Com fome de vitória, Vitor Miranda espera nocautear no UFC Hamburgo - Esporte - O Sol Diário
 
 

Na Guarda21/07/2018 | 09h40Atualizada em 21/07/2018 | 09h40

Com fome de vitória, Vitor Miranda espera nocautear no UFC Hamburgo

Catarinense luta no card principal contra Abu Azaitar e espera voltar a dar show

Com fome de vitória, Vitor Miranda espera nocautear no UFC Hamburgo Alexandre Loureiro/Inovafoto
Foto: Alexandre Loureiro / Inovafoto

Uma luta dura até 15 minutos dentro do octógono, o tempo de três rounds, mas a preparação é mais demorada. No caso do peso-médio (84kg) catarinense Vitor Miranda, que neste domingo às 15h encara o alemão Abu Azaitar no UFC Hamburgo, na Alemanha, a preparação foi longa: aproximadamente 13 meses, data da última derrota.

Aos 39 anos, o joinvilense perdeu para Marvin Vettori, em junho do ano passado, e de lá pra cá cancelou uma luta semanas antes dela acontecer e se tornou pai mais uma vez. Tudo isso, segundo ele, para dar ainda mais vontade de lutar.

– Foi importante ficar esse período cuidando da minha esposa, ajudando na gravidez dela que foi um pouco complicada por conta de uma lesão no quadril. Mas a bebê (Maya) veio toda saudável, a gente está bem feliz, e esse tempo todo parado deu para treinar, me preparar e botar a cabeça no lugar. Eu vou voltar com tudo, e esse Vitor que vai entrar no domingo vai representar as três primeiras lutas que fiz no UFC com nocaute, e acho que vou vencer de novo com nocaute – conta o lutador, direto da Alemanha.

Quem é mais careca?

Uma publicação compartilhada por Vitor Miranda (@vithai) em

Experiência ele tem de sobra, e não só no MMA. Até os 21 anos o esporte que Vitor praticava era o basquete, chegando disputar a Liga Nacional representando o time de Joinville. Mas foi no MMA que ele se encontrou e, nas próprias palavras, vai continuar trabalhando por mais um tempo.

– Eu já tô há 17 anos na estrada e muito feliz pelo que conquistei até hoje. Eu já tô com 39, ano que vem é quarentinha, e não sei dizer quantos anos ainda eu vou conseguir me manter em alto nível, mas enquanto eu tiver gana, fome de treino, motivação diária pra sair de casa e treinar, fazer dieta, enquanto tiver isso eu consigo competir com segurança. Depois que eu perder essa vontade, de não ter motivação para sair na porrada com os novinhos, aí vai estar na hora de eu pensar em abandonar. Mas estou bem, saudável, motivado, e acho que vou mais três anos em alto nível.

Um recomeço

Vice-campeão do TUF Brasil 3, após perder a final o jogo virou. Vitor enfileirou três vitórias por nocaute e mostrou muito potencial. Mas aí vieram duas derrotas, as dúvidas e o passo atrás, segundo ele, vai servir para voltar a sentir o gosto da vitória mais uma vez. Não houve deslumbramento com os triunfos, mas hoje, ainda mais experiente, Vitor Miranda conta o que realmente vale a pena para quem tem o status de "lutador do UFC".

_ Glamour é legal pra caramba, né? Com ele vem oportunidade, até mais dinheiro, mas vi muita gente de família que chegou no topo e, com o glamour, arrebentou com a família. Tirou dinheiro do cara, separou, foi pro fundo do poço, e depois teve que voltar pra família e se reerguer. Eu decidi não dar esse looping e me manter com a minha família, independentemente se eu ficar rico, milionário ou tiver uma estabilidade financeira tranquila. Dinheiro vai e volta, a fama vem e vai embora, mas a família e o amor é que ficam. Os amigos que você conquistou enquanto estava na luta é que ficam.

Bombando no Youtube

Criado há três anos, o canal de Vitor Miranda no Youtube é referência de conteúdo sobre MMA no país. São mais de 217 mil inscritos e um dos vídeos tem mais de 8 milhões de visualizações, com tudo sendo filmado, editado e divulgado por ele mesmo.

— Criei o canal na intenção de fazer um relatório pra galera saber como é minha preparação, pra ver como baixa o peso e acabou que se tornou um vlog que virou referência no mundo da luta. Eu tenho recebido muitas mensagens legais, o engajamento dos vídeos é muito alto, a galera comenta, curte e diz que ajudo na motivação diária deles e isso, pra mim, é sensacional. É uma coisa que eu quero continuar fazendo cada vez melhor pra atingir o maior número de fãs. As vezes o cara nem luta, mas uma palavra legal, uma história de um cara que conseguiu se superar, e vou continuar com ele firme.

Card principal - 15h

Maurício Shogun x Anthony Smith
Glover Teixeira x Corey Anderson
Vitor Miranda x Abu Azaitar
Marcin Tybura x Stefan Struve
Nasrat Haqparast x Marc Diakiese
Danny Roberts x David Zawada

Card preliminar - 11h30min

Nick Hein x Damir Hadzovic
Emil Meek x Bartosz Fabinski
Khalid Taha x Nad Narimani
Justin Ledet x Aleksandar Rakic
Davey Grant x Manny Bermudez
Jeremy Kimball x Darko Stosic
Damian Stasiak x Pingyuan Liu

Leia também

Após quase ser vetado da luta, Nazareno Malegarie é derrotado no PFL 4
Junior Cigano volta ao UFC com vitória sobre Blagoy Ivanov
Ex-campeão do UFC, Lyoto Machida assina com o Bellator

O Sol Diário
Busca