Márcio Araújo chega à Chape e diz não se irritar com críticas: "Nunca tirou a minha paz" - Esporte - O Sol Diário
 

Apresentado19/01/2018 | 17h54Atualizada em 19/01/2018 | 19h29

Márcio Araújo chega à Chape e diz não se irritar com críticas: "Nunca tirou a minha paz"

Volante assina contrato de dois anos e já pode estrear pelo Verdão do Oeste

Márcio Araújo chega à Chape e diz não se irritar com críticas: "Nunca tirou a minha paz" Chapecoense/Divulgação
Márcio Araújo está regularizado e à disposição do treinador da Chape Foto: Chapecoense / Divulgação

A Chapecoense apresentou na tarde desta sexta-feira o principal reforço da temporada: o volante Márcio Araújo. Aos 33 anos, ele  atuava pelo Flamengo desde 2014 e ainda acumula passagens por Atlético-MG e Palmeiras.

Araújo assinou contrato por dois anos e chega à Arena Condá para disputar posição em um dos setores mais fortes na Chapecoense. Além dele, outros cinco atletas jogam no meio: Canteros, Amaral, Elicarlos, Moisés Ribeiro, Lucas Mineiro e Khevin.

No início da semana, o técnico Gilson Kleina, que foi campeão da Série B ao lado do jogador pelo Palmeiras, em 2013, saiu em defesa de Márcio Araújo ao ser questionado sobre as cobranças dos torcedores do Flamengo ao jogador.

– Eu sou suspeito para falar do Márcio. A torcida o xinga porque ele não faz lobby, trabalha para o grupo, quieto, na dele. Um profissional muito qualificado. Quando eu tinha o meio com Márcio, Charles, Wesley e Valdivia, ele corria por todos – disse Kleina.

Com moral, Márcio Araújo disse que gosta mais de jogar como segundo volante, porém, desde 2012 atua como primeiro, quando o técnico do Palmeiras, Felipão, o mudou de posição.

– Eu gosto muito de jogar como segundo volante, participar do gol, mas também jogo mais recuado, marcando e tentando antecipar e roubar a bola. Minha característica é marcação e saída – falou o jogador.

Sobre as reclamações da torcida no Flamengo, o novo camisa 15 da Chape disse ser uma característica sua a de se preocupar mais em agradar dentro de campo quem o comanda.

– Tenho dado o meu melhor em todos os clubes que passei. O sentimento do torcedor varia muito e nunca tirou a minha paz. Prefiro continuar trabalhando e acreditando.

Márcio Araújo disse ter sido escolha sua deixar o Flamengo, assim como a vinda para a Chapecoense "pela estrutura e história" do clube. No Verdão, disse que quer continuar com futebol de alto nível e conquistar os objetivos do clube: o título do Catarinense, classificação na Libertadores e Copa do Brasil e ficar entre os 10 primeiros no Brasileirão.

Além de Márcio Araújo, a Chape também reapresentou o goleiro Elias, que estava no clube, mas era vinculado ao Juventude, de Caxias do Sul. O goleiro firmou contrato com o Verdão até 2021.

Veja a tabela completa do Catarinense 2018

Siga O Sol Diário no Twitter

  • osoldiario

    osoldiario

    O Sol DiárioCom fome de vitória, Vitor Miranda espera nocautear no UFC Hamburgo https://t.co/NqPVqkHFSShá 6 horas Retweet
  • osoldiario

    osoldiario

    O Sol DiárioMazola valoriza a "gana" do Criciúma para se recuperar e vencer o Londrina https://t.co/QqBeuFivOyhá 6 horas Retweet
O Sol Diário
Busca