Nino admite incômodo com a situação do Criciúma após empate - Esporte - O Sol Diário
 

Complicou28/08/2018 | 21h26Atualizada em 28/08/2018 | 21h31

Nino admite incômodo com a situação do Criciúma após empate

Para zagueiro, "baixar a cabeça não é uma opção"

Nino admite incômodo com a situação do Criciúma após empate Guilherme Hahn/Especial/Especial
Defesa não foi a culpada pelo tropeço, mas zagueiro reconheceu incômodo mesmo assim Foto: Guilherme Hahn/Especial / Especial
DC Esportes
DC Esportes

A defesa, que havia deixado a desejar no início do returno com nove gols sofridos em quatro jogos, não foi a responsável pelo tropeço do Criciúma diante do Guarani nessa terça-feira, jogo que acabou empatado em 0 a 0. Mesmo assim, o zagueiro Nino admitiu o incômodo com a continuidade da sequência sem vitórias e lembrou que apenas não tomar gols não é o suficiente nos jogos em casa. 

— Os empates em casa estão incomodando, ainda mais que a gente não consegue pontuar fora. Mas baixar a cabeça não é uma opção. Vamos continuar trabalhando, fazendo o nosso melhor que nós vamos, sim, sair dessa situação — declarou o zagueiro, de 21 anos, cria da base carvoeira.

O empate ainda mantém o Criciúma fora do Z-4 da Série B, em 14º, mas pode perder até duas posições com o complemento da rodada e parar à beira da zona de rebaixamento, em 16º. O Tigre tem uma semana para evoluir e interromper a sequência negativa na próxima terça-feira, diante do Juventude, em Caxias do Sul (RS). A partida será às 20h30min.

Veja a tabela da Série B do Brasileiro
Mais notícias do
Criciúma

O Sol Diário
Busca