Com dois expulsos, Chapecoense perde para o Nacional na Arena Condá - Esporte - O Sol Diário
 

Libertadores01/02/2018 | 00h08Atualizada em 01/02/2018 | 00h25

Com dois expulsos, Chapecoense perde para o Nacional na Arena Condá

Verdão perde por 1 a 0 e terá de correr atrás da classificação em Montevideo, na próxima quarta-feira

Com dois expulsos, Chapecoense perde para o Nacional na Arena Condá NELSON ALMEIDA/AFP
Foto: NELSON ALMEIDA / AFP

Com dois jogadores expulsos sem nem tocar na bola, a Chapecoense não só foi anulada em casa como perdeu o jogo por 1 a 0 do Nacional-URU na noite desta quarta-feira, na estreia na Libertadores. O resultado complica o Verdão para a partida de volta no Uruguai na quarta-feira seguinte. 

O Verdão não conseguiu furar o forte bloqueio do Nacional, encontrou dificuldades para sair da marcação alta e teve dois jogadores expulsos no segundo tempo, Perotti e Eduardo, atacante e lateral que entraram em uma tentativa de tudo ou nada de Gilson Kleina no final do jogo. Os dois levaram vermelho no primeiro lance deles no jogo. O Nacional também teve um jogador expulso.

À Chapecoense faltou criação para fazer a bola chegar ao ataque e ao Nacional sobrou a experiência e a estratégia tática de jogo. O time uruguaio marcou muito e foi superior na Arena.

A Chape terá agora que vencer por 1 a 0 para faturar a vaga na etapa seguinte nos pênaltis ou marcar dois ou mais para sair classificada. A meta ficou mais difícil diante da tradicional equipe uruguaia que jogará com o apoio da forte torcida em casa. 

Quem vencer no dia 7, enfrenta Banfield-ARG ou Ind. del Valle-EQU. O segundo duelo vale a vaga no Grupo 6. que tem também Santos, Estudiantes-ARG e Real Garcilaso-PER.

Primeiro tempo

A saída de bola foi da Chape, mas quem saiu para o ataque foi o Nacional. No primeiro minuto de jogo, Fernández recebeu sozinho na pequena área e de peixinho mandou a bola perto da meta de Jandrei, para susto da torcida que lotou a Arena. Um minuto depois, Douglas atrasou a bola curta para Jandrei e quase complicou a vida do Verdão.O time da casa respondeu aos 11 minutos, com boa jogada de Nadson, que recebeu pela esquerda de Guilherme, driblou dois marcadores e chutou cruzado. O goleiro uruguaio agarrou firme e evitou o gol.

Com a bola de pé em pé, a Chapecoense buscava furar o forte bloqueio uruguaio, que adiantava a marcação e dava pouco espaço aos brasileiros. A estratégia do Nacional anulava as jogadas da Chape pelo meio e pelas laterais e, consequentemente, impedia a bola de chegar até os atacantes. Márcio Araújo ainda tentou surpreender o goleiro uruguaio chutando de fora da área aos 40 minutos, mas a bola saiu pela linha de fundo. E foi só. Primeiro tempo de muita marcação, poucas chances de gol e sem bola na rede.

Segundo tempo

A segunda etapa começou novamente com pressão dos uruguaios. Se no primeiro tempo não teve escanteios, no segundo foram dois do Nacional nos primeiros 10 minutos. A Chape encontrava dificuldades para sair pro jogo. Para tentar adiantar a equipe e forçar o jogo mais ofensivo, o técnico da Chapecoense tirou o volante Lucas Mineiro e colocou o atacante Bruno Silva. Kleina tentava abrir mais o jogo e levar a vantagem para o Uruguai.

Não teve efeito imediato. Aos 28 minutos, em contra-ataque, o Nacional estragou a festa na Arena Condá. Bergessio recebeu pela esquerda, livre de marcação, cruzou na saída de Jandrei e Romero apareceu na pequena área para marcar o primeiro gol do jogo. Aos 32 minutos, o time uruguaio perdeu um jogador quando Espino foi expulso. Com um homem a mais, a Chape partiu para o ataque. Apodi desperdiçou grande chance aos 33 no rebote do goleiro após chute forte de Bruno Silva. Aos 39, Bruno Silva tentou novamente de fora da área e mandou a bola na trave.

A Chape teve o atacante Perotti expulso depois de uma sola no adversário no seu primeiro lance no jogo. Ele tinha entrado minutos antes na vaga de Nadson. Três minutos depois, o lateral Eduardo, que entrou no lugar de Guilherme, também recebeu o cartão vermelho, por acertar uma cotovelada no jogador uruguaio. 

E o jogo terminou errado para as metas de Kleina. A Chape não marcou, levou um gol e terminou com dois jogadores a menos em campo nos primeiros 90 minutos de confronto.

FICHA TÉCNICA

CHAPECOENSE
Jandrei; Apodi, Douglas, Fabrício Bruno, Bruno Pacheco; Amaral, Lucas Mineiro (Bruno Silva), Márcio Araújo, Nadson (Perotti); Guilherme (Eduardo) e Welington Paulista. Técnico: Gilson Kleina

NACIONAL
Conde; Fucile, Corujo, Arismendi e Espino; Oliva; Romero e Zunino; Viúdez (Bergessio), Sebastián Fernández (Álvaro González) e Carlos De Pena.  Técnico: Alexander Medina 

GOLS: Romero, aos 28 do segundo tempo (N).
CARTÕES AMARELOS:
Fabrício Bruno, Guilherme e Douglas (C). Espino, Fernández e Fucile (N).
EXPULSÕES: Perotti e Eduardo (C). Espino (N)

ARBITRAGEM: Patricio Loustau, auxiliado por Hernan Maidana e Juan Belatti. Trio argentino.
BORDERÔ: 11.367 torcedores (total) para a renda de R$309.080,00
LOCAL: Arena Condá, em Chapecó.

Confira mais informações sobre a Chapecoense
Veja a tabela completa do
Catarinense 2018

Siga O Sol Diário no Twitter

  • osoldiario

    osoldiario

    O Sol DiárioClaudinei Oliveira justifica substituições e vê injusta eliminação do Avaí: "Não merecíamos"  https://t.co/EnFCDvAF0Ghá 3 horas Retweet
  • osoldiario

    osoldiario

    O Sol DiárioJudson aponta o Avaí com iniciativa somente após estar atrás no placar https://t.co/bENY7hxj5hhá 12 horas Retweet
O Sol Diário
Busca