Chapecoense segue sem vencer no pós-Copa, perde do Botafogo e retorna à zona de degola - Esporte - O Sol Diário
 
 

Brasileirão26/07/2018 | 21h28Atualizada em 26/07/2018 | 21h52

Chapecoense segue sem vencer no pós-Copa, perde do Botafogo e retorna à zona de degola

Verdão do Oeste sofre gol no segundo tempo e está novamente entre os últimos quatro colocados

Chapecoense segue sem vencer no pós-Copa, perde do Botafogo e retorna à zona de degola THIAGO RIBEIRO/ESTADÃO CONTEÚDO
Foto: THIAGO RIBEIRO / ESTADÃO CONTEÚDO
DC Esportes
DC Esportes

Sem vencer desde a retomada na Série A do Brasileiro, a Chapecoense voltou à zona de rebaixamento. Na noite desta quinta-feira, a equipe caiu diante do Botafogo, por 1 a 0, em partida no Estádio Nilton Santos (o Engenhão), no Rio de Janeiro, pela 15ª rodada. O resultado faz o Verdão do Oeste figurar de novo entre os quatro piores times da competição depois de oito rodadas, pois a última vez que esteve por lá foi na sétima rodada.

A Chape permanece com 16 pontos e caiu para a 17ª colocada, sendo ultrapassada por Vitória e América-MG, que venceram seus jogos na rodada. O Verdão do Oeste volta a campo diante do Grêmio. O confronto ocorre no domingo, às 19h, na Arena Condá. O Botafogo chegou aos 20 pontos e subiu para o 10º lugar. O time carioca pega o Internacional no domingo, às 16h, no Beira-Rio, em Porto Alegre. 

Com uma formação fechada, a Chape deu ao Bota a opção de chegar através da bola aérea. E foi assim que o time carioca criou a primeira chance. Aos 13 minutos, a Leo Valencia cobrou escanteio e Joel Carli cabeceou. A bola foi por cima da meta de Jandrei. Três minutos depois, Matheus Fernandes levantou a torcida da casa. Valencia ajeitou e, da entrada da área, o meia bateu colocado buscando o ângulo direito. Por muito pouco, a redonda não encontrou a rede.

Sem a presença do atacante Wellington Paulista, suspenso, o técnico Gilson Kleina apostou em Osman para atuar com Bruno Silva e Leandro Pereira. A Chape, porém, sentiu a falta de criatividade no meio de campo para abastecer os homens de frente. Por causa disso, a equipe não conseguiu, durante os 45 minutos iniciais, levar perigo ao gol defendido por Saulo. Do outro lado, o Bota também se mostrou ineficiente diante do bloqueio do Verdão do Oeste. 

Na volta do intervalo, a Chapecoense quase recebeu um presente o time da casa. Igor Rabello errou o recuo para Saulo, mas Leandro Pereira perdeu a chance de ficar de frente para o gol. Dois minutos depois, o Alvinegro abriu o placar. Marcinho vinha sendo vaiado pela torcida, mas apareceu na área e bateu no canto baixo esquerdo de Jandrei. Na comemoração, o lateral se exaltou e apontou o dedo para os torcedores em puro desabafo, mas foi contido por Kieza.

Em desvantagem, o time catarinense foi para cima na tentativa de empatar, mas continuou sem o poder de criação. Nem mesmo a entrada de Doffo na vaga de Canteros melhorou essa situação. O Botafogo apostou no contra-ataque e conseguiu fazer o segundo gol com Moisés, mas o árbitro invalidou ao assinalar falta do lateral no começo da jogada. No minutos finais, o Verdão chegou a empatar com Leandro Pereira, mas o juiz marcou impedimento no lance.

FICHA TÉCNICA

BOTAFOGO - 1
Saulo; Marcinho (Luís Ricardo), Joel Carli, Igor Rabello e Moisés; Rodrigo Lindoso, Mateus Fernandes, Gilson e Leo Valencia (Renatinho); Rodrigo Pimpão (Ezequiel) e Kieza. Técnico: Marcos Paquetá.

CHAPECOENSE - 0
Jandrei; Eduardo, Rafael Thyere, Douglas e Bruno Pacheco; Elicarlos, Márcio Araújo e Canteros (Doffo); Osman (Guilherme), Leandro Pereira e Bruno Silva (Júnior Santos). Técnico: Gilson Kleina.

GOL: Marcinho, aos nove minutos do segundo tempo.
CARTÕES AMARELOS:
Rodrigo Pimpão e Rodrigo Lindoso (B). Canteros, Douglas e Doffo (C).
BORDERÔ:
7.602 torcedores para renda R$ 128.550,00.
ARBITRAGEM:
Sávio Pereira Sampaio, auxiliado por Daniel Henrique da Silva Andrade e Ciro Chaban Junqueira (trio do DF).
LOCAL: Engenhão, no Rio de Janeiro.

Leia mais notícias sobre a Chapecoense no DC


O Sol Diário
Busca