Mazola abre o jogo sobre a situação do Criciúma: "é gravíssima" - Esporte - O Sol Diário
 

Papo reto22/06/2018 | 06h50Atualizada em 22/06/2018 | 06h50

Mazola abre o jogo sobre a situação do Criciúma: "é gravíssima"

Técnico admite que há problemas internos que precisam ser resolvidos "urgentemente"

Mazola abre o jogo sobre a situação do Criciúma: "é gravíssima" Guilherme Hahn/Especial
Treinador frisou que o Criciúma não pode pensar que está indo bem se os resultados não aparecem Foto: Guilherme Hahn / Especial
Renan Medeiros

O técnico Mazola Júnior não economizou palavras para manifestar a preocupação com a situação do Criciúma na Série B do Brasileiro. Depois da derrota por 1 a 0 diante do Brasil de Pelotas, o Tigre se manteve na penúltima posição e dificultou a saída do Z-4.

—A situação é gravíssima. Temos que resolver urgentemente. Estou muito preocupado. Muito. Porque não quero ser demitido, não quero ser só mais um no Criciúma. Quero fazer história. É um clube que me acolheu de forma espetacular e não vou aceitar passivamente algumas coisas que estão acontecendo. São coisas não dependem só do meu trabalho, e têm que ser resolvidas. Temos que tomar atitudes radicais para sair desta situação — afirmou o técnico.

Mazola admitiu a existência de problemas que não se limitam à falta de opções no elenco, mas preferiu não externar o que seriam essas questões.

— É inadmissível um clube como o Criciúma estar na situação em que está. O sinal de alerta está mais do que ligado e temos que levar todos nesse raciocínio. Não podemos pensar que o time se recuperou, que está indo bem e que vamos sair dessa situação. As atitudes precisam ser tomadas. Estamos com 12 rodadas e só 9 pontos — reforçou.

O treinador avaliou que a derrota diante do Brasil se originou com uma falta cometida sem necessidade e deu a oportunidade para o adversário fazer o gol. A comissão técnica já havia alertado antes do duelo que a bola parada é o forte do time xavante.

O que tira o sono de Mazola, porém, é a facilidade com que os adversários chegam ao gol nos jogos contra o Criciúma.

—  Estamos tomando gol em todos os jogos. Isso é um sinal muito ruim. O adversário vai ao nosso gol poucas vezes e põe a bola para jogo — observou Mazola. Por outro lado, ele enalteceu a força de vontade dos jogadores e a dedicação nos treinos.

O comandante não quis comentar o impacto dos desfalques na partida. Sueliton, Eduardo e Zé Carlos são os titulares que não estavam disponíveis para o confronto.

— Um clube como o Criciúma tem que ter substitutos à altura. Não pode ficar dependente do "A", do "B" ou do "C".

O grupo terá mais de uma semana para se preparar antes da próxima rodada. O adversário será o São Bento, no dia 30, às 18h.

Veja a tabela da Série B do Brasileiro
Mais notícias do
Criciúma

O Sol Diário
Busca