Comando da segurança pública usa estratégia de acompanhar protestos em tempo real em Florianópolis - Segurança - O Sol Diário

Decisões06/09/2016 | 23h05Atualizada em 06/09/2016 | 23h07

Comando da segurança pública usa estratégia de acompanhar protestos em tempo real em Florianópolis

Governador Raimundo Colombo também esteve no comando-geral da PM onde recebeu avaliação sobre o monitoramento.

Comando da segurança pública usa estratégia de acompanhar protestos em tempo real em Florianópolis Divulgação / Governo do Estado de SC/Governo do Estado de SC
Secretário Grubba (esq.), governador Colombo e comandante da PM, coronel Hemm. Foto: Divulgação / Governo do Estado de SC / Governo do Estado de SC

Em uma nova estratégia, o comando da segurança pública de Santa Catarina decidiu desta vez acompanhar de perto todos os desdobramentos das manifestações das ruas, em Florianópolis. Durante as mais de três horas do protesto Fora Temer, os integrantes da cúpula acompanharam o ato em tempo real por câmeras do comando-geral da Polícia Militar, no Centro. O governador Raimundo Colombo também foi ao quartel ao final para a avaliação.

O secretário titular da SSP César Grubba, que é promotor de Justiça, e o secretário-adjunto, Aldo Pinheiro D'Ávila, foram pessoalmente ao comando da PM, onde ficaram com o comandante-geral da PM, coronel Paulo Henrique Hemm.

Aldo, que é delegado de polícia, foi o primeiro a chegar entre os presentes da SSP. Todos ficaram de olho nas imagens das telas. Durante o monitoramento, houve contatos por telefone com os comandos operacionais nas ruas.

Fontes ouvidas pela reportagem disseram que a intenção da SSP foi a de agir em eventuais tomadas de decisões. O secretário Grubba foi quem cuidou do planejamento de acompanhamento.

O governador Raimundo Colombo esteve no local por volta das 22h10min, quando a manifestação já estava se encerrando e recebeu a avaliação do secretário Grubba e do comandante da PM.

Uma outra presença na sala de acompanhamento foi a do delegado da Polícia Civil Attilio Guaspari Filho, que durante o dia tomou os depoimentos de manifestantes na Central de Plantão Policial do Norte da Ilha, nos Ingleses. Os procedimentos são no inquérito que apura os atos de vandalismo no protesto da última sexta-feira, em que houve confronto entre integrantes do movimento com policiais militares.

Do comando da PM, a cúpula recebia imagens sobre a movimentação em áreas mapeadas como o trapiche — no início onde houve a concentração —, e em seguida de perto das pontes e terminal rodoviário Rita Maria.

A avaliação ao final foi positiva, pois não houve nenhum tipo de incidente ou confronto e a PM conseguiu evitar bloqueio das pontes. Uma outra observação das autoridades é que a identificação de alguns suspeitos de vandalismo da passeata anterior e as respectivas intimações policiais tiveram efeito perante quem supostamente pretendia fazer novas desordens.


 

Veja também

  •                                
  •  
     
  •  
     
  •  
O Sol Diário
Busca
clicRBS
Nova busca - outros