Parada Obrigatória: Clima é de perplexidade na Câmara de Itajaí - O Sol Diário
 
 

Repercussão06/08/2015 | 21h23

Parada Obrigatória: Clima é de perplexidade na Câmara de Itajaí

Presidente do Legislativo, Luiz Carlos Pissetti, comentou vazamento de inquérito nesta quinta-feira

Parada Obrigatória: Clima é de perplexidade na Câmara de Itajaí Câmara de Vereadores/Divulgação
Vereador está preso preventivamente desde 14 de julho Foto: Câmara de Vereadores / Divulgação

O clima na Câmara de Vereadores de Itajaí nesta quinta-feira era de "perplexidade" segundo o presidente da casa, Luiz Carlos Pisseti. O espanto se deu em função do vazamento do inquérito  da operação Parada Obrigatória 2, que indiciou o vereador licenciado Zé Ferreira (PP) pelo crime de advocacia administrativa (tráfico de influência).

::: As suspeitas contra coronel da PM exonerado da Comissão de Leilões

Segundo o Gaeco, o parlamentar se valia da influência que obteve por ter ocupado o cargo de coordenador da Codetran para prestar favores a amigos e conhecidos que eram multados ou tinham o carro apreendido no pátio do município e, até mesmo, cobrava propina para ajudar na liberação de alvarás pela prefeitura.

Quando atendeu à ligação de O Sol Diário nesta quinta-feira à tarde, Pisseti estava reunido em seu gabinete com os secretários e o procurador da Câmara. No encontro eles discutiam o que fazer diante das informações que vieram à tona.

_ A princípio tanto eu quanto os meus secretários estamos todos perplexos. Aqui na Câmara todo mundo ficou pasmo com a notícia e se recolheu, publicamente ninguém está se pronunciando _ observa.

Conforme Pisseti, apesar dos indícios apresentados pelo Gaeco, ainda é cedo para se posicionar. O presidente do Legislativo salienta que "ninguém pode ser condenado sem antes sofrer o devido processo legal e sem ter oportunidade a ampla defesa". Ele pretende aguardar o fim do processo, ter acesso a denúncia do Ministério Público e as defesas e, posteriormente, a decisão da Justiça para tomar alguma medida:

— No que me couber não vou abrir mão da minha prerrogativa, vou agir de acordo com a lei e com o regimento interno, mas tenho que aguardar a manifestação dos órgãos de Justiça — afirma.

Abertura de processo de cassação na comissão de Legislação e Ética está descartada por enquanto:

— Não, até porque os delitos imputados a ele (Zé Ferreira) não são veiculados nem ao mandato de vereador  nem ao exercício da função pública, embora algumas das acusações só possam existir para quem tem mandato ou função pública — avalia.

No entanto, o presidente do Legislativo não descarta a abertura de uma CPI para investigar o suposto esquema de pagamento de propinas envolvendo a Codetran e o pátio de veículos apreendidos.

— A Codetran é um organismo do Executivo e nós temos por obrigação fiscalizar. Acredito que em determinado momento nós teremos que enfrentar esse debate, se vai haver a CPI, qual vai ser o limite dessa CPI, se vamos aguardar a Justiça, se não vamos aguardar — disse. Mas lembrou que dos 21 vereadores, 17 compõem a base do governo.

CONTRAPONTO

Zé Ferreira
A reportagem procurou os advogados Marlon Bertol e Luiz Antônio Alvez, que representam o vereador licenciado, mas eles não atenderam aos telefonemas. No depoimento ao Gaeco, Zé Ferreira diz que sempre orientou quem o procurava para pedir liberação de carros apreendidos ou anulação de multas a ir na Codetran ou na Delegacia da Polícia Civil para entrar com recursos administrativos.

O SOL DIÁRIO - O SOL DIÁRIO

Notícias Relacionadas

Parada obrigatória 06/08/2015 | 07h21

Influência de Zé Ferreira se estenderia além da Codetran

Vereador teria agilizado alvarás para evento mediante suposto pagamento de propina

Parada Obrigatória I e II 21/07/2015 | 18h50

TJ nega segundo pedido de liberdade a vereador de Itajaí preso durante operação do Gaeco

Pedido foi feito em caráter de urgência por um advogado de Florianópolis no fim de semana

Parada Obrigatória I e II 16/07/2015 | 18h42

TJ nega liberdade a vereador de Itajaí preso em operação do Gaeco

Segundo a defesa, ele ainda não pode receber visitas da família. O único pedido dele foi uma Bíblia

Parada Obrigatória I e II 16/07/2015 | 07h05

Prisão de vereador de Itajaí é tratada com cautela

Sem mais detalhes da investigação, Câmara e partido do parlamentar evitam falar sobre o caso

Gaeco 14/07/2015 | 19h06

Investigação em órgãos de trânsito leva vereador de Itajaí à prisão

Duas operações deflagradas simultaneamente pelo Ministério Público nesta terça-feira cumpriram mandados de prisão e busca e apreensão em cinco cidades

Gaeco 20/08/2013 | 17h29

Operação investiga frigorífico de Itajaí por sonegação de impostos

Análise prévia aponta prejuízos de pelo menos R$ 30 milhões em crimes contra a ordem tributária

O Sol Diário
Busca