Figueirense perde para o Atlético-MG nos pênaltis e deixa a Copa do Brasil - Esporte - O Sol Diário
 

Não deu14/03/2018 | 23h55Atualizada em 14/03/2018 | 23h56

Figueirense perde para o Atlético-MG nos pênaltis e deixa a Copa do Brasil

Furacão vence no tempo normal por 2 a 1, mas vê Victor defender as cobranças de Jorge Henrique e Diego Renan

Figueirense perde para o Atlético-MG nos pênaltis e deixa a Copa do Brasil Ramon Lisboa/Estado de Minas
Foto: Ramon Lisboa / Estado de Minas
DC Esportes
DC Esportes

Apesar de fazer uma boa partida e vencer o Atlético-MG por 2 a 1 no tempo normal, o Figueirense está eliminado da Copa do Brasil. Nas cobranças de pênaltis, o Galo foi mais efetivo e fez 4 a 2, impedindo o Alvinegro de chegar à quarta fase da competição nacional. Além da vaga, o time mineiro ainda garante a quantia de R$ 1,8 milhão como prêmio pela classificação.

Fora da Copa do Brasil, o Figueirense volta de vez suas atenções ao Catarinense, onde é o segundo colocado e único invicto. No domingo às 16h, o time recebe o Inter de Lages, no Orlando Scarpelli, pela 14ª rodada. O Galo espera até segunda-feira pelo sorteio da CBF para saber quem enfrenta na quarta fase, mas antes enfrenta o URT, no domingo às 16h, pelas quartas de final do Mineiro. 

O Figueirense entrou em campo com uma faixa em homenagem a Bebeto de Freitas, que morreu na terça-feira na Cidade do Galo. Ele era diretor de administração no clube. Com a bola rolando, o Alvinegro teve uma baixa logo no início. O zagueiro Cleberson sentiu lesão muscular e foi substituído por Eduardo. O Furacão impôs a pressão ofensiva e  teve chance em falta com Diego Renan, que levantou para o meio da área. A bola passou pelos jogadores dos dois times e quase surpreendeu Victor. O goleiro teve que se abaixar para rebater.

Com maior posse de bola, o Figueirense chegou ao gol aos 21 minutos. O volante Zé Antônio cobrou falta da intermediária, soltou uma pancada e a bola foi no ângulo. Nem deu tempo para festejar, pois o Galo assustou com Róger Guedes em chute que parou em Denis. Aos 25, porém, Ricardo Oliveira recebeu dentro da área e bateu rasteiro, cruzado, para empatar. O Atlético-MG só não virou o placar primeiro tempo graças a uma defesaça do camisa 1 do Furacão após um novo arremate do centroavante do Galo.

Na volta para o segundo tempo, Milton Cruz fez mais uma troca forçada por causa de lesão. O volante Betinho deixou o gramado com suspeita de fratura no tornozelo, e Pereira foi o escolhido para entrar. Precisando de pelo menos um gol para levar a decisão aos pênaltis, o Figueirense foi para cima. Na primeira chegada, Jorge Henrique deixou Ferrareis na cara de Victor, mas o goleiro conseguiu travar. Logo em seguida, Maikon Leite recebeu dentro da área e o chutou com força. A bola saiu por cima da meta atleticana. 

Na base da insistência, o Furacão conseguiu furar o bloqueio do Galo. Aos 25, André Luís fez o pivô e caiu junto com Leonardo Silva dentro da área, mas o zagueiro ao tentar afasta deu a bola nos pés de Jorge Henrique. O camisa 10 bateu no canto direito de Denis para recolocar o time catarinense na frente. Tentando evitar os pênaltis, o Atlético-MG se abriu e deu espaço para o contra-ataque. Em um deles, André Luís avançou e bateu pela linha de fundo. Sem ter mais tempo de jogo, a disputa da vaga foi mesmo para as penalidades.

A decisão nos pênaltis
Autor do gol no tempo normal, Jorge Henrique abriu a série de pênaltis e parou na defesa de Victor. Em seguida, Fábio Santos deslocou Denis e colocou o Galo na frente, mas na segunda batida do Figueirense o artilheiro André Luís empatou. Ricardo Oliveira foi bem e recolocou o Atlético-MG em vantagem. Depois, Diego Renan também teve a cobrança defendida por Victor, no canto direito. Tomás Andrade fez 3 a 1 para os mineiros, e Cedrón descontou. Mas Luan fez o 4 a 2 e decretou a eliminação do Furacão.

FICHA TÉCNICA

ATLÉTICO-MG - 1 (4)
Victor; Patric, Leonardo Silva, Gabriel (Iago Maidana) e Fábio Santos; Adilson, Arouca, Otero (Tomás Andrade) e Cazares; Róger Guedes (Luan) e Ricardo Oliveira. Técnico: Thiago Larghi.

FIGUEIRENSE - 2 (2)
Denis; Diego Renan, Cleberson (Eduardo), Nogueira e Lazaroni; Zé Antônio, Betinho (Pereira), Ferrareis, Jorge Henrique e Maikon Leite (Victor Cedrón); André Luís. Técnico: Milton Cruz.

GOLS: Zé Antônio (F), aos 21, e Ricardo Oliveira (A), aos 25 minutos do primeiro tempo. Jorge Henrique (F), aos 25 minutos do segundo tempo.
CARTÕES AMARELOS:
Leonardo Silva e Ricardo Oliveira (A). Ferrareis e Jorge Henrique (F).
BORDERÔ:
15.169 torcedores / Renda R$ 199.445,00.
ARBITRAGEM
: Dyorgines Jose Padovani de Andrade, auxiliado por Fabiano da Silva Ramires e Vanderson Antônio Zanotti (trio do ES).
LOCAL: Estádio Independência, em Belo Horizonte.

Confira a tabela do Catarinense 2018
Leia mais notícias sobre o
Catarinense 2018

O Sol Diário
Busca
Imprimir