Eventos corporativos devem crescer até 20% em Santa Catarina neste ano - O Sol Diário
 
 

 
 

Em alta21/05/2014 | 06h41

Eventos corporativos devem crescer até 20% em Santa Catarina neste ano

Eles são vistos pelas entidades de turismo como alternativa para compensar o movimento fraco da baixa temporada

Eventos corporativos devem crescer até 20% em Santa Catarina neste ano Marco Favero/Agência RBS
Centro de Eventos de Canasvieiras deve ser inaugurado no final do ano e poderá receber 3 mil pessoas Foto: Marco Favero / Agência RBS
Janaina Cavalli e Karine Wenzel

reportagem@diario.com.br

Os eventos corporativos são a grande aposta do turismo em Florianópolis. Vistos como uma alternativa para compensar o movimento fraco da baixa temporada, os congressos vêm desempenhando um papel indispensável no faturamento do setor. Além de gastarem o dobro do visitante convencional, os turistas de eventos têm chegado em maior número à Capital. Para este ano, a expectativa é fechar 15% mais eventos do que em 2013. Isto sobre uma base alta, de crescimento superior a 20% nos dois últimos anos.

O turismo de eventos em Florianópolis terá um impulso extra em 2014, com a inauguração do Centro de Eventos de Canasvieiras no final do ano. Com investimentos de R$ 50,6 milhões do governo estadual, o centro conseguirá receber 3 mil pessoas em um só espaço.

A capacidade não muda muito em relação à atual na cidade. Como observa o presidente do Convention & Visitors Bureau de Florianópolis, Marco Aurélio Floriani, o Centrosul já consegue abrigar 2,5 mil congressistas. Segundo ele, mesmo com o centro de Canasvieiras, Florianópolis vai continuar limitada a receber eventos de pequeno e médio porte. 

— Não conseguimos receber hoje os grandes congressos de medicina. Por exemplo, o de cardiologia, com oito a dez mil pessoas. O ideal é que ampliássemos a capacidade desses centros para mais cinco ou seis mil pessoas. E é com isto que vamos trabalhar nos próximos anos, na ampliação do Centrosul e do centro de Canasvieiras — afirma.

Por outro lado, há quem diga que os espaços de turismo de eventos na Capital catarinense estão de bom tamanho. Para Valdir Walendowsky, presidente da Santur, Florianópolis só poderia desejar receber congressos maiores se contasse com um aeroporto à altura. Para ele, mesmo que menores e pulverizados, os eventos são a grande aposta do setor na Ilha porque servem a um uso estratégico do turismo.

— Para compensar a baixa temporada, o Convention pode programar a realização de eventos em agosto, por exemplo, que é o pior mês para o turismo no Litoral — observa.

Walendowsky diz ainda que o turista de eventos gasta o dobro do turista normal. Na média, cada congressista deixa na cidade R$ 250 ao dia, segundo ele.

— É um turista que aproveita ao máximo a cidade. Ele faz passeios de barco, city tour, vai ao cinema, a festas, aos melhores restaurantes, compra roupas e presentes para a família e, quando o evento permite, até traz os familiares — diz o presidente.

Tarcísio Schmitt, presidente do Sindicato dos Hotéis, Restaurantes, Bares e Similares de Florianópolis, enxerga que o novo espaço em Canasvieiras vai significar o aumento da taxa de ocupação dos hotéis do Norte da Ilha.

De acordo com ele, a taxa de ocupação dos hotéis de praia hoje na Capital é de 22% na baixa temporada (de março a novembro), enquanto a dos hotéis do Centro no mesmo período é de 62%, graças ao turismo de eventos.

Entre os principais congressos previstos até 2016 em Florianópolis, está o internacional Cocal 2015, que reúne promotores de eventos da América Latina e do Caribe. São esperadas 600 pessoas para o evento. 

>>> Divulgação de Florianópolis na mídia internacional

Independente do motivo, seja pela crise econômica na Argentina ou pela situação financeira menos favorável no resto do mundo, o fato é que Santa Catarina vem perdendo turistas estrangeiros ano a ano. De acordo com as pesquisas da Santur, o Estado recebeu 237,8 mil visitantes do exterior em janeiro e fevereiro de 2013, número 76,2% menor que o registrado no mesmo período de 2012.

Diante deste cenário, é bem-vinda a divulgação espontânea de Florianópolis na mídia internacional. Na semana passada, o maior tabloide inglês, o The Sun, reservou duas páginas de sua revista Fabulous para a beleza dos moradores da Ilha. Com a proximidade da Copa do Mundo, e os olhos da imprensa estrangeira voltados para o Brasil, a Capital tem chamado a atenção sem ao menos estar entre as cidades-sede do campeonato mundial

A Apino Turismo, agência de Florianópolis especializada no turista estrangeiro, foi quem recebeu na cidade a repórter do jornal britânico. O sócio da Apino Guilherme Eduardo do Santos conta que a jornalista queria descobrir se a Ilha era realmente um local de gente bonita como já tinha ouvido falar. 

— A gente fez um roteiro para ela que pudesse mostrar esse lado de Florianópolis. Levamos ela à praia Mole, à Lagoa e a Jurerê Internacional. À noite, fomos ao Café de la Musique. O chefe dela ligou perguntando se era mesmo real a fama da cidade e ela respondeu que sim. Na verdade, ela ficou extasiada — diz Guilherme.

Em abril, o jornal inglês concorrente do The Sun, o Daily Star, publicou uma matéria sobre Florianópolis, considerando a Capital catarinense a nova Ibiza. Também, incentivou os turistas estrangeiros da Copa a darem um pulo à ilha paradisíaca.

A Santur não tem uma estimativa de quantos visitantes estrangeiros Santa Catarina vai receber com a Copa. O presidente Valdir Walendowsky destacou apenas o compromisso de mais de 2,5 mil torcedores argelinos de se hospedarem em Balneário Camboriú na primeira fase do campeonato. Segundo ele, também, os torcedores espanhóis têm sondado Florianópolis para se fixarem durante a Copa.

>>> Eventos corporativos em Santa Catarina

O ano de 2014 reserva crescimento ao turismo de eventos também para outras cidades catarinenses, como Balneário Camboriú.  A presidente do Convention & Visitors Bureau do município, Margot Libório, afirma que o ano passado fechou com 38 eventos de negócios, o que representa um crescimento de 23,5% em relação a 2012. 

— Este ano é atípico pela Copa do Mundo, que acontece em meses ótimos para estes eventos e que irá ter a cadeia de serviços parada nesta época. Mas ainda assim prevemos aumentar em 20% em 2014 — avalia.

Para Margot, um dos gargalos para alavancar o setor está na falta de locais para receber grande quantidade de pessoas, atualmente há espaços para até 1,5 mil visitantes. Problema que deve ser solucionado com o novo centro de eventos, previsto para ser entregue em 2015 e que irá contar com 37 mil metros quadrados.

— Ele deve abrigar mais de 5 mil pessoas. Com a localização privilegiada de BC e esse espaço, a cidade vai ser a bola da vez para eventos corporativos — diz.

Joinville também contabiliza bons resultados em 2013. Foram 37 eventos realizados e 18 captados para ocorrerem até 2017. 

— Devemos atingir o mesmo número de eventos em 2014, porém serão eventos mais qualificados — afirma Giorgio Augusto Souza, gestor do Convention & Visitors Bureau de Joinville.

Souza acrescenta que o número de voos do aeroporto da cidade é o maior desafio para a realização de eventos de negócios e de grande porte.

Em Blumenau o foco são encontros de médio porte, com média de até mil pessoas. Mas na avaliação de Murilo Benini, presidente do Blumenau e Vale Europeu Convention & Visitors Bureau (BVECVB), se a cidade tivesse um local maior para receber eventos, a situação seria diferente.

— Estamos limitados praticamente ao Teatro Carlos Gomes, mas para conseguir um agendamento com o teatro eu preciso de praticamente um ano antes agendar o espaço, o que nos deixa bastante limitados — explica Benini.
Para este ano a BVECVB captou sete eventos para a cidade.

DIÁRIO CATARINENSE

Notícias Relacionadas

Ranking 14/05/2014 | 18h26

Florianópolis é o quarto destino que mais recebe eventos internacionais no Brasil

Cidade ocupou o sexto lugar no ranking da Associação Internacional de Congressos e Convenções do ano passado

 
O Sol Diário
Busca