Chape se inspira em time do Paraguai para reverter placar na Libertadores - Esporte - O Sol Diário
 

De longe06/02/2018 | 09h39Atualizada em 06/02/2018 | 09h39

Chape se inspira em time do Paraguai para reverter placar na Libertadores

No ano passado, Deportivo Capiatá perdeu em casa, mas buscou a vaga como visitante

Chape se inspira em time do Paraguai para reverter placar na Libertadores Sirli Freitas/Chapecoense
Kleina avalia opções para montar a Chape contra o Nacional-URU Foto: Sirli Freitas / Chapecoense

O Deportivo Capiatá, do Paraguai, é a inspiração da Chapecoense reverter o placar negativo de 1 a 0, ocorrido na Arena Condá, contra o Nacional-URU, na Arena Condá. Quarta-feira, à noite, às 21h45min, os times voltam a duelar, desta vez em Montevidéu. O motivo é que desde 2010, quando foi instituída a pré-Libertadores, denominada primeira fase, somente o time paraguaio conseguiu se classificar depois perder em casa antes da fase de grupos.

Em 2017, os paraguaios perderam em seus domínios, por 3 a 1, para o Universitário, do Peru. Mas a classificação foi conquistada depois da vitória, por 3 a 0, longe de casa. A vaga na fase de grupos, porém, não foi alcançada. Isso porque, em novo mata-mata, o Deportivo Capiatá foi eliminado pelo Atlético-PR.

A Chape tem algumas semelhanças com o Capiatá. Ambos estão longe de ser uma das principais equipes de seus países. Os paraguaios têm uma participação em Libertadores, contra duas do Verdão. Outra semelhança é a ascensão meteórica. O Deportivo foi fundado em 2008, quando subiu da terceira para a segunda divisão, enquanto em 2012 foi vice-campeão e subiu à primeira divisão. No mesmo ano, a Chapecoense subiu à Série B.

A missão da Chape, porém, é difícil. Oito times derrotados em casa, na mesma etapa da Libertadores, não conseguiram reverter a situação no segundo jogo. Além disso, o adversário é o recordista de participações na competição (46 vezes), ao lado do Peñarol.

A boa notícia é que o Nacional costuma vacilar em casa. No ano passado, na fase de grupos, o time estava na chave da Chapecoense. E das três partidas como mandante, só ganhou da Chape, por 3 a 0. Ainda foram derrotas para Lanús e Zúlia, ambas por 1 a 0. Mesmo assim, os uruguaios se classificaram.

A Chape, que poupou os titulares na derrota por 1 a 0 para o Hercílio Luz, domingo, pelo Catarinense, já está em Montevidéu. O time treinou no estádio Luiz Fanzini, do Defensor. Nesta terça-feira, acontece um trabalho de reconhecimento no Parque Central, local do jogo.

O técico Gilson Kleina não poderá contar com o lateral-direito Eduardo e o atacante Perotti, suspensos. O volante Canteros também segue fora, lesionado. Quem está recuperado é o atacante Arthur Caíke, que atuou no último domingo. Outro retorno esperado é o do volante Moisés Ribeiro.

Confira mais informações sobre a Chapecoense
Veja a tabela completa do
Catarinense 2018

O Sol Diário
Busca