Marquinhos aponta Guga como novo 'cheque em branco' do Avaí - Esporte - O Sol Diário
 
 

Mercado26/07/2018 | 16h38Atualizada em 26/07/2018 | 18h38

Marquinhos aponta Guga como novo 'cheque em branco' do Avaí

M10 acredita que negociação do lateral é questão de tempo: ¿Não há como segurar¿

Marquinhos aponta Guga como novo 'cheque em branco' do Avaí Leo Munhoz/Diário Catarinense
Foto: Leo Munhoz / Diário Catarinense
DC Esportes
DC Esportes

O Avaí já começa a imaginar o elenco que disputa a Série B do Campeonato Brasileiro sem o lateral-direito Guga. Em entrevista coletiva nesta quinta-feira, o meia e capitão Marquinhos demonstrou isso. O clube não aceitou uma proposta do Sevilha, da Espanha, feita recentemente (clique aqui e entenda). No entanto, o ídolo azurra deu mostra de que é questão de tempo o Leão negociar o atleta para algum time. Como rotulou o zagueiro Gabriel no ano passado, quando da negociação ao futebol francês, para M10 Guga é um “cheque em branco” e que as finanças azurras apontam que a negociação do companheiro está próxima.

- É inevitável o interesse dos times. Se vier uma boa proposta não há como o Avaí segurar. Queria que ficasse, que todo mundo ficasse, por nos ajudar. Como torcedor, gostaria de tê-lo como ídolo. Mas pelas finanças do clube, no meio do futebol, você é obrigado a vender. Não tem jeito. E aqui a gente não nada em dinheiro. Propostas virão, normal, cabe à direção, ao presidente. Se vier, será negociado e pedimos ao torcedor que tenha paciência. Para o clube crescer, tem que vencer jogadores. Aconteceu comigo quando eu tinha 17, aconteceu com o Gabriel, agora pode ser o Guga e depois pode ser o Luanzinho, o Romulo — disse Marquinhos.

Com a janela de transferência ao futebol europeu aberta até o final de agosto, cresce a possibilidade do lateral deixar o clube negociado durante a disputa da Série B. Se vier a acontecer, além do pedido de compreensão do torcedor, M10 garante que haverá reposição para o setor, ainda que não seja uma contratação.

— O mais importante é que sai um e recompomos com jogadores de qualidade. Hoje formamos quatro ou cinco atletas por ano. Importante é saber o que estamos fazendo e falar a verdade ao torcedor: se vier proposta boa pelo Guga, precisamos negocia-lo, precisamos disso e o menino precisa crescer. Ele pode chegar ao topo em um lugar e precisar sair para evoluir. Seria ruim segurar o jogador contra a vontade dele. Enquanto não estabilizar o clube, com anos na Série A, não há como segurar. Todo mundo vê jogo do Avaí, aparece e surge interesse. É importante ao clube como formador. Isso vai acontecer e cabe à base e comissão técnica repor perdas que tivermos eventualmente.

Depois do empate em 1 a 1 com o Fortaleza na última terça, o Avaí entra em campo nesta sexta-feira diante do CSA. O duelo contra o CSA está marcado para as 19h15min, na Ressacada.

Veja a tabela da Série B do Brasileiro
Mais notícias do
Avaí

O Sol Diário
Busca