Chapecoense dá aula na defesa, breca o Atlético-MG e arranca empate importante - Esporte - O Sol Diário
 

Copa do Brasil02/05/2018 | 21h24Atualizada em 02/05/2018 | 21h24

Chapecoense dá aula na defesa, breca o Atlético-MG e arranca empate importante

Verdão e Galo voltam a duelar pelas oitavas de final no próximo dia 16, em Chapecó

Chapecoense dá aula na defesa, breca o Atlético-MG e arranca empate importante DUDU MACEDO/FOTOARENA,ESTADÃO CONTEÚDO
Foto: DUDU MACEDO / FOTOARENA,ESTADÃO CONTEÚDO
DC Esportes
DC Esportes

A perfeita exibição do sistema defensivo garantiu à Chapecoense um bom resultado na estreia da Copa do Brasil. Na noite desta quarta-feira, o Verdão segurou a pressão do Atlético-MG e ficou no empate, por 0 a 0, na Arena Independência, em Belo Horizonte, pelo duelo de ida nas oitavas de final. O goleiro Jandrei foi o destaque, assim como tinha ocorrido no domingo na igualdade diante do Palmeiras pela Série A do Brasileiro, em São Paulo. 

A partida de volta está marcada para o próximo dia 16 (quarta-feira), às 19h30min, na Arena, em Chapecó. Quem vencer se garante na próxima etapa e embolsa a premiação de R$ 3 milhões. O empate leva a decisão aos pênaltis. Antes do reencontro, os times têm compromissos pelo Brasileirão. A Chape recebe o Paraná na segunda-feira, às 20h. O Galo visita o São Paulo, no sábado às 19h, no Morumbi.

O jogo

A Chape cumpriu à risca a missão no primeiro tempo. Com duas linhas de quatro bem postada e somente Arthur Caíke e Wellington Paulista mais adiantados, o Verdão suportou a pressão do Galo. Os mineiros tiveram o maior domínio e criaram boas chances de gol, mas faltou efetividade. Aos nove minutos, Ricardo Oliveira encontrou espaço apenas do lado de fora da área e soltou a pancada. A bola foi pela linha de fundo.

Decisivo nos últimos jogos do Atlético-MG, Róger Guedes tentou o jogo individual. Aos 13, após um lance dele, a bola sobrou para Gustavo Blanco chutar, e Jandrei defendeu. Na única chegada ao ataque, a Chape ficou no goleiro Victor após cabeçada de Arthur Caíke. O Galo teve mais duas oportunidades. Aos 41, Otero tentou gol olímpico e depois Ricardo Oliveira arrematou à esquerda. 

Os primeiros minutos da etapa final foram de mais retranca no Verdão. Aos dois, Otero levantou a bola para o meio da área, ninguém foi nela e Jandrei fez a defesa. Em seguida, Luan aproveitou a falha de Amaral e serviu para Blanco. Ele bateu por cima da meta. Aos 13, Otero tentou surpreender Jandrei novamente, mas o goleiro espalmou outra vez. 

Thiago Larghi resolveu mexer no Galo. Elias e Cazares foram a campo nas vagas de Adilson e Blanco. Os torcedores não gostaram e vaiaram. Gilson Kleina respondeu com a entrada de Guilherme no lugar de Canteros, em nítida tentativa de chegar até o gol mineiro na base do contra-ataque.

Acostumado a apoiar pela direita, Patric teve duas chances. Aos 22, ele parou a zaga da Chape após Ricardo Oliveira ajeitar. Depois, o lateral girou já dentro da área e bateu cruzado, mas a bola passou em frente a meta e saiu à direita. O Verdão chegou com perigo aos 35. Wellington Paulista bateu forte, e Victor se esticou para espalmar pelo Galo.

 FICHA TÉCNICA

ATLÉTICO-MG
Victor, Patric, Leonardo Silva, Gabriel e Fábio Santos; Adilson (Cazares), Gustavo Blanco (Elias) e Otero; Luan (Matheus Galdezani), Roger Guedes e Ricardo Oliveira. Técnico: Thiago Larghi.

CHAPECOENSE
Jandrei; Apodi, Rafael Thyere, Douglas e Bruno Pacheco; Amaral, Elicarlos, Márcio Araújo (Vinicius Freitas) e Canteros; Arthur CaÍke (Júnior Santos) e Wellington Paulista. Técnico: Gilson Kleina.

CARTÕES AMARELOS: Luan e Patric (A). Jandrei e Apodi (C).
BORDERÔ: 19.476 torcedores para renda de R$ 258.225,00.
ARBITRAGEM: Paulo Roberto Alves Júnior, auxiliado por Rafael Trombeta e Pedro Martinelli Christino (trio do PR).
LOCAL: Estádio Independência, em Belo Horizonte.

Leia mais notícias sobre a Chapecoense no DC

O Sol Diário
Busca