Criciúma leva 3 a 0 do CSA e continua perto do Z-4 - Esporte - O Sol Diário
 

Revés25/08/2018 | 18h22Atualizada em 25/08/2018 | 18h42

Criciúma leva 3 a 0 do CSA e continua perto do Z-4

Time alagoano aproveitou desorganização do Tigre para vencer com facilidade

Criciúma leva 3 a 0 do CSA e continua perto do Z-4 Arte DC/Arte DC
Foto: Arte DC / Arte DC
Renan Medeiros

O jejum de vitórias no returno da Série B continua. Sem levar perigo ao gol adversário em momento algum, o Criciúma foi derrotado pelo CSA por 3 a 0 e chegou à quarta partida consecutiva sem vencer. 

O revés mantém o Tigre perigosamente perto da zona de rebaixamento, na 14ª posição, empatado na pontuação com CRB, Paysandu, Brasil de Pelotas e São Bento, mas com ligeira vantagem sobre eles no número de vitórias e saldo de gols.

Para encerrar a sequência negativa, o Criciúma volta a campo na próxima terça-feira (28). No Heriberto Hülse, o Tricolor recebe o Guarani, em compromisso marcado para as 19h15min.

Tigre recuado, CSA ofensivo

O Criciúma começou o jogo recuado e apostando nos contra-ataques, mas a reposição defensiva rápida do CSA impediu que o Tigre armasse jogadas quando recuperava a bola. Os donos da casa tomaram a iniciativa durante todo o primeiro tempo e as investidas do Criciúma não levaram perigo ao gol adversário.

Os alagoanos encontraram uma chance aos 20 minutos. Celsinho cruzou da direita e Belliato até saiu na bola, mas não conseguiu segurar e deixou quicando dentro da pequena área. O lateral Carlos Eduardo apareceu na cobertura para impedir que o CSA abrisse o placar. Logo depois, Pio tentou uma bomba de fora da área, o chute saiu à direita do gol.

Aos 28, Neto Berola chegou a mandar a bola para a rede após um cruzamento da esquerda, mas a arbitragem flagrou o atacante do CSA esticando o braço direito para fazer o desvio, ao melhor estilo Maradona. Além do gol ter sido anulado, Berola levou amarelo.

Três minutos depois, desta vez de cabeça, Berola mandou em direção ao gol, mas Belliato estava bem posicionado para segurar sem dar rebote.

O CSA abriu o placar aos 39 minutos com um golaço. Após boa jogada pelo lado direito, Didira cruzou na medida para Daniel Costa acertar um voleio da entrada da área. Belliato chegou a tocar na bola, mas não impediu o gol.

No intervalo, Mazola fez duas substituições para tirar o Criciúma de trás. Marlon Freitas e Patrick entraram nas vagas de Luiz Fernando e Elvis. Não foi o suficiente para mudar o panorama do jogo.

O Tigre chegou com perigo aos sete minutos de jogo. Zé Carlos recebeu uma enfiada de bola por trás da marcação e finalizou em cima do goleiro Felipe. O lance não valia nada porque a arbitragem já marcava impedimento. O replay da televisão mostrou que Zé estava atrás da linha de defesa no momento do passe.

Passado o susto, o CSA cresceu na partida. Aos 11 minutos, Carlos Eduardo e Belliato não definiram quem iria em uma bola tranquila dentro da área, a marcação apertou e o lateral tentou driblar, mas perdeu a bola para Jhon Cley, que cruzou no espaço vazio, para ninguém.

Criciúma se desorganiza e CSA aproveita

Os alagoanos chegaram ao segundo gol aos 13 da etapa complementar. Após troca de passes na entrada da área do Criciúma, Eduardo colocou a mão na bola. Didira cobrou a falta pela direita com força, Belliato não conseguiu segurar e rebateu para o meio da área, onde Jhon Cley apareceu sozinho para fuzilar gol adentro.

Um minuto depois, em lance parecido com o impedimento de Zé Carlos, Vitor Feijão chegou a fazer o gol, mas o auxiliar de arbitragem marcou impedimento. O atacante estava na mesma linha do zagueiro no momento do passe.

No lance seguinte, Didira arriscou um chute por cobertura do meio do campo, mas a bola saiu pela linha de fundo, assustando Belliato.

A goleada foi consolidada aos 24 minutos. Jhon Cley aproveitou a desorganização da defesa do Criciúma para receber entre os zagueiros, invadir a área e finalizar cruzado para marcar o terceiro.

O CSA fechou a porteira, administrou o resultado até o fim e o Criciúma só obrigou o goleiro Felipe a fazer defesa difícil uma vez. Foi em um chute de fora da área de Zé Carlos, já nos acréscimos, defendido pelo arqueiro. A bola ainda chegou a bater na trave e voltar nos pés de Joanderson, mas o atacante finalizou mal. 

FICHA TÉCNICA - CSA 3 X 0 CRICIÚMA

CSA
Felipe; Celsinho (Velicka), Leandro Souza, Matheus Lopes e Rafinha (Wellington Silva); Yuri, Pio e Daniel Costa; Didira, Neto Berola (Jhon Cley) e Alemão. Técnico: Marcelo Cabo.

CRICIÚMA
Belliato; Carlos Eduardo, Nino, Liel e Marlon; Jean Mangabeira, Eduardo, Luiz Fernando  (Marlon Freitas) e Elvis (Patrick); Vitor Feijão (Joanderson) e Zé Carlos. Técnico: Mazola Júnior.

 GOLS: Daniel Costa, aos 39 do 1ºT, e Jhon Cley, aos 13 e 24 do 2ºT (CSA)
CARTÕES AMARELOS: Neto Berola, Celsinho, Leandro Souza, Jhon Cley e Rafinha (CSA)

ARBITRAGEM: Andrey da Silva e Silva, auxiliado por Márcio Gleidson Correia Dias e José Ricardo Guimarães Coimbra (trio do PA).
LOCAL: Rei Pelé, em Maceió (AL)

Veja a tabela da Série B do Brasileiro
Mais notícias do
Criciúma

O Sol Diário
Busca