Qual deve ser o valor da folha salarial por mês?

O Figueirense terá uma folha entre R$ 900 mil e R$ 1 milhão por mês. Não passará disso justamente para podermos manter os salários em dia. Estamos buscando alternativas financeiras.

Quais serão os objetivos para 2018?

Primeiro objetivo é o Estadual. Conforme nossa performance, reforçaremos a equipe para o Brasileiro e Copa do Brasil. Precisamos recuperar o tempo perdido e isso acontecerá com o tempo, com vitórias, sem perder o foco na gestão financeira.

E o clube?

O Figueirense, no dia 8 de janeiro, passa a se chamar Figueirense S/A, da qual serei o presidente com atuação no futebol e finanças. Por enquanto, o Figueirense está registrado como "empresa Ltda" na CBF. Permanecerá a associação Figueirense, com Wilfredo Brillinger na presidência até seu mandato terminar. Temos um calendário bom para o ano e precisamos estar bem representados em todas as competições.

Algum recado final?

Torcedor, pode ficar tranquilo, que estamos mudando o Figueirense para melhor. Vitórias são nossos objetivos. Tornar o clube saudável financeiramente e respeitado em nível nacional também são nossas metas.


Leia outras colunas de Roberto Alves

Leia também:

Roberto Alves: "Federação acertou em cheio ao conseguir uma data para a final"

Roberto Alves: Federação renova contrato de transmissão do Catarinense com a TV Globo

 Marquinhos divulga vídeo do vestiário do Avaí após queda: "Não foi culpa nossa"

Foto:


O Sol Diário
Busca