Sem recursos, não há previsão para a segunda etapa da bacia do Complexo Portuário do Itajaí - O Sol Diário
 
 

Economia10/08/2016 | 09h46

Sem recursos, não há previsão para a segunda etapa da bacia do Complexo Portuário do Itajaí

Sem recursos, não há previsão para a segunda etapa da bacia do Complexo Portuário do Itajaí Lucas Correia/Agencia RBS
Foto: Lucas Correia / Agencia RBS

O ministro dos Transportes, Portos e Aviação Civil, Maurício Quintella Lessa, confirmou terça-feira ao governador Raimundo Colombo (PSD) que não há previsão de recursos para segunda etapa da nova bacia de evolução do Complexo Portuário do Itajaí, que inclui os terminais de Itajaí e Navegantes. A informação preocupa o trade portuário, que conta com a nova área de manobras para garantir a competitividade nos próximos anos.

A primeira etapa da construção, que abrirá espaço para receber navios de até 330 metros, é paga pelo governo do Estado, com investimento de R$ 100 milhões, e já está em andamento.

A ideia era que a segunda fase, que permitirá a entrada de embarcações com até 366 metros de comprimento, fosse feita em paralelo, para evitar novos atrasos. A obra deveria ter ficado pronta em meados de 2014. No entanto, os trabalhos só começaram em junho deste ano, depois de enfrentarem uma série de percalços.

O governador confirmou, ao sair da audiência, que o recurso federal, estimado em R$ 200 milhões e prometido pelo governo Dilma Rousseff (PT), não virá a curto prazo. Por isso o Estado vai arcar com novas obras complementares, que deixarão a estrutura concluída até que venha o recurso da segunda fase (se é que o dinheiro virá). Essas obras são estimadas em R$ 20 milhões e, segundo a superintendência do Porto de Itajaí, trata-se de um molhe intermediário para proteger a área do Saco da Fazenda e um complemento na ponta do Molhe Norte.

O aditivo já havia sido recomendado no licenciamento ambiental, prevendo a possibilidade de atraso no envio dos recursos federais para a segunda etapa.

O SOL DIÁRIO - O SOL DIÁRIO

O Sol Diário
Busca