Claudinei defende Luanzinho e tem empate do Avaí no clássico como "prêmio" - Esporte - O Sol Diário
 

Leão12/03/2018 | 07h31Atualizada em 12/03/2018 | 07h31

Claudinei defende Luanzinho e tem empate do Avaí no clássico como "prêmio"

Treinador do Leão valoriza resultado fora de casa e com um jogador a menos

Claudinei defende Luanzinho e tem empate do Avaí no clássico como "prêmio" Marco Favero/Diário Catarinense
Claudinei Oliveira enaltece poder de reação azurra no clássico Foto: Marco Favero / Diário Catarinense
DC Esportes
DC Esportes

O Avaí conseguiu o empate por 1 a 1 com o Figueirense com o gol anotado nos acréscimos. A equipe azurra passou a maior parte do duelo de domingo, no Orlando Scarpelli, em desvantagem no placar e na quantidade de jogadores em campo, com a expulsão do meia-atacante Luanzinho pouco após o tento alvinegro. Conseguir a igualdade nestas condições foi celebrado pelo técnico Claudinei Oliveira.

— É o empate de uma equipe que não desistiu nenhum minuto, mesmo com um jogador a menos. A gente lamenta o gol (tomado) em um chute de média distância. Sofremos com bolas aéreas, temos que treinar. O empate premia o Avaí que não desistiu. Tenho que parabenizar os atletas pela luta e na minha opinião foi merecido o empate — avaliou o treinador.

Claudinei Oliveira foi expulso na sequência do cartão vermelho do atleta. Assim como o adversário, o técnico também reclamou da arbitragem comandada por Ramon Abatti Abel. No entanto, buscou ser breve ao falar da exclusão de Luanzinho e a sua.

— Na minha avaliação não (merecia ser expulso). Ele sofre uma falta, faz o movimento com o braço e o Betinho vai lá e se joga. O Luanzinho não tem histórico de fazer isso. Ele (árbitro) foi criticado que foi mal domingo passado (Joinville 0 x 2 Avaí), errou na parte disciplinar e como prêmio apita o clássico. Ele não tem muito critério,. Expulsou o Luanzinho sem convicção. Não podemos falar muito o que pensa, pode ser punido. A equipe do Avaí pode errar por ser boazinha, mas não por ser agressiva. O árbitro foi na dele. Eu não tinha aberto a boca e ele já tinha me ameaçado expulsão. No gol do Figueirense o treinador entrou em campo falar com jogador. Apesar de terem excedido com Betinho, eu não entrei em campo, e fui o único expulso. Quando sai, cutuquei a cabeça do Betinho e disse pra parar de se jogar. Veio o auxiliar do Figueirense, não sei se não ia me agredir e mantive ele afastado.

Na próxima rodada do Estadual, o Avaí vai enfrentar o Concórdia às 18h de domingo, no Oeste de Santa Catarina. Antes, a equipe tem compromisso pela terceira fase da Copa do Brasil. O Leão pode empatar com o Fluminense na Ressacada, às 21h30min de quinta-feira, para avançar.

Confira a tabela do Catarinense 2018
Leia mais notícias sobre o
Catarinense 2018

O Sol Diário
Busca