Mudanças funcionam no Avaí e Geninho desabafa: "O burro tem um pouco de sorte" - Esporte - O Sol Diário
 

Série B23/09/2018 | 13h01Atualizada em 23/09/2018 | 13h01

Mudanças funcionam no Avaí e Geninho desabafa: "O burro tem um pouco de sorte"

Antes de virar sobre o Sampaio Corrêa, treinador foi chamado de "burro" pelo torcedor

Mudanças funcionam no Avaí e Geninho desabafa: "O burro tem um pouco de sorte" Leo Munhoz/Diário Catarinense
Foto: Leo Munhoz / Diário Catarinense
DC Esportes
DC Esportes

O Avaí sofreu, mas venceu o Sampaio Corrêa de virada na noite de sábado. O começo do 3 a 1 na Ressacada, foi com o time visitante na frente do placar em uma atuação ruim do Leão. No entanto, nomes que saíram do banco de reservas foram decisivos para levar o time à virada. Matheus Barbosa entrou ainda no primeiro tempo na mudança de esquema, enquanto Getúlio e Luan Pereira (Luanzinho) entraram na etapa final. O último desequilibrou no meio de campo e armou as jogadas que terminaram em gols. Os outros dois marcaram os tentos do empate e o que virou o placar. Situações que municiaram um desabafo do técnico Geninho na entrevista coletiva após a partida.

O treinador se mostrou chateado com interpretação da imprensa e também da torcida no decorrer da partida, principalmente quando colocou o atacante Getúlio, na vaga de Marquinhos. Foi uma alteração prevista, segundo Geninho, e que ele estava seguro de coloca-lo em campo. A entrada do jogador gerou gritos de “burro” por parte dos torcedores.

— Acho que o primeiro tempo, todo, mesmo após a entrada do Matheus Barbosa, foi muito ruim. Mesma coisa de entrar num baile que toca samba e você dançar valsa. Estava em um ritmo e nós estávamos em outro. Nosso time não entendeu. Optei pelo Getúlio e pelo Luan (Pereira) pelo que produziram nos treinamentos da semana. O que produziram no treino, produziram no jogo. De repente o burro tem um pouco de sorte. Tive muita sorte até agora na carreira. Ganho muita coisa porque tenho muita sorte — falou.

De acordo com o treinador, os gritos de “burro” endereçados a ele fizeram com que o jogador ficasse pressionado em campo. Porém, minutos depois, Getúlio conseguiu acertar a cabeçada que abriu o caminho para a vitória que recolocou a equipe no G-4 da Série B.

— Não fico chateado por mim, tenho 50 anos de bola e já fui chamado de burro em tudo que é lugar. Isso não me afeta, mas afeta jogadores que entram. Como foi com o Getúlio, tentei acalmar ele. Os caras criticam, o jogador entra e faz gol. Queria ser burro todos os jogos, ser xingado, os jogadores tivessem uma boa atuação e ganhássemos os jogos.

O Avaí volta a campo no próximo sábado. Às 19h, a equipe azurra vai enfrentar o Coritiba no Couto Pereira. O lateral-direito Guga e o volante Judson são baixas certas, por conta de suspensão.

Confira a tabela da Série B do Brasileiro
Leia mais notícias sobre o
Avaí

O Sol Diário
Busca