"Temos que chegar forte dentro do Uruguai", diz Kleina após derrota na Arena - Esporte - O Sol Diário
 

Pra cima01/02/2018 | 06h27Atualizada em 01/02/2018 | 06h27

"Temos que chegar forte dentro do Uruguai", diz Kleina após derrota na Arena

Verdão perde por 1 a 0 e vai atrás da classificação em Montevidéu, na próxima semana

"Temos que chegar forte dentro do Uruguai", diz Kleina após derrota na Arena Sirli Freitas/Chapecoense
Kleina diz que arbitragem foi rígida ao expulsar dois jogadores da Chape Foto: Sirli Freitas / Chapecoense

Depois de perder, por 1 a 0 para o Nacional-URU, nesta quarta-feira, na Arena Condá, e também desperdiçar a chance de abrir vantagem para o jogo de volta no próximo dia 7, o técnico da  Chapecoense, Gilson Kleina, citou a superioridade dos uruguaios, especialmente na forte marcação, e lamentou as expulsões no jogo.

– Foi um jogo de muita marcação. Ele (Medina, técnico do Nacional) entrou com quatro laterais, fechou todo o lado de campo. Tentamos sair de trás, furar essas linhas, porém não conseguimos fazer a bola chegar e finalizar no gol. Foi um jogo de pouca criação – analisou.

Kleina também lamentou a expulsão dos dois jovens que entraram na segunda etapa. O atacante Perotti levou vermelho numa entrada mais dura, e Eduardo por uma cotovelada no uruguaio.

– Entendo que em cima do Perotti poderia ser uma amarelo. O árbitro foi rígido. A do Eduardo, ele abriu o braço.

A lamentação do técnico tem respaldo. As substituições feitas por ele – mudou o esquema de jogo de três volantes para três atacantes - buscaram investir em jogadas laterais e furar a marcação dos uruguaios, que estavam com um homem a menos. Além de Perotti e Eduardo, o atacante Bruno Silva também entrou com este propósito.

– Tínhamos 20 minutos para trabalhar 10 contra 9, mas infelizmente terminamos o jogo com um homem a menos. São esses detalhes que na Libertadores a gente paga muito caro – disse Kleina ao afirmar que o time não soube aproveitar a oportunidade.

– Tivemos só três minutos com um a mais. Essa é a minha maior lamentação.

A estratégia da Chape agora não pode ser outra. Vencer a forte equipe uruguaia em Montevidéu. O Verdão precisa fazer 1 a 0 para levar a decisão para a fase de grupos para os pênaltis ou marcar 2 ou mais para sair classificado.

– Nós sabemos que temos mais um jogo. Eles estão comemorando a primeira batalha e nós vamos fazer de tudo para comemorarmos a segunda. É esse o pensamento que a gente tem que ter. Chegar forte dentro do Uruguai.

Confira mais informações sobre a Chapecoense
Veja a tabela completa do
Catarinense 2018

O Sol Diário
Busca