Projeto criado por jovens de Itajaí incentiva boas ações - O Sol Diário
 
 

Solidariedade07/09/2015 | 17h16

Projeto criado por jovens de Itajaí incentiva boas ações

Através de atitudes simples, como distribuir flores ou cestas básicas, voluntários querem fazer a diferença

Projeto criado por jovens de Itajaí incentiva boas ações Marcos Porto/Agencia RBS
Voluntários do "E se Eu" vão às ruas em uma corrente de solidariedade com ações simples: distribuem flores, refrigerante ou cestas básicas Foto: Marcos Porto / Agencia RBS

Fazer a diferença, espalhar sorrisos ou simplesmente entregar uma rosa a um desconhecido. É através de pequenas atitudes como estas que um grupo de jovens de Itajaí quer despertar o voluntariado. O desejo de fazer o bem é tão grande que a iniciativa ultrapassou barreiras e fez com que os amigos criassem o projeto “E se eu”. Lançado há duas semanas, ganhou site, rede social e já soma quase 200 pessoas cadastradas. A intenção é que semanalmente os participantes recebam tarefas simples, mas que tornem o dia a dia de alguém mais feliz. 

— Temos mania de terceirizar a responsabilidade, reclamar do governo e do município. E a ideia do "E se eu" é justamente trazer essa responsabilidade pra gente. E se eu for voluntário? E se eu doar sangue? É uma provocação para sair da zona de conforto — explica Joe Mendes, um dos criadores do projeto.


Os membros não precisam ser moradores de Itajaí, pois um dos objetivos é estimular que outros grupos de voluntários se formem pelo Estado ou país. As atividades também não se limitam às definidas na internet. De tempos em tempos, os jovens pretendem se reunir em eventos maiores para espalhar boas ações. Entre elas: a entrega de flores, cestas básicas ou brinquedos para crianças, doação de sangue, entrega da refrigerante, etc. 

— Alguns princípios e valores estão se perdendo na correria do dia a dia e a gente quer resgatar isso através do voluntariado, despertar as pessoas para fazer o bem — explica a voluntária Ariana Mendes de Abreu.

Assim como Ariana e Joe, a maioria dos integrantes do "E se eu" já era envolvida com o voluntariado em uma associação cristã de Itajaí. Porém, o projeto surgiu justamente para fugir de rótulos religiosos, para que mais pessoas possam participar. 

— O que nos une é a vontade de fazer o bem e levar algum conforto para as pessoas — resume Ariana.

Dirceu Machado Junior é outro jovem que está à frente das atividades. Segundo ele, distribuir boas ações é gratificante, mas a melhor parte é poder observar a reação das pessoas: 

— Tem pessoas que acham que estamos cobrando pelas flores e quando percebem que não a reação é muito legal. Em um dia de sol forte entregamos um refrigerante para trabalhadores de uma obra e eles ficaram muito surpresos. São coisas simples que com o passar do tempo essa pessoa nunca vai esquecer — ensina Dirceu.

Site direciona voluntários para ONGs

O site do projeto “E se eu” direciona pessoas interessadas em ser voluntárias para ONGs que necessitam de profissionais. Conforme Joe Mendes, um dos organizadores, a intenção é captar contatos de entidades sérias para indicar aos cadastrados. 

— Muitos têm vontade de ajudar e desenvolver um trabalho voluntário, mas não sabem por onde começar. O site oferece essa possibilidade e a gente faz o intermédio do contato com a ONG — explica.

Para se cadastrar no projeto basta acessar o site eseeu.com.br. Não há limite de participantes ou idade, nem restrição de cidade. As instituições que precisam de apoio também podem se registrar na página para ser indicadas pelo grupo.


O SOL DIÁRIO

O Sol Diário
Busca