Com mudanças após a Copa, Chapecoense encara o Bahia na Arena Condá - Esporte - O Sol Diário
 
 

Brasileirão19/07/2018 | 06h31Atualizada em 19/07/2018 | 06h31

Com mudanças após a Copa, Chapecoense encara o Bahia na Arena Condá

Missão do Verdão é manter desempenho em casa, a começar pelo Bahia às 19h30min de quinta-feira

Com mudanças após a Copa, Chapecoense encara o Bahia na Arena Condá Arte DC/Arte DC
Foto: Arte DC / Arte DC

Depois de 39 dias a Chapecoense volta a jogar na Arena Condá, na retomada do Campeonato Brasileiro. O estádio é o mesmo, mas a equipe mandante não é. O desafio do Verdão é contra o Bahia, às 19h30min desta quinta-feira. O último jogo em casa foi a vitória por 2 a 0 diante do Cruzeiro. Depois deste jogo, a Chape encarou o América-MG e veio a parada na competição por causa da Copa do Mundo, na Rússia.

Durante o período,  o Verdão perdeu os titulares Apodi e Arthur Caíke, que foram para a Arábia Saudita e Egito, respectivamente, além do reserva Nadson, que voltou ao Paraná Clube. Outra baixa, embora momentânea, é o zagueiro Douglas, que precisa regularizar contrato de saída do São Paulo. O torcedor ainda não poderá ver outros reforços, como os meias Doffo, Jean Roberto e Yan Rolinn. Mas irá conferir um time com pelo menos três novos titulares: Luiz Otávio, Eduardo e Bruno Silva.

Os três já estavam no clube, mas ganham nova oportunidade. As duas primeiras são escolhas naturais, corriqueiras nas 12 primeiras rodadas do Brasileirão. A grande aposta é no atacante de 18 anos que é formado na base do clube e tem 20 jogos com a camisa verde. Porém, desta vez, aparece como o jogador para assumir a função e se firmar, e não mais como substituto ou uma alternativa no decorrer dos jogos.

- Ele tem de controlar a ansiedade. Não posso rotular ele como jogador de segundo tempo e nem colocar como o salvador da pátria. Mas é um jogador insinuante – apontou o técnico Gilson Kleina.

Outro jogador que por pouco não saiu da Arena Condá é o goleiro Jandrei. A Sampdoria chegou a fazer uma oferta de 2,5 milhões de euros, cerca de R$ 11 milhões, mas a direção do Verdão achou pouco para perder mais um jogador. Kleina valorizou o goleiro.

- Falei com ele e lembrei que se ele esteve valorizado a ponto de ser pretendido pelo Sampdoria, foi com a camisa da Chapecoense. Aqui ele fez a melhor campanha da vida dele e ele é fundamental para as nossas pretensões no Campeonato Brasileiro.

A Chape tem a partida como um confronto direto, uma vez que considera o Bahia um adversário direto na briga pela permanência na Série A. Enquanto o time catarinense tem 14 pontos, na décima quarta posição, os baianos tem 12. Uma vitória deixa a Chapecoense próximo ou dentro do grupo dos dez primeiros. Uma derrota, por outro lado, levaria o time para as proximidades do Z-4.

Kleina acredita que a partida desta quinta-feira equivale uma oportunidade clara e direta do time manter o bom desempenho dentro de casa. Dos 14 pontos conquistados, 11 foram na Arena Condá. Enquanto a Chapecoense fez apenas um amistoso na intertemporada, contra o San Lorenzo, o Bahia seguiu em atividade. Há 10 dias encerrou a Copa do Nordeste com o vice-campeonato e na última segunda-feira garantiu a avanço na Copa do Brasil mesmo com a derrota por 2 a 0 para o Vasco.

FICHA TÉCNICA

CHAPECOENSE
Jandrei; Eduardo, Rafael Thyere, Luiz Otávio e Bruno Pacheco; Elicarlos, Márcio Araújo, Canteros e Luiz Antônio; Bruno Silva e Wellington Paulista. Técnico: Gilson Kleina.
BAHIA
Anderson; Leo (Bruno), Lucas Fonseca, Tiago e Nino Paraíba; Gregore, Elton, Mena, Zé Rafael e Vinícius; Edigar Junio (Gilberto). Técnico: Enderson Moreira.

ARBITRAGEM: Rodolpho Toski Marques (PR), auxiliado por Danilo Ricardo Simon Manis (SP) e Victor Hugo Imazu dos Santos (PR)
DATA E HORA: às 19h30min desta quinta-feira.
LOCAL: Arena Condá, em Chapecó.
INGRESSOS: R$ 80 (Geral), R$ 100 (Cadeiras descobertas), R$ 120 (Cadeiras cobertas laterais), R$ 150 (Cadeiras centrais).

Leia mais notícias sobre a Chapecoense no DC


O Sol Diário
Busca