João Paulo troca gols por assistências e segue titular absoluto no Criciúma - Esporte - O Sol Diário
 

Versátil06/06/2018 | 16h55Atualizada em 06/06/2018 | 16h55

João Paulo troca gols por assistências e segue titular absoluto no Criciúma

Atacante mantém importância para o time e se diz satisfeito com a função de "garçom"

João Paulo troca gols por assistências e segue titular absoluto no Criciúma Guilherme Hahn/Especial
Jogador continua sendo o maior goleador do Tigre na Série B, mas viu Zé Carlos encostar na artilharia Foto: Guilherme Hahn / Especial
Renan Medeiros

Depois de começar a Série B como artilheiro do Criciúma com quatro gols, o atacante João Paulo viu Zé Carlos encostar no número de gols marcados, com três. Por outro lado, João Paulo encontrou um novo jeito de ajudar o Tigre na vitória por 4 a 1 sobre o Paysandu. O jogador deu o passe para os dois primeiros gols e é, agora, o líder em assistências no time.

Um dos preferidos da torcida, João Paulo diz que não se importa de não balançar as redes, desde que ajude na construção dos gols feitos pelos colegas.

— Não mudou nada na minha postura. Quem está à frente, mais perto do gol, somos o Zé e eu. Se eu passo para ele fazer o gol, é gol meu e da equipe. Fico muito feliz por ele, que também estava precisando, porque tinha muita gente pegando no pé dele. Com uma assistência ou gol meu, estou feliz do mesmo jeito — diz.

Mas admite que é "fominha" e não gosta de ficar fora do time. O jogador ficou bastante insatisfeito ao ser substituído no segundo tempo.

— Todo mundo quer jogar, eu não gosto mesmo de sair, mas não tenho nada com o Mazola. Foi algo meu. Ontem, eu estava gostando muito do jogo e acabei saindo, mas dei oportunidade para outro parceiro entrar e está tudo certo. Não foi nada demais — minimizou o atacante.

Titular absoluto desde o início da Série B, João Paulo viu a concorrência aumentar no ataque com a contratação de Vitor Feijão e a promoção de Julimar, campeão catarinense no ano passado pelo time sub-17. Esse variedade de opções que tem o técnico Mazola Júnior não tira o sono do atacante.

— A briga é boa, sadia. Se tem alguém na zona de conforto, a competição tira. O jogador sabe que, se não se esforçar, vai sair. Isso é muito bom, porque quando alguém precisa dar lugar ao companheiro o time não perde qualidade 

O Tigre se reapresentou na tarde desta quarta-feira, no Centro de Treinamento. Os atletas que não atuaram contra o Paysandu fizeram uma atividade técnica, enquanto os demais participaram de um trabalho regenerativo.

O próximo jogo do Criciúma será contra o lanterna Boa Esporte, sábado, às 16h30min, no Estádio Heriberto Hülse.


Veja a tabela da Série B do Brasileiro
Mais notícias do
Criciúma

O Sol Diário
Busca